Ouvir
Império dos Sentidos
Em Direto
Império dos Sentidos Paulo Alves Guerra / Produção: Ana Paula Ferreira

Concertos

Boris Berman | 15 Fevereiro 22h00

Grande Auditório

|

Boris Berman | 15 Fevereiro 22h00 Boris Berman | 15 Fevereiro 22h00

© Jorge Carmona / Antena 2



Auditório Municipal da Casa da Música de Óbidos
Gravação em 14 de agosto de 2017


Recital Boris Berman, piano


Programa

Johannes Brahms (1833 - 1897) 

- Peças para piano, op. 118

- Três intermezzi, op. 119  
- Três intermezzi, op. 117 
- Fantasias, op. 116 


Apresentação: Reinaldo Francisco 
Produção: Alexandra Louro de Almeida / Cristina do Carmo / Zulmira Holstein





Boris Berman nasceu em Moscovo e estudou no Conservatorio Tchaikovsky de Moscovo com o grande pianista Lev Oborin, tendo obtido as mais altas classificações em piano e cravo. Apresentou-se em público por toda a União Soviética tanto como solista como com numerosas orquestras, incluindo a Filarmónica de Moscovo e a Orquestra de Câmara de Moscovo.
Em 1973 abandonou uma carreira brilhante emigrando para Israel, onde se tornou rapidamente o intérprete de teclado mais procurado, assim como uma das personalidades musicais de maior peso. Atualmente reside nos Estados Unidos da América.
Foi o director fundador das séries de concertos Music Spectrum em Israel (1975-84) e de Yale Music Spectrum (1984-97), aplaudidas pela crítica pelos seus programas inovadores.
Como executante de musica de câmara apresentou-se em numerosos concertos e festivais, entre outros com Misha Maisky, Heinz Hollinger, Aurele Nicolet, Shlomo Mintz, Gyorgy Pauk, Ralph Kirshbaum, Frans Helmerson, Natalia Gutman, Tokyo Quartet, Vermeer Quartet, o Nederlands Wind Ensemble e muitos outros.
Pedagogo de envergadura internacional, Boris Berman lecionou em escolas de prestígio tais como Indiana (Bloomington), Universidades de Brandeis e Tel-Aviv; presentemente dirige a seção de piano da Yale School of Music (USA). Participa também em masterclasses em todo o mundo.
Fundou e dirigiu o Yale Summer Piano Institute (1990-1992) e o International Summer Piano Institure em Hong-Kong (1995-1997).
Boris Berman tem uma habilidade especial em reconhecer jovens talentos, razão pela qual tem sido convidado a participar em júris de concursos tais como Leeds, Dublin e o concurso Artur Rubinstein em Tel Aviv.
No seu livro "Notas de um Pianista" publicado pela Yale University Press, B. Berman baseia-se na sua larga experiencia como pianista e pedagogo dissertando sobre a técnica e interpretação do piano. Esta obra foi traduzida para vários idiomas, dando conferências e palestras sobre estes temas.
As suas gravações para Philips, Deutsche Gramophon Gesellschaft e Melodia, unanimemente aplaudidas, foram completadas por 2 CDs com todas as sonatas para piano de Alexander Scriabin e um recital de obras para piano de Chostakovitch – galardoado com o prémio Edison clássico holandês. Foi o primeiro pianista a levar a cabo o projeto de gravação de todas as obras para piano solo de Prokofieff, iniciando-o com a gravação dos 3 concertos para piano e orquestra com o Royal Concertgebouw Orchestra. Gravou também obras de Debussy, Stravinsky e Schnittke e musica de câmara de Janacec.
Já se apresentou em mais de quarenta países, acompanhado pela Royal Concertgebow Orchestra, Philarmonia de Londres, Sinfónica de Toronto, Filarmónica de Israel, Orquestra de Minnesota, Sinfónica de Detroit, Sinfónica de Houston, Sinfónica de Atlanta, Filarmónica de São Petersburgo e a Royal Scottish Orchestra. Também se apresentou nos mais variados recitais e festivais, tais como o de Malboro, Waterloo, Bergen, Ravinia e o Festival de Israel, para nomear apenas alguns.
O seu vasto reportório fica patente nas suas últimas gravações: «Debussy for Children», obras para piano preparado de John Cage; os quintetos para piano de Chostakovitch e Schnittke com o Quarteto Vermeer; ragtime de Scott Joplin e as Sequenzas para piano de Luciano Berio.




Fotos de Jorge Carmona / Antena 2 RTP
aquando de uma Masterclass no SIPO 2017