Ouvir
Vibrato
Em Direto
Vibrato Pedro Rafael Costa

Concertos

Pierre Hantaï | 30 Maio | 21h00

Grande Auditório

|

Pierre Hantaï | 30 Maio | 21h00 Pierre Hantaï | 30 Maio | 21h00

© Jorge Carmona / Antena 2


30 Maio | 21h00
Realização e Apresentação: Reinaldo Francisco 
Produção: Alexandra Louro de Almeida / Cristina do Carmo / Zulmira Holstein
Gravação pela Antena 2/RTP
no Grande Auditório da Fundação Gulbenkian, em Lisboa, 
a 24 de Novembro de 2018


Pierre Hantaï, Cravo

Música Ibérica para tecla | Séculos XVI a XVIII


Programa

Antonio de Cabezón (1510-1566) - Tiento de primer tono
  - Diferencias sobre la pavana italiana
  - Tres versillos de secundo tono
  - Tiento de primer tono
  - Glosa sobre el motete “Ave Maria” de Josquin Desprez
  - Diferencias sobre la gallarda milanesa
    - Glosa sobre “Je fille quant Dieu me donne de quoi” de Adriaen Willaert


Pedro de Araújo (fl. 1662-1675) - Fantasia de primer tono

Antonio de Cabezón (1510-1566) - Tres versillos de sexto tono
    - Diferencias sobre “Las vacas”

Juan Bautista Cabanilles (1644-1712) - Passacalles de primer tono

Anónimo - Españoleta

Carlos Seixas (1704-1742) - Sonata nº 71, em Lá menor
- Sonata nº 28, em Ré menor

Domenico Scarlatti (1685-1757) - Sonata em Sol menor, K. 8

Carlos Seixas (1704-1742) - Sonata nº 55, em Sol menor (Minuet)

Domenico Scarlatti (1685-1757) - Fuga em Dó menor, K. 58

Carlos Seixas (1704-1742) - Sonata nº 43, em Fá maior (Minuet)

Domenico Scarlatti (1685-1757) - Sonata em Fá maior, K. 151
 - Sonata em Si bemol maior, K. 249






O cravista francês Pierre Hantaï começou por alcançar reconhecimento através das suas interpretações das Variações Goldberg, de J. S. Bach, compositor por quem desenvolveu uma irresistível fixação desde a infância. Mais tarde, juntou a essa especialização um interesse particular pelas peças de Domenico Scarlatti. Acerca dos seus quatro álbuns dedicados ao compositor italiano – que aqui estabelece a ponte para um reportório de foco ibérico – a Gramophone afirmou tratar-se do “resultado sublime de mestria artística empenhada na missão de comunicar o génio sempre encantador de Scarlatti”.






Pierre Hantaï nasceu em Paris em 1964 e iniciou a sua formação musical aos onze anos de idade. Começou a tocar cravo como autodidata, apaixonando-se pela música de Johann Sebastian Bach. Estudou com o americano Arthur Haas e posteriormente com Gustav Leonhadt, mestre que o convidaria a tocar sob a sua direcção. Cedo começou a dar concertos e recitais, a solo ou com os seus dois irmãos Marc e Jérôme. Nos anos seguintes, colaborou com várias figuras de destaque da música antiga como Philippe Herreweghe, os irmãos Kuijken, François Fernandez, Marc Minkowski ou Philippe Pierlot.


Hantaï apresenta-se regularmente como solista em prestigiados palcos a nível internacional. É um convidado frequente de Jordi Savall e reúne-se também regularmente com os seus irmãos e com os seus amigos Amandine Beyer, Hugo Reyne, Sébastien Marq, Skip Sempé, Olivier Fortin ou Jean-Guihen Queyras, para a interpretação de música de câmara. Recentemente reconstituiu o agrupamento Concert Français, que fundou em 1985 com o objetivo de interpretar os concertos e cantatas de Bach.
Na rica discografia de Pierre Hantaï destacam-se as suas gravações para a editora Mirare, nomeadamente: as Variações Goldberg, o 1º Livro de O Cravo bem Temperado de Bach, dois volumes de sonatas de Scarlatti, um recital dedicado a François Couperin e um programa de suites orquestrais de Bach, com o Concert Français.








Fotos Jorge Carmona / Antena 2