Política

Ilhas europeias devem ter as mesmas oportunidades de desenvolvimento

O presidente do Governo dos Açores, José Manuel Bolieiro, declarou hoje que as populações das ilhas europeias devem ter "as mesmas oportunidades" de desenvolvimento económico, social e cultural no contexto da União Europeia (UE).

Ilhas europeias devem ter as mesmas oportunidades de desenvolvimento

Uma emergência social numa ilha tem repercursões diferentes de no Continente, diz o Presidente do Governo Regional © RTP-Açores



O líder do executivo açoriano intervinha por videoconferência na abertura da 40.ª Assembleia-Geral da Comissão das Ilhas Conferência das Regiões Periféricas Marítimas (CRPM), onde foi eleito seu vice-presidente, por unanimidade, para o biénio 2021/2023.

José Manuel Bolieiro referiu que a participação dos Açores se faz com o "empenho que caracteriza a visão dos Açores sobre a importância desta organização na cooperação das regiões insulares europeias como meio de aprofundar a participação no processo de integração europeia".

Citado em nota de imprensa, o líder do executivo açoriano reconheceu que as particularidades das ilhas "representam dificuldades no acompanhamento do processo e integração nas políticas da União Europeia", mas estes territórios trazem também "uma evidente vantagem geoestratégica para a União", devendo as populações ter "as mesmas oportunidades de desenvolvimento económico, social e cultural".

Segundo Bolieiro, 4,6% dos cidadãos da UE "vivem em ilhas", mas "mais do que um número, as comunidades insulares são construturas da Europa marítima, da Europa que encontra no mar, um elemento especial de desenvolvimento da sua economia e da sua cultura".

O presidente do Governo dos Açores recordou, a propósito do processo de vacinação contra a pandemia de covid-19, a carta que enviou à Comissária Europeia da Saúde, Stella Kyriakides, reiterando esperar da UE "solidariedade correspondente à responsabilidade que os Tratados atribuem às suas instituições e aos seus Estados-membros, e que a especial fragilidade das suas ilhas recomenda".

Para Bolieiro, "uma emergência social numa ilha tem repercussões muito diferente das vividas em espaços continentais e de continuidade territorial".

O governante felicitou de forma particular Mota Amaral, primeiro presidente do Governo dos Açores, que esteve presente na sessão de hoje, valorizando o seu papel como "grande impulsionador e membro fundador" da Comissão das Ilhas da CRPM, que representa cerca de 15 milhões de habitantes e é a mais antiga das seis comissões geográficas da CRPM.

Lusa