Ouvir
Raízes
Em Direto
Raízes Inês Almeida

Concertos

Perselí | 23 Junho | 19h00

Liceu Camões

|

Perselí | 23 Junho | 19h00 Perselí | 23 Junho | 19h00

Temporada Concertos Antena 2

23 Junho | 19h00

Transmissão direta
a partir do Auditório do 
Liceu Camões 
Concerto de entrada livre,
segundo regras da DGS*    


Perselí

José Soares, saxofone e voz
Fuensanta Mendéz, voz e contrabaixo
Alistair Payne, trompete e percussões






Programa

Jacintos
música - J. Soares, A. Payne, F. Méndez / letra - F. Méndez

Vidita Sola (Olive)
música - A. Payne / letra- F. Méndez

Yo te buscaba tanto
letra& música - F. Méndez

Cupidity
letra & música - A. Payne

Noche
letra & música - F. Méndez

Foam
música - A. Payne

- (sad song)
música - F. Méndez





Perselí, organismo musical criado em 2017 na cidade de Amesterdão. As cores do México, Portugal e Escócia misturam-se para formar este trio de 4 vozes. Depois de terem atuado juntos em vários ensembles, tornou-se claro que a junção dos três tinha que acontecer de forma unificada pois havia uma sensação mútua de expressividade e sensibilidade perante os sons. 
Para o trio ter este som distinto, José no saxofone, Fuensanta na voz e no contrabaixo e Alistair no trompete, perseguem um caminho constante de descoberta. 
A música que fazem desenvolve-se sem pressa, como imitação de flores, folhas e da vida sem ansiedade.

 



 



Transmissão direta
Apresentação: João Almeida
Produção: Anabela Luís, Cristina do Carmo



A cantora, baixista e compositora Fuensanta Méndez nasceu e cresceu na floresta aquática de Veracruz (México) numa família de artistas. Cresceu rodeada de música, dança, teatro e livros tradicionais latino-americanos e europeus contemporâneos. 
Aos treze anos decidiu ser cantora e começou a estudar e fazer jazz, aos quinze começou a escrever poesia. 
Méndez mudou-se para a Holanda para estudar no Conservatório de Amsterdão, onde se formou summa cum laude em 2019. Estreou as suas composições durante o Princess Christina Jazz Concours em 2016, alcançando o 1º lugar, o prémio da imprensa e um convite para se apresentar com o seu quinteto no North Sea Jazz 2017. 
Desde então, apresentou-se  pela Europa e México como artista solo, líder de banda e em parceria em vários contextos de música improvisada. Foi bolseira do Jóvenes Creadores 2019 do FONCA, prémio nacional para jovens compositores do México. 
O seu primeiro álbum ao vivo "Ensamble Grande", foi lançado em Maio de 2020. 




José Soares | Inicia os seus estudos musicais na Sociedade Filarmónica Santanense, no concelho da Figueira da Foz. Em 2001 ingressa no Conservatório de Música David de Sousa (Figueira da Foz) com José Firme; em 2007 entra para a Escola Profissional de Música de Espinho (EPME) sob a supervisão de Francisco Ferreira, Gilberto Bernardes e Fernando Ramos. Prossegue os seus estudos musicais ingressando na Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo (ESMAE), na área de saxofone jazz na classe de Mário Santos, tendo também a oportunidade de trabalhar com professores como Nuno Ferreira, José Pedro Coelho, Abe Rábade, Michael Lauren, Paulo Perfeito, entre outros.
Ao longo do seu percurso musical frequentou masterclasses e workshops com diferentes artistas tais como Dick Oatts, Chris Cheek, Mark Turner, Chris Lightcap, Kendrick Scott, Phil Markowitz, Tony Malaby, Aaron Parks, Danilo Perez, Ralph Alessi.
Soares lidera o seu quarteto em Portugal que conta com a presença de Mané Fernandes, Francisco Brito e Marcos Cavaleiro. Os seus outros projetos em Amsterdão contam com a participação de Fuensanta Mendez (México) e Alistair Payne (Escócia) em trio; Harmen Fraanje (Duo), Joris Roelofs, Jort Terwijn e Giacomo Camiletti e Youngwoo Lee em Quinteto; é co-líder do trio Soares| Hong| Mueller.


Além dos seus projetos, é membro integrante de várias formações, em Portugal e no estrangeiro, em diversos estilos musicais com quem tem registado o seu trabalho, como por exemplo Ensemble Super Moderne, Guy Salamon Group, Youngwoo Lee Quartet, Pedro Melo Alves’ Omniae Ensemble, João Mortágua’ AXES, Mané Fernandes’ The Mantra of the pHat Lotus, Liquid Identities, Adrian Moncada Sextet, Jeffery Davis Quinteto (For Mad People Only), João Grilo’ HVIT, Eduardo Cardinho Quinteto (Black Hole), Old Mountain.
Entre as colaborações especiais de Soares destacam-se as seguintes: vencedor do melhor disco de Jazz Português (Jazz Logical, 2015) com Ensemble Super Moderne; melhor disco de Jazz Português (Jazz.pt 2017) com Pedro Melo Alves’ Omniae Ensemble; melhor disco nacional com João Mortágua’ AXES (JazzLogical, 2017) vencedor do Keep an Eye Records (2018) com Guy Salamon Group (Amsterdão); finalista do Keep an Eye Foundation com Liquid Identities (Amsterdão, 2019). Em Dezembro de 2019, José apresenta-se em nome próprio (a convite da Associação Porta-Jazz, Porto) ao lado de Harmen Fraanje e Joris Roelofs, dois nomes de renome internacional. Conta ainda a participação enquanto solista convidado (Novembro de 2018) com a Orquestra de Jazz de Matosinhos, com a Orquestra de Jazz de Espinho e Hermeto Pascoal, a Orquestra Clássica de Espinho e a Jazz Orchestra of the Concertgebouw.




Alistair Payne é um trompetista e compositor nascido no sul da Escócia. Depois de ter tido aulas na sua terra natal, foi estudar para o Conservatório de Amsterdão.
Atualmente mora em Amsterdão e estudou com músicos como Yaniv Nachum, Ruud Breuls, Jasper Blom e Reinier Baas. 
Alistairs toca com vários músicos, como Guy Salamon Group, Sun Mi Hong, Fuensanta Méndez, Ensamble Grande, Teis Semey e muitos mais.















Fotos Jorge Carmona / Antena 2



* Número de espetadores condicionado a um terço da lotação da sala. Sem reserva de bilhetes (com entrada pela ordem de chegada até ao limite da lotação definida). Uso obrigatório de máscara.