Ouvir
Caleidoscópio
Em Direto
Caleidoscópio MÚSICA E PANDEMIAS

Concertos

Cláudia Pereira Pinto & João Lucena e Vale | 12 Abril | 19h00

Antena 2 | Música da Primavera | Online

|

Cláudia Pereira Pinto & João Lucena e Vale | 12 Abril | 19h00 Cláudia Pereira Pinto & João Lucena e Vale | 12 Abril | 19h00

Festival Internacional de Música da Primavera de Viseu

12 Abril | 19h00

Transmissão pela Antena 2

a partir da Aula Magna do Instituto Politécnico de Viseu 
Concerto Online


Cláudia Pereira Pinto & João Lucena e Vale

Cláudia Pereira Pinto, canto
João Lucena e Vale, piano


Programa

Francisco de Lacerda (1869-1934)
1 – Em cima do alto monte
2 – Desde que os cravos e rosas
3 – Inda que o lume se apague
4 – Quem tiver filhos pequenos
5 – A alegria dos meus olhos
6 – Este mundo é uma vinha
7 – Amar, mas saber amar
8 – Triste de quem tem amores
9 – Tenho tantas saudades
10 – Não morreu nem acabou
11 – Ó fonte que estás chorando
12 – Mal-me-queres, bem-me-queres
13 – Não me tragas no sentido
14 – O meu amor enjeitou-me
15 – É ter arte não falar
16 – Os meus olhos não são olhos
17 – O amor que me traz presa
18 – Os meus olhos nos teus olhos
19 – O amor é como a sombra
20 – Quero cantar, ser alegre
21– Eu sou sombra, tu és sol (I)
22 – Meu amor, quando morreres
23 – Quem me dera ser a hera
24 – Eu sou sombra, tu és sol (II)
25 – Ó minha alma tão ferida
26 – Se eu soubesse que voando
27 – Meu coração tem três portas
28 – Pelos caminhos da vida
29 – Ando triste como a noite
30 – A mulher do meu vizinho
31 – Não te rias de quem chora
32 – De tantas dores sem razão
33 – Eu queria, tu querias
34 – Quando tu abres os olhos (I)
35 – O teu andar é tão leve
36 – Quando tu abres os olhos (II)


As Trovas de Francisco de Lacerda são uma das obras mais emblemáticas do repertório português para canto e piano. Representam simultaneamente a herança do romantismo e a modernidade crescente, a procura da
tradição popular associada à erudição, baseadas em pequenas quadras ou versos de carácter popular, alguns escritos pelo próprio compositor. 
Raramente apresentada na sua totalidade, neste recital será interpretada a integral da obra, homenageando ainda os 150 do nascimento do autor, celebrados no ano passado.



Transmissão direta
Apresentação: João Almeida
Produção: Anabela Luís



Cláudia Pereira Pinto, soprano, e João Lucena e Vale, pianista, encontraram-se musicalmente em 1995, na produção da ópera infantil O Cábula de Corrêa de Oliveira, levada a cabo pelo Círculo Portuense de Ópera.
Desde então, nasceu entre os músicos, uma genuína cumplicidade artística e pessoal, que com os anos cresceu, amadureceu e se consolidou, através da contínua abordagem de um vasto leque de repertório, específico para canto e piano, apresentado ao longo dos anos, em inúmeros recitais em diversas localidades (Porto, Lisboa, Aveiro, Óbidos, Sesimbra, Arouca, entre outros), concursos e gravações, entre as quais se destacam os CD’s Canções de Évora de Amílcar Vasques Dias e mais recentemente, com o apoio da Fundação GDA, as Trovas de Francisco de Lacerda.
É ainda de realçar a sistemática apresentação e divulgação da música portuguesa, nomeadamente com a estreia absoluta de obras de compositores contemporâneos portugueses.


Cláudia Pereira Pinto | Natural da cidade do Porto e licenciada em Psicologia pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto.
Discípula de Isabel Mallaguerra, estudou no Conservatório de Música do Porto, na Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Porto, terminando a licenciatura em Canto na Escola Superior de Música de Lisboa, na classe de Elsa Saque, com a máxima classificação.
Frequentou vários cursos de aperfeiçoamento de técnica e interpretação, em Portugal e na Áustria, nomeadamente com Rudolph Knoll, Marimí del Pozo e Dalton Baldwin. Integrou os elencos de várias óperas, mas tem orientado maioritariamente a sua atividade para o repertório de concerto e recital, nomeadamente oratória e lied e mélodie, interpretando obras do grande repertório para soprano
Tem-se dedicado à divulgação de obras de compositores portugueses, tendo apresentado várias estreias absolutas de canções de compositores contemporâneos como Fernando Lapa, Carlos Azevedo, Sérgio Azevedo, Carlos Marecos, Amílcar Vasques Dias, entre outros. Gravou vários CDs com obras de compositores portugueses.
Foi premiada em vários concursos de canto, nacionais e internacionais.


João Lucena e Vale | Iniciou os estudos de piano aos seis anos, tendo concluído o Curso Geral do Conservatório de Música do Porto. É licenciado pela Universidade de Aveiro onde trabalhou com os professores Olga Prats, Madalena Soveral e Vitalij Dotsenko.
Estudou na École Normale de Musique de Paris com Marian Rybicki, onde obteve os diplomas de Piano e Música de Câmara, nos níveis de Ensino, Execução e Concertista. Participou em várias masterclasses, com os professores Dalton Baldwin, Jean Fassina, Helena Sá e Costa, Mikhail Voskresensky e Chow Ching Lie. 
Atua regularmente como solista, em grupos de Música de Câmara e Corais, tanto em Portugal como no estrangeiro (Brasil, Marrocos, Espanha, Hungria, Bélgica, Países Baixos, Suíça, França, Dinamarca), contribuindo para a divulgação da música portuguesa, estreando e interpretando obras de compositores portugueses. Colabora com algumas das principais instituições culturais do país, como a Fundação Calouste Gulbenkian, o Teatro Nacional de São Carlos e a Casa da Música.
Colabora regularmente com o Coro Infantil da Universidade de Lisboa, apresentando-se no país e estrangeiro, com o qual gravou um CD com canções de Delfina Figueiredo, sendo responsável por alguns dos arranjos. Recentemente participou num CD com o saxofonista Bernardo Matias dedicado à música contemporânea portuguesa. 
Atualmente é professor de Piano no Conservatório Nacional de Música de Lisboa.