Ouvir
Caleidoscópio
Em Direto
Caleidoscópio JAZZ CLUB

Concertos

Armando Santiago | 7 Outubro | 21h00

O'Culto da Ajuda

|

Armando Santiago | 7 Outubro | 21h00 Armando Santiago | 7 Outubro | 21h00

© @ Jorge Carmona / Antena 2


Recital Antena 2 - O'Culto da Ajuda

7 Outubro | 21h00

O'Culto da Ajuda, Lisboa  

  
Armando Santiago

Quarteto de Cordas de Matosinhos 
Elsa Silva, piano


Programa

Armando Santiago (1932)

- Groupes II (2000), piano

- Neume I (1998), violino, viola, violoncelo

- Neume II (2000), piano, violino e violoncelo [estreia absoluta]

- Neume III (2000), viola solo

- Groupes III (2019), piano [estreia absoluta]

- Quatour à cordes (1995)


Concerto dedicado à música de Armando Santiago, que conta num momento inicial com uma intervenção on-line pelo compositor a partir do Québec onde reside.
O programa inclui a apresentação do Quarteto de Cordas 1995 de Armando Santiago e ainda a estreia absoluta da sua peça Groupes III
No âmbito deste evento, com a participação do Quarteto de Cordas de Matosinhos e Elsa Silva (piano), decorre também o lançamento do livro pelo Atelier de Composição, dedicado ao compositor.





Transmissão direta
Apresentação: Pedro Ramos
Produção: Cristina do Carmo



Armando Santiago | Nasceu em Lisboa a 18 de Junho de 1932 e naturalizou-se canadiano em 1972. Em 1954 ganhou o primeiro prémio de história da música e em 1960 o primeiro prémio de composição, ambos no Conservatório de Lisboa.
Compositor, maestro, professor e administrador, estudou canto, piano e violoncelo no Conservatório de Lisboa e direção de orquestra com Hans Münch e Franco Ferrara. Em 1960 foi para Paris, onde estudou as técnicas da música concreta com Pierre Schaeffer, no Serviço de Pesquisa da ORTF. Bolseiro dos governos de Portugal e de Itália (1962-1964), trabalhou em Roma com Boris Porena e seguiu o curso de Goffredo Petrassi na Academia de Santa Cecília, obtendo o diploma de estudos superiores de composição. Antes de se fixar no Québec, desenvolveu uma intensa actividade musicológica no seio da Fundação Calouste Gulbenkian (1960-1968) e foi proposto, pelo governo português, para o estudo e organização do Serviço de Música da Biblioteca Nacional de Lisboa (1965-1968). 
Entre 1982 e 1984, Armando Santiago dirigiu as orquestras Sinfónicas de Lisboa e Porto e na temporada de Verão de 1984 foi maestro convidado da Orquestra Sinfónica do Collegium Musicum Pommersfelden, na República Federal da Alemanha. 
Paralelamente à sua carreira de compositor, Armando Santiago manifestou sempre um grande interesse pelo ensino. Depois da sua passagem por Roma, lecionou história da música e música de câmara na Academia de Santa Cecília, em Lisboa. Depois de se instalar no Québec, em 1968, começou a lecionar composição e dirigiu a classe de orquestra do Conservatório de Música de Trois-Rivières, instituição de que foi, mais tarde, diretor (1974-1978). Em 1978, Armando Santiago foi nomeado director do Conservatório de Música do Québec, onde foi chamado, pela Direção Geral dos Conservatórios de Música do Québec, a prosseguir as reformas dos programas de ensino, mandato que manteve até 1985, acumulando com as funções de Director da Orquestra Sinfónica do Conservatório e de titular de uma classe de composição. Desde 1985 até à data da sua reforma (1997), Armando Santiago manteve as suas actividades pedagógicas no Conservatório de Música do Québec, como titular da classe de composição. 
Armando Santiago manteve uma actividade regular no seio da vida musical do Québec, nomeadamente a partir de 1978. No decurso da temporada de 1980-81, a Associação para a Música Contemporânea do Québec dedicou um concerto às suas obras, o qual foi transmitido pela Sociedade Radio Canada. De 1973 a 1985 foi maestro convidado da Orquestra de Câmara da Sociedade Radio Canada, no Québec. Em Abril de 1977, o Conservatório de Música de Trois-Rivières quis sublinhar a passagem de Armando Santiago por esta escola, atribuindo o seu nome a uma sala. Armando Santiago foi membro dos corpos sociais da CAPAC e do Conselho Canadiano da Música; é membro da SOCAN e da Liga Canadiana de Compositores. 



Elsa Marques Silva | Natural do Porto, iniciou os estudos musicais com seis anos de idade na Academia de Música de Vilar do Paraíso. Estudou na Escola Superior de Música e das Artes do Espectáculo do Porto, onde integrou a classe de Pedro Burmester. Concluiu em 2000 o Mestrado na Hartt School of Music da Universidade de Hartford (EUA), onde foi aluna de Luiz de Moura Castro. Frequentou várias masterclasses internacionais sob a direcção de professores como Helena Sá e Costa, Dmitri Paperno, Vitalij Margulis, Boris Berezowsky, Tânia Achot, Nina Svetlanova e Peter Eicher, entre outros.


É laureada dos seguintes concursos nacionais: Prémio Helena Costa (2º prémio), Concurso de Interpretação do Estoril (2º prémio), Prémio Jovens Músicos (2º prémio) e Concurso de Piano da Covilhã (1º prémio). Internacionalmente, possui o galardão Concerto Awards - 1988 International Music Academy Piano Program - Kromeriz (República Checa), foi finalista do Emerson Quartet Competition e obteve o 2º prémio no Young Artist Piano Competition, Connecticut (EUA).
Tocou como solista com a Orquestra Nacional do Porto, Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música, Orquestra do Norte, Orquestra do Algarve, Orquestra Sinfónica da Póvoa de Varzim, Remix - Orquestra de Jovens e Orquestra Filarmonia das Beiras, colaborando com maestros como Meir Minsky, Ferreira Lobo, Osvaldo Ferreira, Nicholas Kok, Cesário Costa, Tolga Kashif, Luís Carvalho e Jean-Marc Burfin.
Realizou inúmeros recitais tanto a solo como em formações de câmara, em Portugal (CCB, Palácio da Bolsa, Universidade de Aveiro, Culturgest, Teatro Camões, Teatro Gil Vicente de Coimbra, Teatro Baltasar Dias - Madeira, etc.), Espanha, França, Reino Unido, Alemanha, Estados Unidos da América e Brasil.



 
QCM) | Criado, em 2007, pela Câmara Municipal de Matosinhos, através de um concurso público. É constituído por licenciados da Academia Nacional Superior de Orquestra: Vitor Vieira e Juan Maggiorani (violinos), Jorge Alves (viola) e Marco Pereira (violoncelo). Realizaram também estudos de aperfeiçoamento em diversas escolas de prestígio, como a Escuela Superior de Música Reina Sofia em Madrid, a Northwestern University em Chicago e o Conservatório Superior de Música de Sion na Suíça. O QCM realizou estudos especializados no Instituto Internacional de Música de Câmara de Madrid, sob a orientação de Rainer Schmidt (violinista do Quarteto Hagen). Os músicos do QCM, nos seus anos de estudo, tiveram contacto com membros de vários quartetos destacados do panorama internacional, nomeadamente dos quartetos Alban Berg, Hagen, Lasalle, Emerson, Melos, Vermeer e Kopelman. Todos os seus membros receberam prémios em Portugal e no estrangeiro individualmente e em música de câmara. Todos obtiveram o 1º lugar no mais prestigiado concurso de música nacional - Prémio Jovens Músicos / Antena 2 - e destaca-se o prémio obtido no 1º Concurso Internacional de Música de Câmara de Alcobaça em 2009.
Atualmente o Quarteto desenvolve uma temporada regular de concertos em Matosinhos, onde apresenta uma série de projetos inéditos no país: além de integrais dos quartetos de Haydn, Mozart, Beethoven, Mendelssohn e Schumann, assume especial importância na promoção e divulgação do património musical português e estreia de obras de compositores portugueses. O Quarteto tocou e estreou já obras de Carlos Azevedo, Fernando Lapa, Vasco Mendonça, Miguel Azguime, Nuno Corte-Real, Eurico Carrapatoso, Clotilde Rosa, Christopher Bochmann, António Chagas Rosa, Álvaro Salazar, Luís Tinoco, João Pedro Oliveira, Carlos Guedes, Alexandre Delgado, Eduardo Patriarca, Telmo Marques e António Pinho Vargas, bem como Luiz de Freitas Branco, Frederico de Freitas, Armando José Fernandes e Luís Costa. 
Em 2014/15, foi escolhido como um dos ECHO Rising Stars, realizando uma digressão de 16 concertos em algumas das mais importantes salas de concerto europeias. O QCM colabora com alguns dos mais destacados músicos portugueses, como Carlos Azevedo, o violoncelista Paulo Gaio Lima, os clarinetistas Carlos Alves, António Saiote e Bruno Graça e os pianistas Pedro Burmester, António Rosado, Miguel Borges Coelho e Elsa Silva; apresenta-se também nas maiores salas de concerto e eventos portugueses, tendo realizado concertos nos Dias da Música do CCB, Casa da Música do Porto, nos Festivais de Música de Espinho, Póvoa de Varzim, Óbidos, Paços de Brandão, Festival de Música Viva e Festival Vertigem Sonora em Santiago Compostela.






Fotos Jorge Carmona / Antena 2