Ouvir
Vibrato
Em Direto
Vibrato Pedro Rafael Costa

Concertos

João Roiz Ensemble, António Rosado e Carisa Marcelino | 12 Abril 21h00

Festival da Primavera de Viseu

|

João Roiz Ensemble, António Rosado e Carisa Marcelino | 12 Abril 21h00 João Roiz Ensemble, António Rosado e Carisa Marcelino | 12 Abril 21h00

Festival da Primavera    
Viseu | 6 a 28 Abril    

12 Abril | 21h00
Transmissão em direto
a partir do Clube de Viseu


João Roiz Ensemble, António Rosado e Carisa Marcelino

Violinos - Vasken Fermanian e João Mendes
Viola de Arco - João Pedro Delgado
Violoncelo - Ricardo Mota
Contrabaixo - Hugo Monteiro
Piano - António Rosado
Acordeão - Carisa Marcelino 

 
Programa

Richard Galliano (1950) - "Opale Concerto", para acordeão solo e cordas

César Franck (1822-1890) - Quinteto com Piano em Fá menor, op. 34



Transmissão direta
Realização e Apresentação: João Almeida
Produção: Ana Paula Ferreira


João Roiz Ensemble é um grupo de música de câmara de atividade profissional regular, atualmente residente do Município de Castelo Branco, que se tem apresentado com alguns dos mais destacados solistas nacionais e internacionais, tais como António Rosado, Dejan Ivanovic, Marina Pacheco, Natalia Riabova, Filipe Quaresma ou Jan Wierzba. O seu disco “Cantiga Partindo-se” foi acolhido com grande entusiasmo pela crítica e pelos públicos. Nas últimas temporadas tem-se apresentado em dezenas de concertos explorando o grande repertório camerístico dos séculos XVIII a XXI.


Carisa Marcelino, realizou os seus estudos musicais no Conservatório Regional e na Escola Superior de Artes Aplicadas de Castelo Branco, na qual recebeu várias distinções de mérito. Participou em diversas masterclasses de acordeão, nomeadamente com Peter Soave, Vladimir Zubitsky, OlegSharov, Viatcheslav Semionov, Cláudio Jacomucci, Paulo Jorge Ferreira, VojinVasovic e MikaVäyrynen.
Premiada em diversos concursos nacionais e internacionais, tais como, 1º prémio no VII Troféu Nacional de acordeão(Alcobaça/2001); 1º prémio no 1º Concurso Folefest (Castelo Branco/2007); 1º prémio no Concurso Folefest na categoria de música de câmara (Castelo Branco/2007); 1º prémio na Coupe Mondiale na modalidade de música de câmara (Asker,Noruega/2006); 2º prémio no II Concurso Ibérico (Alcobaça/1997); 2º Prémio em música de câmara, nível superior, na 19ª e 20ª edição do Prémio Jovens Músicos da Antena 2 / RTP (Lisboa/2005, 2006); 2º prémio no “Concorsi Internazionali di Musica del la Val Tidone”, em música de câmara (Itália/2006); 5º prémio Coupe Mondiale (Castelo Branco/2005); Prémio de Mérito Ensino Magazine 2006; Bolseira do Grupo Lena 2001.
Além da sua carreira solística e camerística, também alargou o seu trabalho com orquestra, com a Sinfonietta de Lisboa, Camerata Nov’Artee a Orquestra Nacional do Porto, trabalhando com os maestros Vasco Pearce de Azevedo, Martin André, Luís Carvalho e Baldu rBrönnimann.
O seu percurso académico e profissional levou-a a percorrer vários países como Brasil, Perú, Colômbia, México, Inglaterra, Noruega, China, Suécia entre outros.
Em 2006 com o (Des)Concertante Trio, do qual é membro fundador,foi considerada “Figura da Semana”, pelo Jornal Público e distinguida como “Figura Jovem do Ano”, pela Gazeta do Interior. Recebeu em 2007 o louvor atribuído pela Câmara Municipal de Castelo Branco.
Atualmente é docente do Conservatório de Música de S. José da Guarda, Conservatório Regional de Castelo Branco e Escola Profissional de Artes da Beira Interior. Enquanto docente já conta com alguns alunos premiados em concursos nacionais.
É membro do grupo de música contemporânea “Síntese” e membro fundador do Bayan Quartet, nos quais já estreou diversas obras que incluem acordeão. Em 2015 estreou algumas obras portuguesas com o (Des)Concertante Duo (acordeão e clarinete), no Congresso Internacional de Clarinete, que se realizou em Madrid.
Gravou dois CDs com a cantora Teresa Salgueiro, com a qual tem realizado inúmeros concertos por todo o mundo.


António Rosado
 tem uma carreira reconhecida nacional e internacionalmente, corolário do seu talento e do gosto pela diversidade, expressos num extenso repertório pianístico que integra obras de compositores tão diferentes como Georges Gershwin, Aaron Copland, Albéniz ou Liszt. Esta versatilidade permitiu-lhe apresentar, pela primeira vez em Portugal, destacadas obras como as Sonatas de Enescu ou paráfrases de Liszt, sendo o primeiro pianista português a realizar as integrais dos Prelúdios e também dos Estudos de Claude Debussy. No registo dos recitais pode incluir-se também a interpretação da integral das sonatas de Mozart.
Atuou em palco, pela primeira vez, aos quatro anos de idade. Os estudos musicais iniciados com o pai tiveram continuidade no Conservatório Nacional de Música de Lisboa, onde terminou o curso Superior de Piano, com vinte valores. Aos dezasseis anos parte para Paris, e aí vem a ser discípulo de Aldo Ciccolini no Conservatório Superior de Música e nos cursos de aperfeiçoamento em Siena e Biella (Itália).
Em 1980, estreou-se em concerto com a Orchestre National de Toulouse, sob a direcção de Michel Plasson e desde essa data tem tocado com inúmeras orquestras internacionais e notáveis maestros como: Georg Alexander Albrecht, Moshe Atzmon, Franco Caracciolo, Pierre Dervaux, Arthur Fagen, Léon Fleischer, Silva Pereira, Claudio Scimone, David Stahl, Marc Tardue e Ronald Zollman. Também na música de câmara tem actuado com prestigiados músicos como Aldo Ciccolini, Maurice Gendron, Margarita Zimermann, Gerardo Ribeiro ou Paulo Gaio Lima, com o qual apresentou a integral da obra de Beethoven para violoncelo e piano.
Laureado pela Academia Internacional Maurice Ravel e pela Academia Internacional Perosi, António Rosado foi distinguido pelo Concurso Internacional Vianna da Motta e pelo Concurso Internacional Alfredo Casella de Nápoles. Estes prémios constituem o reconhecimento internacional do seu virtuosismo e o impulso para uma brilhante carreira, com a realização de recitais e concertos por todo o Mundo, e a participação em diversos festivais. Na década de 90, foi o pianista escolhido pela TF1 para a gravação e transmissão de três programas – música espanhola e portuguesa, Liszt e, por fim, um recital preenchido com Beethoven, Prokofiev, Wagner-Liszt.
Em 2007, a França nomeou-o Chevalier des Arts et des Lettres.