Sociedade

Biólogo desenvolveu aplicação de identificação de Golfinhos-de-Risso (Vídeo)

Até agora só havia catálogo desta espécie na ilha do Pico.

© Nuno Costa

Desde 2016 que Rafael Martins se dedica ao estudo desta espécie de cetáceos ainda pouco estudada na região.

Estes animais são residentes frequentes das águas açorianas e distinguem-se pelas cicatrizes profundas que possuem.

Tal como uma impressão digital as cicatrizes destes animais são únicas.

O primeiro passo para a foto-identificação é simples, basta procurar os cortes na barbatana.

Com os cortes identificados e caracterizados é a vez das cicatrizes.

Se não houver nenhuma correspondência é porque estamos perante um novo golfinho.

Com este novo sistema a esperança é de poder descobrir mais sobre as famílias residentes e as rotas de migração.


Telejornal RTP/Açores