Ouvir
O Amor é (Fim de Semana)
Em Direto
O Amor é (Fim de Semana) Com Júlio Machado vaz e Inês Menezes

Concertos

Há Música no Jardim

De 2 a 30 de Junho em Coimbra

|

Há Música no Jardim

HÁ MÚSICA NO JARDIM! acontece pela quinta vez consecutiva, no magnífico anfiteatro ao ar livre, localizado no jardim da Quinta de S. Jerónimo, no coração de Coimbra. Música clássica, canto tradicional, jazz, música portuguesa e fado preenchem a programação do ciclo de concertos, no mês de Junho, aos sábados, pelas 18h30 ou 21h30. Espreite a programação e faça-nos uma visita. A entrada é livre!

*****

Dia 02 de junho - Orquestra de Sopros do Conservatório de Música de Coimbra (18h30) - música clássica
Dia 09 de junho - Três Bairros (21h30) - música portuguesa
Dia 16 de junho - Segue-me à Capela (18h30) - canto tradicional
Dia 23 de junho - Orquestra de Jazz da Nazaré (18h30) 
Dia 30 de junho - Amanhecer - Grupo de Fado de Coimbra (21h30)


2 JUNHO| 18H30
ORQUESTRA DE SOPROS DO CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DE COIMBRA

Maestro: José Pedro Figueiredo
Com Pedro Pacheco, solista convidado.
A Orquestra de Sopros do Conservatório de Música de Coimbra (OSCMC) é constituída por alunos das classes avançadas de madeiras, metais e percussão. Sob a direcção do professor José Pedro Figueiredo, cada um dos quase 70 jovens instrumentistas constrói competências de execução em contexto de orquestra – montando reportório, original e transcrito, dedicado a este tipo de formação - fundindo o timbre do seu instrumento numa cor orquestral global, umas vezes, outras vezes revelando a sua individualidade num tecido sonoro que tanto pode ser poderoso como delicado.
A abertura do evento “HÁ MÚSICA NO JARDIM!” pela OSCMC é já uma tradição, com natural protagonismo para a Música Clássica e os grandes autores a ela associados.

9 JUNHO | 21H30
TRÊS BAIRROS

Três Bairros é um trio composto por Guilherme Madeira na voz, Ricardo Gama na guitarra portuguesa e João Correia na viola.
Nasce em Santarém em 2015 e desde o seu início procurou diferenciar-se dos restantes grupos pela forma de moldar a sua música em torno do fado. A abordagem a este género, a que se junta a genuinidade de cada músico, resulta num trabalho sério e ao mesmo tempo divertido que irá em breve ser dado a conhecer ao público no disco de estreia “Turno da Noite”.
Editaram em 2015 o seu primeiro tema, que viria a ser um sucesso, contando com mais de 20.000 visualizações no Youtube, intitulado “Grilo Coceirão”.
A partir dessa altura iniciaram uma digressão por vários palcos nacionais, tais como – Convento de S.Francisco, Festas de S.José, Casino do Estoril, Casino de Lisboa, Mértola, Peso da Régua, Museu do Fado, entre outros.
O primeiro single do disco de estreia dos Três Bairros intitula-se “Miúda do Café” e saiu no mês de Março de 2017. Em Outubro, juntamente com o disco, foi editado o segundo Single que dá o nome ao primeiro registo deste grupo, intitulado “O Turno da Noite”.

16 JUNHO | 18H30
SEGUE-ME À CAPELA

A Música
O grupo Segue-me à Capela trabalha uma perspetiva da música tradicional portuguesa construída a partir da voz. E se por voz se pretende dizer canto, pretende-se, também, que a voz seja o instrumento de construção de ambientes sonoros do trabalho, da romaria, da folia.
O repertório é constituído por cantares tradicionais recolhidos por Michel Giacometti, José Alberto Sardinha e GEFAC. Reproduzem-se os arranjos vocais registados nas recolhas – umas vezes. Outras vezes esses arranjos são acrescentados das linhas melódicas, das harmonias que a herança musical não enjeita.

As Cantoras
  • Ananda Fernandes
  • Catarina Moura
  • Joana Dourado
  • Mila Bom
  • Margarida Pinheiro
  • Maria João Pinheiro
  • Rita Marques
Os Instrumentos
Os instrumentos do grupo são as vozes. Foi precisamente o fascínio pelo mais ancestral instrumento musical que motivou o surgimento deste projeto de recriação da música tradicional portuguesa. Os instrumentos – sobretudo de percussão - e os elementos cénicos utilizados nos espetáculos servem o papel condutor da voz, reforçando os climas gerados a partir do canto. Todos os instrumentos de percussão utilizados pertencem à cultura popular portuguesa, assumindo especial protagonismo o adufe, instrumento tradicional feminino da Beira Baixa.


23 JUNHO | 18H30
BIG BAND do MUNICÍPIO da NAZARÉ

Direcção: Adelino Mota
A Big Band do Município da Nazaré formou-se em 1999 e tem uma formação clássica, sendo composta por 5 Saxofones (2 Altos, 2 Tenores e 1 Barítono), 4 ou 5 Trompetes, 4 Trombones, Piano, Guitarra, Baixo, Bateria e Voz em alguns temas.
Ao longo dos anos tem havido rotação dos seus elementos, continuando a gerar músicos para as escolas superiores e/ou outras formações profissionais.
Esta Big Band fez Concertos em Portugal, Espanha, Bélgica e Alemanha, em diversos Festivais e concertos incluídos na programação de várias salas, destacando: Festival de Jazz de Ponte-Vedra, Festival de Música de Medina del Campo, Jazz às Quintas no CCB, Festa do Jazz no Teatro S. Luíz, Palco 1º de Maio da Festa do Avante, no Hot Club de Portugal, “A Arte da Big Band” em Lisboa e na Casa da Música do Porto.
Conta já com 5 Cds gravados: “Big Band Nazaré” em 2003; “Filme” em 2006; “10 Anos” em 2009 e “Best Friends”, gravado ao VIVO no CCC de Caldas da Rainha em 2012; grava em 2016 o CD “Special Guests” tendo como convidados Sérgio Carolino, Lúcia Moniz, Mariana Norton, Daniel Bernardes e Rúben da Luz. São a mostra da evolução musical desta formação e todos receberam os melhores elogios da crítica especializada, tendo recebido destaque em alguns programas de rádio e revistas dedicadas ao jazz.
Neste concerto a orquestra apresenta um repertório baseado em grandes canções do jazz e serão tocados ainda instrumentais standards do jazz com arranjos destinados a esta formação. Alegria e diversão serão notas dominantes, que certamente contaminarão todo o público!

  • Sax Alto: Joaquim Pequicho e Bernardo Matias
  • Sax Tenor: Nuno Mendes e Pedro Morais
  • Sax Barítono: Raquel Pais da Silva
  • Trompete: Vítor Guerreiro, Paulo Santos, João Mário, André Venâncio e Margarida Louro
  • Trombones: André Ramalhais, Rui Correia, Gil Silva e Kevin Severino
  • Guitarra: Gonçalo Justino
  • Piano: Ricardo Caldeira
  • Baixo: Tiago Lopes
  • Bateria: Bruno Monteiro
  • Voz: Júlia Valentim

30 JUNHO | 21H30
AMANHECER – GRUPO DE FADO DE COIMBRA

Eternizam Coimbra a cada verso, a cada acorde. Teimam em reavivar a alma da cidade que lhes marcou a juventude e abriu as portas para o fado. Os Amanhecer nasceram em 2014, no seio da Estudantina Universitária de Coimbra, a mais velha tuna de Portugal.
Gostar de fado foi razão suficiente para criar o grupo, que a cada passo ganhou novos sonhos e objetivos. Hoje, desconhecem o seu fado, mas move-os a certeza de que a canção coimbrã tem de se fazer ouvir e merece ser ouvida, não só pelos estudantes e pelos que já o foram, mas por todos. O fado é muito mais do que histórias de amor e não é só por serenatas que Coimbra fez e faz história.
Três vozes (André Lucas, João Moreno, Pedro Ventura), duas guitarras portuguesas (Diogo Mendes e Rui Freitas) e uma guitarra clássica (João Ferreira) compõem o grupo.
O repertório dos Amanhecer, de originais a interpretações de temas clássicos, aliado à vontade férrea de levarem a sua música mais longe, já os fizeram subir a vários palcos por todo o país, para além dos emblemáticos lugares da cultura académica. E é assim que ambicionam continuar. A fazer música, a amar Coimbra e a ser a voz de uma geração revolucionária, que através da arte pode mudar tudo.
Balada a Coimbra é o primeiro álbum dos Amanhecer. Surge para marcar o fim dos “verdes anos” do grupo, que acabou em 2016 o período académico. Homónimo de um dos temas mais badalados da nova geração da música coimbrã, o álbum compila o melhor trabalho dos três anos do grupo