Graciosa Online

Resultados por freguesia

PS vence na Praia, Luz e Santa Cruz; PSD vence em Guadalupe

Resultados por freguesia


O Partido Socialista foi o mais votado pelos graciosenses nas eleições de 25 de outubro, mas os números baixaram em relação a 2016 e variam de acordo com a freguesia. 

Foi mais expressiva a vitória do PS em São Mateus, somando mais 133 votos em relação ao PSD (em 2016 a diferença foi de 192 votos), enquanto a diferença em Santa Cruz foi de apenas 42 votos, quando em 2016 tinha sido de 206 votos.

Na Freguesia da Luz o PS também obteve uma vitória por 77 votos, quando há 4 anos tinha conseguido mais 115 votos em relação ao PSD.

Na Freguesia de Guadalupe foi o PSD o vencedor, com mais 105 votos que o PS (diferença que em 2016 foi de 82 votos). 



PARTICIPAÇÃO CÍVICA


O bom tempo ajudou e as regras da pandemia também não impediram os graciosenses de exercer o seu direito e dever cívico, contribuindo para uma das taxas de abstenção mais baixas da região.

Na Freguesia de Santa Cruz, onde estavam inscritos 1631 eleitores, votaram 1013, sendo a abstenção de 37,89% (618 não votaram).

Na Freguesia de Guadalupe, onde estavam inscritos 988 eleitores, votaram 644, sendo a abstenção de 34,82% (344 não votaram).
 
Na Freguesia de São Mateus, onde estavam inscritos 695 eleitores, votaram 488, sendo a abstenção de 29,78% (207 não votaram).

E na Freguesia da Luz, onde estavam inscritos 619 eleitores, votaram 385, sendo a abstenção de 37,80% (234 não votaram).





Comparando também as eleições de ontem com os resultados apurados na Graciosa em 2016, verifica-se um aumento de votos no PPM e uma descida do CDS-PP que ficou atrás do estreante CHEGA. 

O Bloco de Esquerda obteve mais 1 voto em relação às eleições de 2016, enquanto a CDU perdeu 6 votos e foi a força política menos votada na Graciosa.

Os votos em branco e nulos também foram menos.

Este ano votaram mais 112 eleitores na Graciosa. Ou seja 2.530, quando em 2016 tinham votado 2.418. Na ilha a abstenção foi de 35,6%, tendo ultrapassado os 45% em 2016.