Ouvir
Vale a Pena Ouvir
Em Direto
Vale a Pena Ouvir Reinaldo Francisco

Concertos

David Lloyd e Bernardo Santos | 21 Outubro | 19h00

Museu do Oriente

|

David Lloyd e Bernardo Santos | 21 Outubro | 19h00 David Lloyd e Bernardo Santos | 21 Outubro | 19h00

© Lauren Maganete


Temporada Concertos Antena 2

21 Outubro | 19h00
Entrada gratuita
(+ info aqui)


David Lloyd e Bernardo Santos

David Lloyd, violino
Bernardo Santos, pianista


Programa

Edvard GriegSonatas para violino e piano

Sonata Nº 2, Op. 13
  I. Lento doloroso – Allegro vivace
  II. Allegretto tranquillo
  III. Allegro animato

Sonata Nº 3, Op. 45
  I. Allegro molto ed appassionato
  II. Allegretto expressivo alla romanza
  III. Allegro animato



Transmissão direta
Apresentação: Pedro Ramos
Produção: Anabela Luís



David Lloyd | Doutorado pela Universidade de Sheffield, em Inglaterra, iniciou os estudos superiores em 1981, no Royal College of Music em Londres. Durante o período em que frequentou esta instituição superior foi galardoado com vários prémios a solo e música de câmara. Prosseguiu os estudos com Peter Schidlof, do Quarteto Amadeus, e participou em masterclasses na Cornualha. 
Enquanto solista, tem tido uma carreira profissional intensa, tendo-se apresentado em recital por toda a Grã Bretanha, assim como em Portugal, Estados Unidos, Rússia, Inglaterra, Noruega e Espanha. A nível de música de câmara, destacam-se os recitais com o Quarteto do Porto, Quarteto Camões, Quarteto Lyra, Khora, Performa e Portotango Ensemble, tendo gravado com o Quarteto Lyra, Quarteto do Porto e Portotango Ensemble. 
Enquanto membro de orquestras, David Lloyd tocou com as principais orquestras de Londres, tais como a Orquestra Sinfónica da BBC, London Philharmonic, Royal Philharmonic, entre outras, colaborando em cinema e televisão e assinando várias gravações. Durante a sua estada em Londres, tocou com inúmeros maestros, entre os quais Klaus Tennstedt, Christoph von Eschenbach, Bernard Haitink, Pierre Boulez, Sir John Pritchard, Vladimir Ashkenazy, Zubin Mehta, Günter Wand, Sir Simon Rattle, Guiseppe Sinopoli, Sir Andrew Davis, Sir Colin Davis, Gennady Rozhdestvensky, Alexander Lazarev e Essa Pekka Salonen, entre outros. Tocou em palcos de grande prestígio como o Albert Hall, Festival Hall, Barbican Centre (Londres), Philharmonie de Berlim, Concertgebouw, Ópera de Paris, La Scala, Musikverein e Gewandhaus. 
Foi maestro titular da Orquestra Clássica do Centro, sendo atualmente maestro honorário desta orquestra. Na sequência da deslocação da OCC a Cabo Verde, foi-lhe atribuído pelo Ministro da Cultura daquele país o título de Maestro Honorário Vitalício da Orquestra Nacional de Cabo Verde. 
Desde 1996 que leciona na Universidade de Aveiro e na Escola Superior de Artes Aplicadas, contando já com dezenas de alunos premiados em inúmeros concursos.




Bernardo Santos | É um dos pianistas mais ativos da sua geração. Ao longo dos últimos anos, Bernardo teve a oportunidade de se apresentar em concerto em quatro continentes, em salas como a Casa da Música, Convento de São Francisco, Teatro Aveirense e Teatro Rivoli em Portugal; Sala Cecília Meireles, Teatro Amazonas e Palácio das Artes no Brasil; Fairfield Halls, Royal Albert Hall e St. James Piccadilly Church em Londres, National Concert Hall e Tonhalle Düsseldorf, entre outras. Além disso, foi convidado para vários festivais na Europa, América do Sul e Ásia. 
Como solista convidado, Bernardo Santos teve a oportunidade de partilhar o palco com a Orquestra Sinfónica de Minas Gerais, Orquestra de Câmara do Amazonas, Vidin State Philarmonic Orchestra, Orquestra Clássica do Centro, Orquestra Filarmonica das Beiras, entre outras, tendo tocado sob direção de maestros como António Vassalo Lourenço, Artur Pinho Maria, Bruno Martins, Charles Gambetta, David Wyn Lloyd, Hilo Carriel, Kira Omelchenko, Marcelo de Jesus, Miguel Campos Coelho e Sílvio Viegas. 
Tem conciliado a sua carreira artística com investigação em música portuguesa do século XX, sendo responsável pela edição crítica e de obras de Berta Alves de Sousa e Frederico de Freitas. A sua pesquisa atual foca-se na música para piano do compositor Ruy Coelho. Recentemente, Bernardo foi responsável por ministrar masterclasses em diversas escolas e universidades no Brasil e Portugal. 
Mantém uma carreira de música de câmara bastante ativa, tendo trabalhado com António Chagas Rosa, Eugene Asti e Martino Tirimo e colaborado com artistas como André Lacerda, David Wyn Lloyd, Diana Rodriguez Vivas, Diego Caetano, Liana Branscome, Olga Argo, Svetlana Rudenko e o Quarteto Belém. Participou também no projeto “Curtas” do guitarrista e compositor Israel Costa Pereira, culminando na gravação de um CD. 
Frequenta atualmente o Programa Doutoral em Música (Performance) na Universidade de Aveiro. Formado pelo Trinity Laban Conservatoire of Music and Dance (Londres), Conservatori del Liceu (Barcelona) e pela Universidade de Aveiro (Prémio Município de Aveiro), Bernardo Santos estudou com Deniz Arman Gelenbe, Josep Colom, Álvaro Teixeira Lopes e Klara Dolynay. Durante os seus estudos, foi bolseiro do Trinity Laban (Trinity College London Scholar), da Fundação GDA e da Fundação Dionísio Pinheiro e Alice Cardoso Pinheiro.