Ouvir
Vibrato
Em Direto
Vibrato Pedro Rafael Costa

Concertos

Oratória de Natal, de Saint-Saëns | 25 Dezembro | 21h00

Grande Auditório

|

Oratória de Natal, de Saint-Saëns | 25 Dezembro | 21h00 Oratória de Natal, de Saint-Saëns | 25 Dezembro | 21h00

25 Dezembro | 21h00

Grande Auditório
Realização e Apresentação: Reinaldo Francisco 
Produção: Susana Valente

Gravação da Teleradio Moldávia
na Sala do Órgão, em Chisinau,
a  12 de dezembro de 2019


Oratória de Natal | Saint-Saëns

Lilia Solomei, soprano
Lily Istratii, meio-soprano
Taisia Mustea-Caraman, contralto
Victor Novitchi, tenor
Roman Ialcic, baixo-barítono
Anna Strezeva, órgão
Ivan Baranovschi, piano

Vladimir Sverdlov-Ashkenazy, piano

Coro e Orquestra de Câmara Nacional da República da Moldávia
Direção de Cristian Florea  


Programa

Robert Schumann - Concerto p/ piano e orquestra em lá menor, op. 54 [arranjo p/ piano e orquestra de cordas de Jeremy Liu]

Vladimir Sverdlov-Ashkenazy - Schumanniana
- Improviso p/ a mão esquerda

Camille Saint-Saëns - Oratório de Natal, op. 12 
1. Prelude (Dans le style de Séb. Bach)
2. Recit et Choeur: Et Pastores erant – Gloria (coro)
3. Air: Expectants expectavi Dominum (soprano)
4. Air et Choeur: Domine, ego credidi (tenor e coro)
5. Duo: Benedictus qui venit (soprano e baixo)
6. Choeur: Quare fremuerunt gentes (coro)
7. Trio: Tecum principium (soprano, tenor e baixo)
8. Quatour: Alleluja (soprano, soprano, contralto e baixo)
9. Quintette et Choeur: Consurge, Filia Sion (soprano, soprano, contralto, tenor, baixo e coro)
10. Choeur: Tollite hostias(coro)

Tradicional - Canção de Natal 
   [arranjo de Cristian Florea]




Para aceder à página do Concerto, clicar aqui.





Camille Saint-Saëns compôs a Oratória de Natal aos 23 anos, e em menos de uma semana para o Natal de 1858. O compositor escolheu vários versos da Bíblia latina para o texto da obra. Embora esses textos não sejam de uma única fonte, é certo que as liturgias eclesiásticas tradicionais do Natal influenciaram Saint-Saëns. A parte narrativa do texto, retirada do segundo capítulo do Evangelho de Lucas, aparece no segundo movimento (Recitativo) e, tradicionalmente, fala sobre os pastores. Os outros textos, retirados dos Evangelhos de João, Isaías e dos Salmos, refletem o significado do evento. 
Teve a sua estreia a 24 de dezembro de 1858, na Igreja de la Madeleine em Paris, onde o compositor era organista, e sob a sua direção.