Sociedade

Greve em IPSS e Misericórdias condiciona Lares, Creches e Jardins de Infância (Vídeo)

Os trabalhadores da IPSS e Misericórdias voltaram à greve. Os efeitos da paralisação fizeram-se sentir na suspensão das visitas aos lares e no encerramento de cantinas em creches e jardins-de-infância. No primeiro de dois dias de greve, o Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública revela que a adesão terá atingido os 72%.

Esta é segunda greve dos trabalhadores das IPSS e Misericórdias, no espaço de um mês, que abrange lares, creches, ATL e jardins-de-infância. A paralisação também se refletiu no fecho das cantinas.

As razões da greve são as mesmas. Em causa estão melhoria de salários e valorização de carreiras.

A discrepância de salários entre os trabalhadores das IPSS e o sector público é um dos argumentos para a contestação.

O SINTAP está disponível para voltar à mesa das negociações mas, se a indefinição se arrastar, equaciona já outras formas de luta.

Telejornal