Ouvir
Caleidoscópio
Em Direto
Caleidoscópio HASKALAH: JUDEUS NA MÚSICA ALEMÃ

Concertos

Royal Northern Sinfonia & Dinis Sousa | 23 Setembro | 21h00

Grande Auditório

|

Royal Northern Sinfonia & Dinis Sousa | 23 Setembro | 21h00 Royal Northern Sinfonia & Dinis Sousa | 23 Setembro | 21h00

23 Setembro | 21h00
Realização e Apresentação: Reinaldo Francisco
Produção: Susana Valente

Gravação da BBC
no Sage Gateshead
a 18 de setembro de 2021


Concerto Inaugural de Temporada


Royal Northern Sinfonia | Dinis Sousa | Anastasia Kobekina


Anastasia Kobekina, violoncelo
Royal Northern Sinfonia
Direção de Dinis Sousa


Programa

Mira Calix - Oot-Ower

Dmitri Chostakovitch - Concerto p/ violoncelo e orquestra Nº 1 em mi bemol maior, Op. 107

Antonín Dvorák - Sinfonia Nº 8 em sol maior, Op.88


É o concerto de início da nova etapa da Royal Northern Sinfonia com Dinis Sousa como maestro titular, e inaugural da temporada 2021/22, com um programa eclético e dinâmico, que se apresenta neste Grande Auditório.
Para abrir, uma nova peça da compositora, performer e DJ Mira Calix, que colaborou com a cineasta Sarah Turner para produzir um trabalho que reflete as experiências da população local nos últimos 18 meses. 
Concerto para Violoncelo de Chostakovich consegue ser espinhoso mas melancólico. Reconhecida como uma das peças mais complicadas do repertório para violoncelo, é uma experiência de tirar o fôlego tanto para a violoncelista Anastasia Kobekina, quanto para o público. 
Com uma das sinfonias mais solares de Dvořák, a exuberantemente alegre Nº 8, termina de uma bela maneira esta noite de festa.



Mais sobre o Concerto, aqui.


Ver/Descarregar o Programa de Sala.



Anastasia Kobekina | Nasceu numa família de músicos e recebeu as suas primeiras aulas de violoncelo quando tinha 4 anos. Começou os estudos na sua cidade natal, Ekaterinburg (Rússia), e mais tarde continuou na Escola de Música Central de Moscovo. Em 2012 recebeu uma bolsa com o nome do famosos violoncelista Boris Pergamenschikov. Entre 2012 e 2016, Anastasia foi Jovem Solista na Kronberg Academy Masters (Alemanha), tendo aulas com Frans Helmerson. Em Outubro de 2016 Anastasia tornou-se aluna da classe de Jens Peter Maintz na Universidade de Artes de Berlim.
Depois da sua estreia com orquestra aos seis anos, Anastasia tem tocado com muitas outras, como Moscow Virtuosi, Kremerata Baltica, Vienna Symphony Orchestra, Sinfonia Varsovia, Toulouse Symphony Orchestra e Mariinsky Theater Orchestra – sob a direção de Krzysztov Penderecki, Heinrich Schiff, Vladimir Spivakov e Valery Gergiev.
Em 2015 Anastasia ganhou o primeiro prémio no concurso TONALi em Hamburgo, e foi semi-finalista no Tchaikovsky Competition em Moscovo. Em Setembro de 2016 recebeu o segundo prémio na George Enescu Competition em Bucareste. Em 2019, ganhou o terceiro prémio no 16º Concurso Internacional Tchaikovsky.
Uma das principais ocupações e paixão da jovem violoncelista é a música de câmara. Tem participado em vários festivais, tocando com artistas como Gidon Kremer, Yuri Bashmet, Giovanni Sollima, Denis Matsuev, Fazil Say, Vladimir Spivakov e Andras Schiff.
Anastasia toca num violoncelo de Giovanni Baptista Guadagnini, 1743.


@ Jorge Carmona / Antena 2

Dinis Sousa | Nascido no Porto, vive em Londres e é fundador e diretor artístico da Orquestra XXI – projecto vencedor do prémio FAZ-IOP 2013, que reúne músicos portugueses residentes no estrangeiro, com a qual se tem apresentado regularmente em Portugal, recebendo grandes elogios da crítica especializada.
Nas últimas temporadas, Dinis Sousa tem dirigido orquestras como a Southbank Sinfonia, Orquestra Sinfónica Portuguesa, Orquestra de Câmara da Escócia, Aurora Orchestra e Orquestra Sinfónica de Londres.
Tem trabalhado com o maestro Sir John Eliot Gardiner, enquanto seu assistente em projetos com a Orquestra Sinfónica de Londres, onde já teve a oportunidade de dirigir a orquestra, com a Orquestra Filarmónica de Berlim e com o Monteverdi Choir e Orchestre Révolutionnaire et Romantique.
Em 2019, dirigiu o Monteverdi Choir nos BBC Proms numa apresentação da sinfonia coral “Rómeo et Juliette” de Berlioz, onde o coro se apresentava separado da orquestra, dirigida por Gardiner. 
Dinis estudou na Guildhall School of Music and Drama, onde exerceu a Fellowship em Direcção de Orquestra. Durante esse período, dirigiu vários agrupamentos, tendo preparado a Guildhall Symphony Orchestra para o maestro Bernard Haitink, dirigido a Paixão Segundo S. João, de Bach, no Milton Court Concert Hall e uma encenação de “Down by the Greenwood Side” de Birtwistle no Silk Street Theatre. Na mesma escola, concluiu a licenciatura e mestrado com distinção, estudando direcção de orquestra com Sian Edwards e Timothy Redmond e piano com Philip Jenkins e Martin Roscoe. Paralelamente, trabalhou em classes de alto aperfeiçoamento com professores como Sequeira Costa, Angela Hewitt, Ralf Gothóni, Richard Egarr, Jean-Sébastien Béreau, entre outros.
Em Junho de 2015, foi condecorado pela Presidència da República, com o grau de Cavaleiro da Ordem do Infante D. Henrique.
Em março de 2021 foi nomeado Maestro Titular da Royal Northern Sinfonia para um mandato inicial de três temporadas.



Royal Northern Sinfonia | Orquestra de câmara britânica, fundada em 1958 pelo maestro Michael Hall (1932–2012) e sediada inicialmente em Newcastle upon Tyne e atualmente em Gateshead. 
Nos seus primeiros 46 anos, a orquestra deu a maioria dos seus concertos no Newcastle City Hall. Desde 2004, a orquestra é residente em Sage Gateshead. Em junho de 2013, a rainha Isabel II concedeu o título de 'Royal' à orquestra, nomeando-a formalmente Royal Northern Sinfonia.
É a única orquestra de câmara profissional do Reino Unido.
Em janeiro de 2020, Dinis Sousa dirigiu pela primeira vez a orquestra. Regressou como maestro convidado no outono de 2020. Em março de 2021, a Royal Northern Sinfonia anunciou a nomeação de Sousa como o seu próximo maestro titular, a partir de setembro de 2021.