Sociedade

Administradora do Hospital da Terceira diz que não cometeu ilegalidade

A presidente do conselho de administração do hospital da Terceira considera injusta e atentatória da sua dignidade profissional a acusação de que interferiu numa evacuação médica, em 2017, alegadamente para beneficiar um familiar.

Administradora do Hospital da Terceira diz que não cometeu ilegalidade
O caso, divulgado pelo jornal Diário dos Açores, está a causar polémica e levou já a abertura de um inquérito por ordem do presidente do governo regional, Vasco Cordeiro.

Numa nota enviada à imprensa, Olga Freitas admite que interveio no assunto, mas sustenta que não cometeu qualquer ilgalidade.

A administradora do hospital diz que as acusações que lhe são dirigidas são injustas e feitas por pessoas que desconhecem os factos.

Olga Freitas lamenta que o presidente da proteção civil e a diretora regional da saúde não a tenham informado da existência de uma queixa contra ela por parte da médica, Catarina Soares.

A médica decidiu que o helicóptero evacuaria primeiro um doente da Graciosa e depois o de  São Jorge.

A administradora, segundo a queixa, terá sustentado que a operação se fizesse ao contrário.

Multimédia, RTP-A