Ouvir
Coreto
Em Direto
Coreto Jorge Costa Pinto

Concertos

Obras Concertantes de José Duarte Costa | 14 Julho | 19h00

Instituto Superior Economia e Gestão

|

Obras Concertantes de José Duarte Costa | 14 Julho | 19h00 Obras Concertantes de José Duarte Costa | 14 Julho | 19h00

© Jorge Carmona / Antena 2


Temporada Concertos Antena 2


14 Julho | 19h00

Auditório do
Instituto Superior de Economia e Gestão     
Entrada gratuita


Obras Concertantes de José Duarte Costa

Aires Pinheiro, guitarra
Anna Pereira, violino
António José Oliveira, violoncelo
Nuno Oliveira, piano





Programa

José Duarte Costa (1921-2004)
 
- Festa Portuguesa (1950)
I - Chegada
II - Procissão
III – Arraial
IV – Serenata
V – Despedida

- Concerto Ibérico (1973)
I – Allegro Moderato
II - Largo
III – Allegro





Notas ao Programa

A Suite para guitarra e orquestra, intitulada Festa Portuguesa é a primeira obra, de carácter concertante, escrita por José Duarte Costa e ilustra, através do som, o ambiente de uma Romaria, onde o autor retrata a “Chegada” dos Romeiros, recorrendo a um ritmo de Chula, que simboliza a alegria e boa disposição do povo português. O toque da trompa anuncia a chamada a um novo estado de espírito, invocando o romeiro a despir-se da sua atitude profana e imbuir-se de um espírito contemplativo de fé e religiosidade, iniciando a “Procissão”, onde a o tremolo desponta da guitarra, aludindo ao fervor das ladainhas, numa autêntica Ave Maria.
Segue-se o “Arraial” que devolve o romeiro ao mundo profano, simbolizando a sua alegria de viver, através de ritmos de fandango, da gota minhota, do corridinho, do vira, do malhão e do bailarico saloio. O quarto andamento, retrata a “Serenata”, uma das maravilhas da cidade de Coimbra. O autor explora a batida rítmica, tão característica desta Douta cidade, aliando-a a uma melodia densa e quente que nos remete para o universo sonoro do Fado de Coimbra. A obra termina com a “Despedida”, que retrata, uma vez mais, recorrendo ao ritmo de Chula, a caminhada alegre dos romeiros. 
Esta obra foi composta em 1950, tendo a sua estreia decorrido no dia três de dezembro de 1967 no Teatro Rivoli, na cidade do Porto. Ouviremos esta obra na sua versão para guitarra e piano, pelo guitarrista Aires Pinheiro e pelo pianista Nuno Oliveira.



Concerto Ibérico é a obra mais extensa composta por José Duarte Costa. Trata-se de um concerto para guitarra e orquestra, que é apresentada, aqui, na sua versão para trio de guitarra violino e violoncelo pelo guitarrista Aires Pinheiro, pela violinista Anna Pereira e pelo violoncelista António José Oliveira. 
Segundo o autor, no primeiro andamento “Allegro Moderato”: “a guitarra expressa a astúcia e a sensibilidade da população da Península Ibérica, pátria de Camões e de Cervantes.” No segundo andamento “Largo”: “expressa o estilo de vida poético, incluído nos Fados e Serenatas dos estudantes de Coimbra.” Por sua vez, o terceiro andamento “Allegro”: “descreve o orgulho e o poder criativo da população Ibérica.” 
Composta em 1973, esta obra teve a sua estreia no dia dois de fevereiro de 1979, no Teatro Rivoli, na cidade do Porto.




Transmissão direta
Apresentação: Pedro Ramos
Produção: Anabela Luís, Cristina do Carmo



Aires Pinheiro | Iniciou os seus estudos musicais na Escola de Música Vasco de Gama de Fornelo. Aos catorze anos dedicou-se ao estudo da guitarra como autodidata, recebendo paralelamente aulas de solfejo e de teoria musical com Carlos Costa.
Estudou com Mário Adélio Amorim na Academia de Música de S. Pio X de Vila do Conde, concluindo o Curso Complementar de Guitarra com a classificação de vinte valores. Foi, durante cinco anos, Bolseiro da Fundação Dr. Elias de Aguiar. Obteve o 1º Prémio do Concurso Nacional de Guitarra – Legato em 1999. Licenciou-se em guitarra pela Escola Superior de Música e das Artes Espetáculo (ESMAE) sob a orientação de José Pina e obteve o grau de Mestre em Ensino da Música – especialidade de Guitarra, pela Universidade de Aveiro, sob a orientação de Paulo Vaz de Carvalho.
Paralelamente à sua atividade académica participou em Masterclasses sob a orientação dos Professores Artur Caldeira, Paulo Vaz de Carvalho, José Pina, Ken Murray, Julius Kurauskas, Gunnar Spjüth, Benjamin Verdery, Franz Haslaz, Josef Zsapka, Betho Davezac, Margarita Escarpa, Alberto Ponce e Leo Brouwer.
É regularmente convidado a orientar Masterclasses e a realizar conferências sobre temáticas relacionadas com a guitarra, bem como a integrar o Júri de Concursos Nacionais e Internacionais.
Em 2012 publicou um livro de caráter pedagógico intitulado Iniciação à guitarra, pela editora AVA, que recebeu excelentes críticas por parte de guitarristas de renome internacional, como o caso de Pedro Rodrigues, Dejan Ivanovic e Margarita Escarpa.
Atualmente integra o corpo docente do Conservatório de Música de Vila do Conde e do Conservatório Bomfim de Braga. Vários alunos seus têm sido premiados em concursos nacionais e internacionais para jovens músicos.
Frequenta o Doutoramento em Música – Área de Estudos em Performance da Universidade de Aveiro, onde prepara uma tese sobre o guitarrista português José Duarte Costa, sob a orientação de Paulo Vaz de Carvalho.
É Diretor Artístico da SIME – Semana Internacional de Música Erudita de Vila do Conde e do “sextas às sete – ciclo de concertos didáticos”.
Dirige a nível Pedagógico e Artístico, o PROFILAR – Projeto Filarmónico de Vila do Conde.
Desempenha desde 2013, o cargo de Diretor Pedagógico no Conservatório de Música de Vila do Conde.
É Formador certificado pelo Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua, para as áreas de Educação Musical e Didáticas Específicas de Música.




Anna Pereira | Natural da Polónia, provém de uma família com tradições musicais. Iniciou os seus estudos com 6 anos de idade na Escola Estatal de Música em Bydgoszcz – Polónia, e depois continuou em Liceu Estatal de Música em Varsóvia. Concluiu o Mestrado em Artes em 1998 na Escola Superior de Música da mesma cidade, na classe de Henryk Keszkowski (violino) e de Zbigniew Frieman (música de câmara). Fez várias Masterclasses de violino e música de câmara com professores: Mark Lubotzky, Edward Zienkowski, Henryk Keszkowski e outros. Participou em cinco edições de Cursos de Verão de Música Antiga em Varsóvia – Polónia, trabalhando com Simon Standage (violino) e Jaap ter Linden (musica de câmara e ensembles). 
Em 1995, integrou a Orquestra Filarmónica Pomerana em Bydgoszcz, sob direção artística do Roman Kofman. Paralelamente colaborou com regularidade com a Orquestra da Casa de Ópera Nova e outras, como a Orquestra Barroca da mesma cidade, uma das poucas, naquela altura, que possuíam instrumentos originais da época ou cópias destes para todos os músicos. Com várias orquestras acompanhou solistas como Sara Chang e Luciano Pavarotti, entre muitos outros. 
Desde 2003 reside em Portugal, onde leciona violino, violeta e música de câmara. Desenvolve também uma intensa atividade concertista, tocando com regularidade violino e viola d’arco com os ensembles Vox Angelis e Quinta Corda.



António José Oliveira | Iniciou o seu percurso na Academia de Música de S. Pio X em Vila do Conde na classe de Teresa Rocha. Em 2003 ingressou na ARTAVE na classe de Jaroslav Mikus, com quem prosseguiu os seus estudos até concluir o curso de Licenciatura em Música do Instituto Piaget de Viseu. Nesta instituição foi-lhe atribuído o prémio de mérito referente ao melhor aluno do ano letivo 2008/09. Outros professores importantes na sua formação foram Miguel Rocha, Jed Barahal, Ília Laporev, Márcio Carneiro e Paulo Gaio Lima. 
Em 2013 formou duo com a pianista Vera Fonte, obtendo o 1º prémio no Concurso de Música de Câmara de Vila Verde (nível superior). Neste mesmo ano concluiu o Mestrado em Ensino de Música da Universidade do Minho, tendo como orientadores os professores Pavel Gomziakov e Luís Pipa. É membro fundador do Quarteto Arc´duto, com o qual mantém uma atividade regular de concertos em diversos contextos e em várias salas do país. Desde 2010 integra o corpo docente da Academia de Música de Vila Verde e do Conservatório de Música de Vila do Conde. É convidado regularmente para orientar masterclasses em várias academias e conservatórios.



Nuno Oliveira | Iniciou os seus estudos musicais no ano de 1985 com Carolina Teixeira. Em 1987, ingressa na Academia de Música de S. Pio X na classe de Fátima Abreu. Durante a sua formação foi também aluno de Fátima Travanca, Helena Galante, Marco Oliveira e termina o curso complementar de Piano com Joaquina Tauber em 1995.
Apresentou-se com regularidade nas várias actividades artísticas realizadas pela Academia de Música de S. Pio X em Vila do Conde, Esposende, Paredes, Vila Real, Porto, Aveiro, Tulle (França) e Hannover (Alemanha).
Ingressa na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto em 1994/95.
Em 1997, participa como executante na 2ª Semana Internacional de Óbidos trabalhando com Manuela Gouveia e Pierre Reach.
Ingressa no mesmo ano na Escola Superior de Música e das Artes do Espetáculo do Porto na classe de Sofia Lourenço.
Frequentou seminários como executante com Liliam Lim, Miguel Henriques, Vitaly Margulis, Miguel Henriques, Sofia Lourenço, António Pujol, Markus Groh, Tânia Achot e Helena Sá e Costa.
Em 2000, ingressa na Hochschule fur Musik und Theather em Hannover, Alemanha para frequentar o “Wintersemmester” ao abrigo do programa Erasmus/Sócrates com o professor Markus Groh.
Participou, como pianista convidado, no trabalho musical gravado em CD do compositor Énio Ramalho numa homenagem feita pela Câmara Municipal da Póvoa de Varzim.
Termina a Licenciatura em Instrumento/Piano da Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo na classe da professora Luísa Tender.
Em 2003, ingressa na licenciatura em arquitetura na Universidade Lusíada Porto. É agente de seguros dos ramos vida e não vida do ISP. Ingressa no Mestrado em Estudos da Criança em 2005/06 na Universidade do Minho e conclui a Pós-Graduação em Estudos da Criança na Universidade do Minho no ano de 2006.
Possui qualificação profissional desde 2009 nos grupos 610 Música, sub-grupo M17 – piano, e, desde 2013 no grupo 250 – Educação Musical.
É mestre em Ensino de Música pela Escola Superior de Música, Artes e Espetáculo/ Escola Superior de Educação do IPP com a tese publicada “A familiaridade tímbrica do instrumento como estratégia pedagógica para o desenvolvimento da acuidade auditiva “ , em 2017. Foi-lhe atribuída uma bolsa de estudo por mérito IPP/Santander Totta no ano letivo 2016/2017.


Como docente, lecionou na Academia de Música Valentim Moreira de Sá em Guimarães, Real Filarmonia de Vila Real, Academia de Música de Paredes, Academia de Música de Barcelos e no Colégio Nossa Senhora do Rosário no Porto.
Desde 1999, leciona na Academia de Música de S. Pio X em Vila do Conde, atual Conservatório de Música de Vila do Conde exercendo também o cargo de pianista acompanhador. Durante o ano lectivo 2006/07 coordenou as comemorações dos 25 anos da Academia de Música S. Pio X de Vila do Conde “de 81 a dois mil e seis“ – 25 anos de música em Vila do Conde. Lecionou desde o ano letivo 2008/09 até 2015/2016 no Conservatório de Música de Barcelos. É co-autor e foi coordenador geral do Concurso Nacional de Piano “Pequenos Galinhos” de Barcelos, evento que comemorou em 2022 a sua 12º edição.
Foi formador no Curso Profissional de Música na Escola Secundária Rocha Peixoto na Póvoa de Varzim entre 2015 e 2017.
É co-coordenador artístico da rúbrica “Sextas às Sete”, concertos por músicos profissionais desde 2015, do CAMus – Cursos de Aperfeiçoamento Musical em Vila do Conde e da S.I.M.E. – Semana Internacional da Música Erudita desde 2013 e do “PRÉMIO PEQUENOS MÚSICOS”, iniciado em
2020.
Vários alunos seus têm sido premiados por diversas vezes em concursos nacionais e internacionais para jovens músicos.
Atualmente é professor de piano, coordenador do Departamento de Teclas e pianista acompanhador no Conservatório de Música de Vila do Conde.
Integra a Direção Pedagógica do Conservatório de Música de Vila do Conde desde agosto de 2013.
















Fotos Jorge Carmona / Antena 2