Ouvir
Café Plaza
Em Direto
Café Plaza Germano Campos

Concertos

Trio Jakob | 21 Outubro | 19h00

Museu do Oriente

|

Trio Jakob | 21 Outubro | 19h00 Trio Jakob | 21 Outubro | 19h00

© Jorge Carmona / Antena 2


Temporada Concertos Antena 2

21 Outubro| 19h00

Museu do Oriente
Entrada gratuita
(+ info aqui)


Trio Jakob

Manuel de Almeida-Ferrer, violino
Carla Peña Romero, violoncelo
Imanol Casán, piano





Programa

O Verão de 86

J. Haydn - Trio Nº 27 em Dó Maior, Hob. XV:27
I. Allegro
II. Andante
III. Finale: Presto

J. Brahms - Trio Nº 3 em Dó menor, Op. 101
I. Allegro energico
II. Presto non assai
III. Andante grazioso
IV. Allegro molto


A conexão entre Brahms e Haydn, apesar de vastamente inexplorada no contexto musicológico, é uma cuja evidência se aproxima do óbvio. Brahms mantinha, famosamente, um busto de Haydn no seu quarto (relegando um busto de Beethoven a um lugar menos íntimo – em cima do piano), o que aponta para um especial tipo de admiração que este tinha pelo compositor austríaco. O seu idioma musical é também um cujas semelhanças se encontram por explorar, sejam estas ao nível da construção melódica ou da flexibilidade de estruturas rítmicas em ambos os compositores. 
É no Verão de 1886, que Brahms passou perto do Lago de Thun, na Suíça, que este interesse na música de Haydn passa para a boca de cena, brilhantemente ilustrado em lieder dos seus Opp. 104 e 105. É também durante este verão que Brahms escreve o seu trio em Dó menor Op. 101
Por estas razões, pensamos que seria de um exercício verdadeiramente interessante pôr estes dois compositores lado-a-lado, delineando a forma como nos seus estilos contrastantes, se pode ouvir um espaço comum proveniente da admiração de um para com o outro. Para isto, propomos um concerto que inclua o Trio em Dó Maior Hob. XV:27 de Haydn e o Trio em Dó menor Op. 101 de Brahms. Estas duas obras, escritas com um intervalo de 110 anos entre elas, são não só opostas nas suas tonalidades de Dó Maior e menor, mas também no seu carácter e no seu pathos, servindo assim para uma audição dinâmica e uma experiência enriquecedora para o público.




Transmissão direta
Apresentação: Pedro Ramos
Produção: Anabela Luís, Cristina do Carmo



Trio Jakob | Tendo recebido variados prémios internacionais, é um ensemble com o objetivo de explorar o repertório de trio com piano e uma sonoridade única através da conjunção de três personalidades distintas. Presentemente residindo nos Países Baixos e provenientes de Portugal e Espanha, o trio é constituído pelo violinista Manuel de Almeida-Ferrer, a violoncelista Carla Peña Romero e o pianista Imanol Casán. 
Desde a sua fundação em 2014, o trio tem trabalhado com vários músicos de renome, entre eles Dirk Mommertz, Michel Strauss, Heime Müller, Peter Nagy e Claire Désert, e com grupos como o Quarteto Vogler, o Trio Gryphon e o Quarteto Casals. Recebem conselhos regulares do Trio Osiris e tomam parte no encontro anual do Campus Internacional de Música de Câmara das Jeunesses Musicales em Weikersheim, tendo por duas vezes sido bolseiros da JMI-Deutschland. 
Tendo tocado em festivais e temporadas de concerto internacionais – entre as quais a Fundación Juan March em Madrid, o Fringe Festival em Torroella de Montgrí, o Livorno Music Festival em Itália e o Jardí dels Tarongers em Barcelona – o trio venceu já vários concursos de música de câmara incluindo o XVI CIM Les Corts em Barcelona, o II Concurso Cambra Románica em Andorra e La Follia Nuova International Competition em Itália. 
A sua agenda futura conta com recitais em Itália, Espanha, Andorra e Holanda, bem como uma gravação porissional por convite do Metro Rec Studio em Itália. O trio faz parte da rede Le Dimore del Quartetto, proporcionando concertos e residências em património histórico europeu.




Imanol Casán | Graduou-se no Conservatorio Superior de Música del Liceu, em Barcelona, tendo trabalhado sob a orientação dos destacados pianistas Josep Colom e Enrique Bagaría. Em 2017, continuou os seus estudos no Conservatorium van Amsterdam com David Kuyken, com quem completou o seu mestrado em 2020 no Koninklijk Conservatorium, na Haia. 
Apresentou-se em palcos holandeses, espanhóis, italianos, alemães e franceses. Em 2019, Imanol tocou o Concerto em Dó menor de Mozart como solista com a Wassenaer Orchestra. Contou também com o conselho de pianistas internacionais como Frank Braley, Vladimir Tropp, Paul Lewis e Dina Yoffe. Os seus estudos foram generosamente financiados pelo Departamente pela Cultura do Governo de Biscaia, AIE e BBK Fundação Bancária. 
Especializou-se, durante os últimos anos, na música de câmara, colaborando com diferentes músicos, com destaque para um projeto com a soprano Irene Sorozabal, especializado em música basca, castelhana e andaluz. Toca também regularmente com o saxofonista Iñaki Bermudez. 
Desde 2014 que faz parte do Trio Jakob. O trio foi já duas vezes bolseiro da Jeunesses Musicales Deutschland e venceu concursos em Espanha, Andorra e Itália. De momento, o ensemble faz parte da agência musical Le Dimore del Quartet.



Manuel de Almeida-Ferrer | Jovem violinista proveniente de Lisboa, Manuel de Almeida-Ferrer apresentou-se já em vários palcos internacionais em países como o Reino Unido, Portugal, Bélgica, Alemanha e China. Apresentou-se pela primeira vez como solista aos doze anos de idade com a Orquestra Gulbenkian sob a direção do maestro Michael Zilm e tem-se apresentado, desde então, tanto como músico de câmara como solista, colaborando com nomes como David Levi, Johannes Schlaefli, o Hermes Ensemble, Alex Klein e Piotr Anderszewski, e tocando à frente de orquestras como a Orquestra Sinfónica Portuguesa e a Orquestra Clássica do Centro. 
Manuel é laureado em vários concursos, incluindo o Prémio Jovens Músicos da Antena 2/RTP, o Concurso de Cordas Vasco Barbosa e o Concurso de Música de Câmara Triomphe de l’Art. Foi também bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, da Royal Academy of Music e da Jeunesses Musicales International Deutschland. Um músico de câmara dedicado, Manuel esteve envolvido em diversos grupos e projetos de música de câmara e apresentou-se já em múltiplos festivais e concertos. 
É presentemente o violinista do Trio Jakob, com quem venceu concursos em Andorra, Espanha e Itália. Manuel começou os seus estudos musicais com Marylin Brito e juntou-se à classe de Gareguin Aroutiounian em 2005. Desde 2014, estudou com os professores Alissa Margulis e Jack Liebeck, no Koninklijk Conservatorium Antwerpen e na Royal Academy of Music, em Londres. Estuda, de momento, no Conservatorium van Amsterdam com Ilya Grubert.



Carla Peña Romero | É uma dedicada música de câmara. Nascida em Barcelona, reside atualmente na Haia (Países Baixos) onde completou os seus estudos no Koninklijk Conservatorium na Haia sob a supervisão de Michel Strauss e Jan-Ype Nota. Em 2016, finalizou a sua licenciatura no Conservatorio Superior del Liceu com Amparo Lacruz e está correntemente a expandir a sua formação com Larissa Groeneveld. Carla recebeu masterclasses de músicos de prestígio internacional como Peter Bruns, Wolfgang Boetcher, Gustav Rivinius, Gianandrea Noseda, Heime Müller (Quarteto Artemis), Quarteto Casals, Clive Brown, Stephan Picard, entre outros. 
Funda em 2014 o Trio Jakob com o qual descobre a sua paixão pela música de câmara. Desde então, tem sido primeiro premiado em vários concursos internacionais e tocou em festivais e salas de concerto por toda a Europa. A sua devoção pela música de câmara leva-a a explorar o mundo do quarteto de cordas. Cria assim o Quarteto Azalaïs em 2018, com quem se apresenta em recitais na Kleine Zaal da Concertgebouw Amsterdam, no TivoliVredenburg em Utreque e na Casa da Música no Porto, bem como no Festival HARMOS. Desde 2019 que o quarteto recebe o apoio da Fundação Holandesa Stichting Young Notable Talents.










Fotos Jorge Carmona / Antena 2