Sociedade

Comandante dos bombeiros da Madalena considera a demora do helicóptero excessiva (som)

Duas horas e meia para chegar um helicóptero da Terceira ao Pico, é um tempo considerado excessivo para uma operação de salvamento.

Comandante dos bombeiros da Madalena considera a demora do helicóptero excessiva (som)

Helicópteros Merlin



(Declarações de Ricardo Dias, comandante dos bombeiros da Madalena do Pico, som Antena 1 Açores)

Para acudir à vítima, em paragem cardio-respiratória no cume da Montanha do Pico, os Bombeiros da Madalena do Pico chamaram às 06 e meia da manhã o helicóptero estacionado na Base das Lajes, na ilha Terceira.
Só cerca de duas horas e meia depois é que o aparelho chegou ao Pico.
É muito tempo, e pode fazer a diferença entre a vida e a morte, declara o comandante dos bombeiros da Madalena do Pico, Ricardo Dias.
Já o responsável pelo parque natural da montanha, Fernando Luís Oliveira, diz que toda a operação foi rápida, dentro do possível.
A vítima estava acompanhada por um grupo de 6 pessoas que nada puderam fazer para o reanimar.

Antena 1 Açores