Ouvir
Boulevard
Em Direto
Boulevard André Pinto

Concertos

9ª de Beethoven | 5 Junho | 21h00

Grande Auditório

|

9ª de Beethoven | 5 Junho | 21h00 9ª de Beethoven | 5 Junho | 21h00

5 Junho | 21h00

Grande Auditório
Realização e Apresentação: Reinaldo Francisco 
Produção: Pedro Ramos

Gravação pela Radiodifusão Berlim-Brandenburgo
na Berliner Philharmoniker, em Berlim,
a 23 de Agosto de 2019


9ª Sinfonia | Beethoven || Suite Lulu | Alban Berg


Marlis Petersen, soprano
Elisabeth Kulman, mezzo-soprano
Benjamin Bruns, tenor
Kwangchui Youn, baixo

Coro da Rádio Berlim
Orquestra Filarmónica de Berlim
Direção de Kirill Petrenko



Programa

Alban Berg Suite Lulu

Ludwig van Beethoven - Sinfonia nº 9 em Ré menor, Op.125 (“Coral”)





Kirill Petrenko estreia-se como maestro principal da Orquestra Filarmónica de Berlim, na abertura da temporada 2019/2020, com a Nona Sinfonia de Beethoven, cujo final é perfeito para esta ocasião festiva. O concerto também apresenta a expressiva Lulu, da Suite de Berg, interpretada pela soprano Marlis Petersen, artista em residência da nova temporada.

Para este seu concerto inaugural, Petrenko escolheu uma das maiores obras-primas sinfónicas do século XIX: a Nona Sinfonia de Ludwig van Beethoven, uma obra na qual a partir de quase nada, de um quinto simples, Beethoven cria uma formidável tensão musical, onde se juntam redenção e exaltação , num coro final visionário e heróico “Freude, schöner Götterfunken” (Alegria, belo raio divino).

A sinfonia tem um grande poder simbólico a vários níveis: por um lado, o magnífico movimento final com seu coro final de "Ode à Alegria" de Schiller dificilmente poderia expressar melhor o prazer com o qual Petrenko e a Philharmoniker iniciam o futuro juntos; por outro, a nona também transmite uma mensagem importante: um claro compromisso com a humanidade, com a igualdade de toda a humanidade.


Além disso, a apresentação da sinfonia é a primeira de uma série de concertos de Beethoven nesta temporada, marcando o 250º aniversário do nascimento do compositor em 2020. Ao mesmo tempo, presta uma homenagem musical aos anteriores maestros da Berliner Philharmoniker: de Hans von Bülow, a Arthur Nikisch, Wilhelm Furtwängler e Herbert von Karajan, que incluíram a sinfonia entre outras obras na abertura da recém-construída Philharmonie em 1963 e, finalmente, a Claudio Abbado e Sir Simon Rattle, que encantaram o público com as suas próprias e inimitáveis interpretações da Nona Sinfonia.

O concerto de abertura da temporada também conta com a primeira aparição da soprano Marlis Petersen como a Artista Residente 2019/20. A cantora já trabalhou com Kirill Petrenko em várias ocasiões. O público pode vê-la aqui em Berlim em dois trabalhos muito diferentes: ela canta o solo de soprano na nona de Beethoven e a parte vocal nas peças sinfónicas de Alban Berg da ópera Lulu, que são ouvidas no início do concerto de abertura da temporada. O papel de Lulu deu a Marlis Petersen reconhecimento internacional. 






Para saber mais sobre este concerto, clicar aqui.