Ouvir
Vale a Pena Ouvir
Em Direto
Vale a Pena Ouvir Reinaldo Francisco

Concertos

Mats Lidström & Ensemble Darcos | 2 Março 19h00

Instituto Superior de Economia e Gestão

|

Mats Lidström & Ensemble Darcos | 2 Março 19h00 Mats Lidström & Ensemble Darcos | 2 Março 19h00

© Jorge Carmona / Antena 2


2 Março 19h00

Auditório Caixa Geral Depósitos, 


Mats Lidström & Ensemble Darcos

Mats Lidström, violoncelo
Ensemble Darcos


Programa

Carlos Marecos
 (1963) - Oito miniaturas para violoncelo e piano

Nuno Côrte-Real (1971) - Volupia, op. 35 (para dois violoncelos e piano)

Piotr Ilich Tchaikovsky (1840-1893) - Sexteto de cordas “Souvenir de Florence”, op. 70 






Transmissão em direto

Realização e Apresentação: André Cunha Leal
Produção: Anabela Luís



Mats Lidström é um virtuoso violoncelista sueco. Foi violoncelo principal das orquestras Royal Philharmonic Orchestra e Royal Swedish Opera, entre outras, para além de conceituado solista a nível mundial.
Nascido em Estocolmo e a residir em Londres, Mats Lidström conjuga os concertos com o ensino e a composição. Como solista tocou com algumas da mais importantes orquestras mundiais, incluindo a London Symphony Orchestra, a Royal Philharmonic Orchestra, a Deutsche S. O. Berlin, a Czech Philharmonic, Dallas Symphony, RPO Stockholm e a Gothenburg S.O., tendo trabalhado com maestros como V.Ashkenazy, A.Previn, A.Litton, F.Welser-Möst, O.Kamu e L.Sergerstam.
Mats Lidström atuou nas mais prestigiadas salas como músico de câmara, tais como Wigmore Hall, Queen Elizabeth e Royal Festival Halls, Théâtre du Châtelet, Musikverein (Brahms Saal), Fundação Gulbenkian em Lisboa, Oslo University Hall, and Stockholm's Berwaldhallen. Companheiros de palco incluem Elizabeth Söderström, Anne Sofie von Otter, Nadja Salerno-Sonnenberg, Lynn Harrell, Cho-Liang Lin, Nigel Kennedy, Roland Pöntinen, Peter Jablonski, Anthony Marwoode Colin Carr.
Exerce também uma intensa atividade pedagógica na Royal Academy of Music, em Londres, e é autor de vários livros sobre o estudo do violoncelo.



Ensemble Darcos foi criado em 2002, pelo compositor e maestro Nuno Côrte-Real. O repertório do Ensemble tem como propósito a interpretação dos grandes compositores europeus de música de câmara, como Beethoven, Brahms ou Debussy, e a música de Nuno Côrte-Real; esta relação confere-lhe contornos de projeto de autor. 
Em termos instrumentais, o Ensemble Darcos varia a sua formação consoante o programa que apresenta, de duos a quintetos, até à típica formação novecentista de quinze músicos. Para o efeito convida regularmente músicos de excelência oriundos de várias regiões do globo, destacando-se, entre outros, o violoncelista Mats Lidström (solista e professor na Royal Academy of London), os violinistas Giulio Plotino (concertino da orquestra do Teatro La Fenice, em Veneza) e Giulio Rovighi (primeiro violino do quarteto de cordas italiano Prometeo), a violetista Ana Bela Chaves, ou o aclamado percussionista Miquel Bernat. 
Interpreta regularmente programas vocais, onde tem convidado alguns dos maiores cantores portugueses da atualidade, entre outros, Eduarda Melo, Luís Rodrigues, Dora Rodrigues, Lara Martins, Job Tomé ou Sara Braga Simões. 
Desde 2006 o Ensemble Darcos efetua uma residência artística no concelho de Torres Vedras, Portugal, tendo iniciado em 2008 a Temporada Darcos, série de concertos de música de câmara comentados pelos mais pertinentes músicos e musicólogos portugueses da atualidade. 
Da sua atividade concertística, destacam-se os concertos na sala Magnus em Berlim, em Outubro de 2007, na estreia, em 2008, de um vídeo de Rui Gato, Margarida Moura Guedes e Ricardo Viana, sobre a obra de Olivier Messiaen, Quarteto para o Fim dos Tempos, e na interpretação do quinteto de cordas em Dó maior de Franz Schubert, com a participação do conceituado violoncelista sueco Mats Lidström. Em Janeiro de 2012, o Ensemble Darcos interpretou o triplo concerto para violino, violoncelo, piano e orquestra de Beethoven, na famosa igreja de St. John's, Smith Square, em Londres, com direção musical de Nuno Côrte-Real; tem participado regularmente nas edições dos Dias da Música, em Belém. 
Em Janeiro de 2010, o Ensemble Darcos gravou para a Rádio e Televisão de Portugal / Antena 2 uma série de canções de Cole Porter com os cantores Sónia Alcobaça e Rui Baeta, programa apresentado em Lyon, França, em parceria com a Camerata du Rhône. O CD VOLUPIA, primeiro trabalho discográfico do grupo e inteiramente dedicado à obra de câmara de Nuno Côrte-Real, foi lançado em Outubro de 2012, pela editora Numérica. Mais recentemente, foi lançado o álbum Mirror of the soul, com obras de E. Carrapatoso, S. Azevedo, N. Côrte-Real e D. Davis (Odradek 2016).








Fotos Jorge Carmona / Antena 2 RTP