Ouvir
Música Contemporânea
Em Direto
Música Contemporânea Pedro Coelho

Cultura

Teatro Sem Fios | Calor, de Jon Fosse | 2 Maio 19h00 | 6 Junho 21h00

Artistas Unidos

|

Teatro Sem Fios  | Calor, de Jon Fosse | 2 Maio 19h00 | 6 Junho 21h00 Teatro Sem Fios  | Calor, de Jon Fosse | 2 Maio 19h00 | 6 Junho 21h00

© Jorge Carmona / Antena 2 RTP


Teatro Sem Fios 

2 Maio 19h00 
6 Junho 21h00 (repetição)


Gravado no Auditório 2 
do Instituto Superior de Economia e Gestão
em Lisboa, a 13 de Março de 2017
Produção: Anabela Luís / Artistas Unidos


Calor, de Jon Fosse

Intérpretes
O primeiro homem - João Meireles
O segundo homem - Tiago Matias
A mulher - Vânia Rodrigues

Direcção: João Meireles
Produção Artistas Unidos


Sinopse
Uma casa. Um cais. Um oceano. 
Dois homens à beira do mar. 
Esperam a mulher que nunca esqueceram, mas de quem se lembram mal. 
À medida que as memórias e os desejos vêm ao de cima, também surge uma história de amor.



Jon Fosse@LauraPalmieri

Jon Fosse
 nasceu em 1959 em Haugesund, no Oeste da Noruega. Vive há 20 anos em Bergen. Escreve em novo norueguês, língua obrigatória nas escolas, mas que só é falada nessa região. Estreou-se na literatura em 1983, tendo publicado cerca de quinze livros antes de chegar ao teatro: romances, poesia, ensaio, novelas e livros para crianças. A sua primeira obra para teatro foi escrita em 1994. É neste momento, um dos contemporâneos mais que representados na Noruega e no estrangeiro, com peças dirigidas por encenadores como Gunnel Lindblom, Claude Régy, Jacques Lassale, Thomas Ostermeier, Barbara Frey, Katie Mitchell, Luk Perceval, Patrice Chéreau.
Jon Fosse esteve em Portugal em Março de 2000, aquando das estreia de Vai Vir Alguém (editado na Revista Artistas Unidos nº 2) n’a Capital com encenação de Solveig Nordlund e interpretação de Isabel Muñoz Cardoso, Diogo Dória e Paulo Claro e voltou a 11 de Março de 2001 para assistir a Sonho de Outono (editado na Campo das Letras em conjunto com O Nome), com encenação também de Solveig Nordlund e interpretação de Gracinda Nave, Marco Delgado, Camacho Costa, Lucinda Loureiro e Sylvie Rocha. A Noite Canta os seus Cantos (editado nos Livrinhos de Teatro nº 4) estreou em Portugal a 26 de Fevereiro de 2004, no Teatro Taborda, com encenação de João Fiadeiro e interpretação de Joana Bárcia, António Simão, Isabel Muñoz Cardoso, António Évora e Américo Silva numa produção Artistas Unidos / Re.Al. Registos das suas intervenções, quando esteve n’a Capital, encontram-se publicadas nos números 2 e 4 da revista Artistas Unidos.
Escreveu as seguintes peças: E Nunca nos Separarão (1994), O Nome (1995), Vai Vir Alguém (1996), A Criança (1997), Mãe e Criança (1997), O Filho (1997), A Noite Canta os seus Cantos (1998), Um Dia de Verão (1998), Sonho de Outono (1999), Quando a Luz Baixa e Fica Escuro (1999), Dorme, Meu Menino (1999), Visitas (2000), O Guitarrista (2000), Inverno (2000), Variações Sobre a Morte (2001), Rapariga no Sofá (2002), Lilás (2002), Os Cães Mortos (2004), Susana (2004), Calor (2005), A Rapariga da Gabardine Amarela (2006). 
A partir de então tem-se dedicado à escrita de novelas e romances, tendo deixado o teatro.




João Meireles tem o curso do IFICT (1992). Trabalhou com Luís Varela, Manuel Borralho, Ávila Costa, Adolfo Gutkin, Aldona Skiba-Lickel, José António Pires, o Pogo Teatro e o Teatro Bruto. Integra os Artistas Unidos desde 1995, onde participou, mais recentemente, A Modéstia de Rafael Spregelburd (2014), Gata em Telhado de Zinco Quente de Tennessee Williams (2014), As Histórias do Senhor Keuner (2015) e Jogadores de Pau Miró (2015), A Noite da Iguana de Tennesse Williams (2106).



Tiago Matias trabalhou com João de Mello Alvim, Nuno Correia Pinto, Antonino Solmer, Jorge Listopad, Carlos Pimenta, Pedro Penim, Luís Miguel Cintra e Christine Laurent. Tem participado em diversas séries de televisão e faz dobragens e locuções. Nos Artistas Unidos participou recentemente em Gata em Telhado de Zinco Quente de Tennessee Williams (2014), Doce Pássaro da Juventude de Tennessee Williams (2016) e A Noite da Iguana de Tennessee Williams (2016).



Vânia Rodrigues é diplomada pela ESTC (Teatro, 2008). Trabalhou com André Uerba, Miguel Moreira, Mónica Calle, João Mota, João Abel, Há Que dizê-lo, Latoaria, Tiago Vieira. No cinema, trabalhou com Pedro Palma, Raul Ruiz. Recentemente, nos Artistas Unidos participou em Gata em Telhado de Zinco Quente de Tennessee Williams (2014), A Batalha de Não Sei Quê de Ricardo Neves-Neves, Doce Pássaro da Juventude de Tennessee Williams (2015), e, em 2016, em Jardim Zoológico de Vidro de Tennessee Williams, O Rio de Jez Butterworth e A Noite da Iguana de Tennessee Williams (2016).


Fotos Jorge Carmona / Antena 2 RTP