Ouvir
Quinta Essência
Em Direto
Quinta Essência João Almeida

Concertos

Ensemble Med | 26 Maio | 19h00

Museu do Oriente

|

Ensemble Med | 26 Maio | 19h00 Ensemble Med | 26 Maio | 19h00

© Jorge Carmona / Antena 2


Temporada Concertos Antena 2

26 Maio | 19h00
Entrada gratuita
(+ info aqui)    


Ensemble Med


Daniela Tomaz, direção artística, flautas e adufe 
Mariana Fabião, canto 
Sérgio Calisto, viola d’amore a chiavi e moraharpa 
Laurent Sauron, percussão histórica






Programa

Diálogo Interculturas no Mediterrâneo Medieval

I Ocidente/Oriente legado sefardita
“A los baños dell amor, sola m’ire”

A los Baños dell Amor
Cancionero Musical del Palacio, Biblioteca del Palacio Real, Madrid circa 1470/1520

Si Verías A La Rana
Canção Tradicional Sefardita, c. séc. XV, recolhida por Moshe Shaul, 1929-

“Porque Llorax blanca niña”, “Morenica a mi me llaman”[Instrumental] e “Morena Me Llaman”
Romances in Cancioneiro Sefardita Espanhol (1510)


II A Oriente: Turquia
“Va por el mar de Levante, Tal que temblaba Turquía”

Makam Rast «Murass’a» Usul Duyek [Instrumental]
Tradicional Turca, Manuscrito Dimitri Cantemir (1673-1723)

Üsküdar’a Gider İken
Tradicional Turca / Melodia Diáspora Sefardita


III A Ocidente: Cantigas da virgem e da terra
“O virgo splendens”

Nembresette, Madre de Deus
Cantiga de Santa Maria 421, Alfonso X

Flavit auster flatu [Instrumental]
Codex Huelgas

Par Deus, non e mui sen guisa
Cantiga de Santa Maria 316, Alfonso X

Cantiga de Ceifa [instrumental]
Tema Tradicional Penha Garcia/Portugal
[recolha de Michel Giacometti em Penha Garcia Idanha-a-Nova, Castelo Branco, Portugal, 1970]

Coro das Maçadeiras
canto de trabalho de Póvoa de Lanhoso - PT
[Cancioneiro Minhoto de Gonçalo Sampaio 1943]

Senhora do Almurtão
Tema Trad.Beira-Baixa/Portugal
[Recolhido por Rodney Gallop], (1960)

Cantiga de Santa Maria 105, 249, 77, 119
Alfonso X [Instrumental]

Rosa das Rosas
Cantiga de Santa Maria 10, Alfonso X





Transmissão direta
Apresentação: Pedro Ramos
Produção: Anabela Luís,Cristina do Carmo



Ensemble Med [med: mediterrâneo/medieval] | Nasceu em 2012 no seio do Departamento de Música Antiga da Hogeschool voor de Kunsten Utrecht, e dedica-se ao património musical de raiz medieval, tanto na música escrita como na tradição oral. Tem-se apresentado regularmente ao público, nos Países Baixos, Portugal e Geórgia, com diversas formações, destacando músicos como Yenisey Gomez (canto), Rui Silva (percussões históricas), Didier François (viola d’amore a chiavi) e mais recentemente, Mauricio Molina (investigação e percussão medieval).
Ganha novo fôlego em 2018/2019, com o projeto “Diálogo Interculturas no Mediterrâneo Medieval”, cofinanciado pelo Ministério da Cultura de Portugal / Direção Geral das Artes, com concertos na Feira da Dieta Mediterrânica em Tavira, Igreja Matriz de Monsanto em Idanha-a-Nova, Casa da Música no Porto e Festival Percursos da Música em Ponte de Lima.
Organiza, desde Novembro 2019, em parceria com o Município de Idanha-a-Nova, um encontro anual de artistas da Bacia do Mediterrâneo, que homenageiam o património musical de raiz Mediterrânica e/ou Medieval, de raiz escrita e oral, em particular com a tradição dos adufes (pandeiros quadrados). Para a 2ª Edição em Novembro 2020, e na sequencia da pandemia global, o encontro reduz o seu formato, adaptando ao espaço virtual, propondo uma residência artística de criação com a perspética histórica interpretativa de Maurício Molina (Curso Medieval de Besalu / City University of New York) e o músico José Alberto Gomes (Sonoscopia / Porto), propondo um novo olhar sobre a obra medieval O Canto da Sibila, na tradição das sibilas, com o texto em latim “Judicii Signum: tellus sudore madescet”.
Em 2020, apresentam-se com novo percussionista, Laurent Sauron, com concertos no Festival Internacional de Guitarra de Lagoa e Dias d’As Virgens Negras, Vila do Bispo, Setembro 2020. Prepararam um projeto único com o mestre da Gaita Galega Carlos Nuñez, sobre Cantigas Sacras Galaico-Portuguesas, onde exploram o universo das Cantigas de Santa Maria, de Alphonso X, estreado dia 11 de Outubro 2020, na Catedral de Tui, no âmbito do International Keyboard Festival [IKFEM] Tui, Galiza.
Para 2021, têm prevista circulação nacional e internacional do projeto Diálogo Interculturas no Mediterrâneo Medieval, apresentando-se no Museu do Oriente, Lisboa (Concerto Antena 2), Lisboa; Casa de Portugal | André de Gouveia da Cité Internationale Universitaire de Paris, França; Fusos - Festival de Fusões Artísticas, Alte, Loulé; Sinagoga Bet Israel em Esmirna [Turquia], em parceria com a Embaixada de Portugal em Ancara e The Jewish Community Foundation of Izmir; Terras de Sefarad em Bragança [Portugal] e Gaia World Music / curadoria Galandum Galundaina.




Daniela Tomaz | Inicia os seus estudos musicais em 1990 no Conservatório Regional de Gaia como bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian. Em 2008 prossegue com os estudos musicais no Departamento de Música Antiga da Hogeschool voor de Kunsten Utrecht (HKU), Países Baixos, sob orientação de Heiko ter Schegget em Flauta de bisel e Wilbert Hazelzet em Traverso, graduando-se em Abril de 2012 Cum Laude. 
De 2012 a Março 2018, desenvolve actividade de Direção Artística na Academia da Música de Lagos, coordenando vários projetos, e.g. Ciclo de Música Antiga Sons Antigos a Sul (2015-2017). 
Como música freelancer, dirige projectos de música historicamente informada e.g. Ensemble Med, Na Rota do Peregrino e La Mar de la Música, com atuações em Portugal, Espanha, França, Itália, Países Baixos, Geórgia, México e Portugal. 
É também licenciada em Arquitetura pela Universidade do Porto desde 2005, tendo escrito a sua tese final “Arquitectura e Acústica: o Espaço Sinestético”, do qual obteve 19 valores. 
Dirige e interpreta, desde 2017, (n)os Encontros de Música Medieval de Ponte de Lima, em parceria com Maurício Molina (City University of New York), com apoio da Direção Regional. de Cultura do Norte e Fundação GDA. 
Membro fundador d'O Corvo e a Raposa Associação Cultural, desde 2017, com quem dirige e promove projetos culturais. É consultora cultural do Município de Famalicão e Ginasiano Escola de Dança desde 2018 e Kale Companhia de Dança / Armazém22 desde 2019.




Mariana Fabião | Natural do Porto, nasceu em 1991. Iniciou os seus estudos musicais no Conservatório de Música do Porto onde concluiu o curso de canto, sob orientação de Palmira Troufa, e o curso complementar de contrabaixo, com a classificação máxima, na classe de Jean-Marc Faucher. Prosseguiu os seus estudos na Escola Superior de Música e das Artes do Espectáculo, tendo terminado a licenciatura em canto, como aluna de António Salgado. Ao abrigo do programa Erasmus, estudou no Pole Supérieur de Paris Boulogne Billancourt, na classe de Anne Constantin, com quem prolongou os seus estudos. Atualmente, continua o seu trabalho de aperfeiçoamento vocal sob orientação de Myriam de Aranjo. 
Foi laureada em vários concursos, entre os quais se destacam os primeiros prémios do Prémio Casa da Música/CMP 2011 e do Prémio do IV Concurso Nacional de Canto dos Conservatórios Oficiais de Música. Como representante de Portugal nas Olimpíadas da Língua Turca 2009, obteve a medalha de bronze. 
Versatilidade e ecletismo são caraterística desta Soprano. No campo da música clássica, apresenta-se regularmente enquanto solista e em formação de música de câmara, nomeadamente com o guitarrista Gonçalo Cordeiro. Na música antiga integra desde Julho 2018 o Ensemble Med. 
No âmbito da divulgação da cultura lusófona em França destacam-se a colaboração com o Quarteto Jardim Jazz. Em 2020 é artista selecionada para o Apoio de Emergência Covid-19 da F. Calouste Gulbenkian.



Sérgio Calisto | Natural do Porto. É músico freelancer e professor de violoncelo. É licenciado em Educação Musical - Violoncelo, pela Universidade de Aveiro. Estudou Violoncelo com José. A. Pereira de Sousa e Jan Kuta e música de câmara com António Chagas Rosa e Fausto Neves. 
Depois de terminar os estudos de música clássica, começou a aprender o moraharpa / nyckelharpa e a tocar música folk em vários ensembles tais como MU e Mandrágora (ambos vencedores do Prémio Carlos Paredes) e música medieval com Trovas d´Amigo. 
Participou numa residência artística na Bretanha encomendada pelo FMM – Festival de Músicas do Mundo de Sines, onde estudou ensemble folk com Jacky Mollard. Na área de música improvisada trabalhou com Mark Dresser / Fred Frith e estudou Soundpainting com Walther Thompson. 
Tem participado regularmente dos Dias Internacionais de Nyckelharpa, realizados na Alemanha na AKADEMIE BURG FÜRSTENECK, onde teve a oportunidade de trabalhar com Ditte Andersson, Magnus Holmström, Emilia Amper, Marco Ambrosini, Didier François, Annette Osann, Jule Bauer e Olena Yeremenko. 
Em 2013 fez parte do projeto ENCORE - European Nyckelharpa Cooperation - ORchestral Experience - Uma orquestra de 24 nyckelharpistas de 10 países europeus. Projeto financiado pela Comissão Europeia. 
É graduado em Nyckelharpa pelo European Nyckelharpa Training na Scuola di Musica Popolare di Forlimpopoli, Itália. 
Os seus principais interesses em relação à Viola d´amore a Chiavi / Nyckelharpa são: música antiga, arranjos de música tradicional portuguesa, composição e exploração de técnicas extendidas no instrumento. 
Sérgio Calisto toca numa Viola d´amore a Chiavi especialmente desenvolvida pelo luthier Alex Pilz e uma Moraharpa construída por Leif Eriksson. 
É membro fundador do Ensemble Med desde 2013.




Laurent Sauron | Músico francês licenciado em Percussão pelo Pôle Supérieur d'Enseignement Artistique (Pôle sup'93). De formação clássica, especializa-se em Percussão Histórica frequentando estágios sob a orientação de Michel Laplénie, Christophe Coin, Roger Norrington, Leonardo Garcia Alarcon e Orquestra Barroca de Jovens Francesa (OFJB). 
Enquanto intérprete, colabora regularmente com Le Concert Spirituel, Les Arts Florissants, La Cappella Mediterranea, René Jacobs, entre outros. 
Apresenta-se com diversas formações em França e no estrangeiro, nomeadamente na Philharmonie de Paris, Opéra Comique, Opéra de Rennes, Opéra de Avignon, Opéra de Massy, Concertgebouw em Amesterdão, Bozar em Bruxelas, Philharmonie de Colónia, Japão, Coreia e Taiwan. 
Em 2019 é laureado do Concurso Internacional Van Wassenaer (Festival de Música Antiga de Utrecht), enquanto membro do ensemble de música renascentista Into the Wind. 
No mesmo ano, lança Reinas, primeiro disco do Ensemble El Sol, ensemble dedicado à música barroca espanhola e sul americana dos séculos XVII e XVIII.




O projeto Diálogo Interculturas no Mediterraneo Medieval é promovido pel'O Corvo e a Raposa, com apoio da República Portuguesa / Direção Geral das Artes.




Fotos Jorge Carmona / Antena 2