Política

Vasco Cordeiro quer empresas e cidadãos a refletir sobre o futuro dos Açores (Som)

O presidente do PS/Açores, Vasco Cordeiro, declarou ontem querer implementar em 2019 um grande movimento de análise sobre a região, com contributos de empresas, cidadãos e "perspetivas diferentes" sobre a realidade açoriana.



"Concluído este congresso, a partir do impulso deste congresso, daremos início aos trabalhos de erguer um grande movimento de participação cívica e política denominado 'Os Açores primeiro'", anunciou hoje o líder dos socialistas açorianos, também chefe do executivo da região.

Vasco Cordeiro falava na Praia da Vitória, na sessão de abertura do XVII congresso do PS/Açores, que até domingo decorre na ilha Terceira.

Sublinhando querer a "concretização em 2019" do movimento anunciado, o socialista ressalvou que a ideia é "impulsionada" pelo PS, "mas quer chamar mais gente, visões diferentes, perspetivas diferentes", para um "grande movimento de análise, reflexão, debate, propostas sobre os Açores".

"O critério único é a simples disponibilidade e vontade de participar e contribuir para uns Açores cada vez melhores", estando o projeto aberto a "pessoas, instituições, sindicatos, patrões, empresas, câmaras de comércio, o açoriano por si mesmo", referiu.

Antes, Vasco Cordeiro valorizou a "estabilidade, segurança e governabilidade" trazida aos Açores pela governação socialista.

"Como açoriano e como socialista, tenho muito orgulho no trabalho que o Governo da minha terra está a concretizar nos mais diversos domínios", disse, assinalando que o congresso "não é para olhar para trás, mas para olhar em frente".

E concretizou: "Estamos aqui pelo futuro dos Açores e por causa dos açorianos. Não nos podemos conformar. As ameaças ao mérito e qualidade do trabalho que queremos fazer pelos Açores com os açorianos estão mais dentro de cada um de nós próprios que dos outros, seja isto ao nível do partido ou a qualquer nível".

Vasco Cordeiro citou uma conversa que teve com um "velho conhecido" sem partido que lhe terá dito que "a oposição está uma lástima" para dizer que declarações como essa representam um "murro no estômago".

"Não fico nem satisfeito, nem muito menos tranquilo ou descansado quando me dizem que não nos precisamos de esforçar muito porque a oposição está uma lástima. Fico inquieto, inconformado, agitado. Não quero de maneira nenhuma que a fasquia para avaliar o mérito e qualidade do PS seja a pobre bitola da oposição", concretizou.

Segundo o presidente da comissão organizadora do XVII Congresso Regional do PS/Açores, Sérgio Ávila, a reunião, que decorre no Auditório do Ramo Grande, conta com a participação de 345 delegados socialistas das nove ilhas, 243 eleitos e 102 inerentes.

A moção de orientação global subscrita por Vasco Cordeiro será votada no sábado, seguindo-se a apresentação das moções setoriais, e no domingo serão eleitos os órgãos regionais do PS/Açores.

Vasco Cordeiro, que é presidente do Governo Regional dos Açores desde 2012, foi reeleito para um terceiro mandato como presidente do PS/Açores em junho, com 97,89% de votos a favor.


Lusa e Antena 1 Açores