Ouvir
A Força das Coisas
Em Direto
A Força das Coisas Luís Caetano

Concertos

Gonçalo Lélis e Enrique Lapaz | 16 Novembro 19h00

Sala Luís de Freitas Branco, CCB

|

Gonçalo Lélis e Enrique Lapaz | 16 Novembro 19h00 Gonçalo Lélis e Enrique Lapaz | 16 Novembro 19h00

16 Novembro | 19h00 

Sala Luís de Freitas Branco, 
Ciclo Quintas às 7

Gonçalo Lélis e Enrique Lapaz

Gonçalo Lélis, violoncelo
Enrique Lapaz, piano


Programa

Ludwig van Beethoven (1770-1827) - Sonata p/ violoncelo e piano nº 4 em dó maior, op.102, nº1
   Andante – Allegro vivace
   Adagio – Tempo d'andante – Allegro vivace

Ígor Stravinsky (1882-1971) - Suite italienne 
Introduzione
Serenata
Aria
Tarantella Minuetto e Finale

Serguei Prokofiev (1891-1953) - Sonata p/ violoncelo e piano em dó maior op. 119
Andante grave
    Moderato
Allegro, ma non troppo

Bohuslav Martinu
 (1890-1959) - Variações sobre um tema de Rossini H.290



Em 1948, Sergei Prokofiev foi acusado pela doutrina cultural de Zhdanov de formalismo, o que levou a que a sua música fosse, então, banida. Um ano depois, compôs a sua Sonata para violoncelo e piano em Dó maior, op. 119, mesmo sem ter a certeza de a mesma vir a ser interpretada em público. A par desta sonata, o recital de Gonçalo Lélis e Enrique Lapaz integra a Sonata para violoncelo e piano nº 4, em Dó maior, op. 102 n1 de Beethoven, composta entre 1812 e 1817, numa altura em que o compositor atravessava duras dificuldades, provenientes de a sua surdez se estar a tornar cada vez mais profunda. Do recital fazem ainda parte a Suite Italienne, retirada da música que compôs para o ballet de Pergolesi, Pulcinella, e Variações sobre um tema de Rossini, de B. Martinu.



Transmissão direta
Realização e Apresentação: André Cunha Leal
Produção: Anabela Luís




Gonçalo Lélis Nasceu em 1995 em Aveiro, iniciando os seus estudos musicais no Conservatório de Música desta cidade na classe de violoncelo de Isabel Boiça. Paralelamente, em 2009 começou a ser orientado por Pavel Gomziakov. Em 2013 é admitido na prestigiada Escuela Superior de Musica Reina Sofia em Madrid, onde estudou com Natalia Shakhovskaya e Ivan Monighetti até 2016. Terminou a Licenciatura na Universidade do Minho na classe de Pavel Gomziakov. Frequentou master classes com Natalia Gutman, Heinrich Schiff, Truls Mork, Gary Hoffman, Lluis Claret, Maria de Macedo, Ralph Gothoni, Valentin Erben, Wolfgang Emanuel Schmidt, entre outros. Em orquestra tocou sob a batuta de maestros como Andras Schiff, Peter Eotvos, Stefan Lano, Jesus Lopez-Cobos ou Josep Pons. É membro do Trio Ramales, apresentando-se regularmente em concertos por toda a Espanha e participando em diversos festivais (“Primer Auditorio” do Auditório Nacional em Madrid, “Sierra Musical”, “Festival Internacional de Torroella de Montgrí”, entre outros). Em 2015 obteve o primeiro prémio no concurso Prémio Jovens Músicos na categoria violoncelo nível superior, assim como o Prémio União Europeia dos Concursos Musicais para Jovens (EMCY), em 2016 o primeiro prémio no Concurso Vasco Barbosa e em 2017 o 1º Prémio no Concurso Internacional de Música da Cidade do Fundão, na categoria “Violoncelo – nível superior”; em música de câmara foi laureado em concursos como o “Concurso Internacional de Música de Câmara de Ecoparque de Trasmiera” (1º prémio) e no “Concurso Internacional de Música de Câmara Anton García Abril” (2º prémio e prémio para a melhor interpretação de uma obra espanhola). Como solista apresentou-se a solo com a Orquestra Filarmonia das Beiras, Orquestra Sinfónica Portuguesa e Orquestra Gulbenkian. É bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian.


Enrique Lapaz Lombardo
 Nasceu em Valencia em 1988. Inicia os seus estudos musicais aos 7 anos com Joseph Mardon. Licenciou-se na Escuela Superior de Música de Cataluña (ESMUC), na classe de Leonid Sintsev e posteriormente na de Rafael Salinas. Continua os seus estudos com Nina Seregina no Conservatório Rimsky-Korsakov em S. Petersburgo. Estuda desde de 2014 com Dmitry Bashkirov e Denis Lossev na Escuela Superior de Música Reina Sofia, tendo recebido o prémio de aluno mais destacado da sua classe no ano letivo de 2014/15 e 2015/16. Foi vencedor do XVII Concurso Internacional de Piano de San Sebastián e do XXII Concurso Internacional “Ricard Viñes”. Foi também laureado no Concurso Internacional de Piano de Valencia “Prémio Iturbi” e no Concurso Internacional “Sergey Prokofiev” em S. Petersburgo. Como solista, tocou com a Orquestra Valencia, Orquestra Filarmónica da Universidade de Alicante, Orquestra da Capella de S. Petersburgo. Participa em inúmeros ciclos e festivais internacionais, como no ciclo “Jovens Intérpretes de Música de Câmara” do Auditório Nacional de Madrid, no “XIX Festival Internacional de Música Evgeny Mravinsky” (Estónia), no “XI e XII Festival Internacional Sergei Oskolkov e amigos” na Rússia e no “XXVII Festival Internacional da Catedral de Sofia”, na Bielorússia. É membro do Trio Syrah, que lançou o primeiro CD: “De Tres en Tres”, com obras de Piazzolla, Bruch e Brahms.