Ouvir
Sol Maior
Em Direto
Sol Maior Pedro Rafael Costa

Cultura

Teatro Sem Fios | Dias Inteiros nas Árvores, de Marguerite Duras | 8 Novembro 21h00

Artistas Unidos

|

Teatro Sem Fios | Dias Inteiros nas Árvores, de Marguerite Duras | 8 Novembro 21h00 Teatro Sem Fios | Dias Inteiros nas Árvores, de Marguerite Duras | 8 Novembro 21h00

Teresa Sobral © Jorge Gonçalves


Teatro Sem Fios 

8 Novembro 21h00


Produção: Anabela Luís / Artistas Unidos
Gravado no Auditório 2 do Instituto Superior de Economia e Gestão,
em Lisboa, a 17 de Outubro de 2016



Intérpretes 

A Mãe - Teresa Sobral
O Filho - João Pedro Mamede
Marcelle - Vânia Rodrigues
O Barman - Nuno Gonçalo Rodrigues

Indicações cénicas: João Meireles


Sinopse

A mãe que vem das colónias, empobrecida e dura, um filho jogador, a namorada do filho, uma família que tenta sobreviver à infância. Marguerite Duras volta ao seu romance Uma barragem contra o Pacífico e consegue aqui a sua peça mais surpreendente.



Dias Inteiros Nas árvores / Savannah Bay
de Marguerite Duras
Livrinhos de Teatro Nº 101
Novembro 2016
Edição: Artistas Unidos / Livros Cotovia



Biografias

Marguerite Duras, romancista, autora teatral, realizadora, uma das vozes mais singulares da literatura do século XX, nasceu em Saigão, na colónia francesa da Cochinchina, a sul do actual Vietname. Das suas obras destacam-se Barragem Contra o Pacífico, Moderato Cantabile, A Tarde do Senhor Andesmas, A Dor, O Amante ou O Deslumbramento de Lol V. Stein. É autora do argumento de Hiroshima, meu amor, realizado por Alain Resnais. Muitas obras suas foram adaptadas ao cinema por realizadores como René Clément, Jean-Jacques Annaud, Jean-Marie Straub, Henri Colpi, Jules Dassin. Mas também dirigiu filmes próprios, tornando-se uma das mais originais cineastas da década de 70. Marguerite Duras faleceu aos 81 anos em Paris.

Teresa Sobral estreou-se em 1986 no Novo-Grupo/Teatro Aberto dirigido por João Lourenço, tendo interpretado peças de Bertolt Brecht, Anton Tchékhov, Saramago, Feydeau, Jim Cartwright, Shakespeare, Clara Pinto Correia, Corneille e Strindberg. Nos Artistas Unidos: A Colecção, de Harold Pinter (2002), BAAL de Bertolt Brecht (2003), Cada Dia a Cada Um a Liberdade e o Reino (2003), Cicatrizes de Anthony Neilson, Terrorismo dos Irmãos Presniakov (2004), O Amor de Fedra de Sarah Kane (20014), Não Posso Adiar o Coração (2004), No Papel da Vítima dos Irmãos Presniakov (2004), Tão Só o Fim do Mundo de Jean-Luc Lagarce (2005) e o ensaio aberto A Chegada de Agamemnon na Oresteia de Ésquio.

João Pedro Mamede é diplomado pela ESTC (2013). Iniciou a sua formação teatral na Cena Múltipla, dirigida por Francis Seleck, Pedro D'Orey e Catarina Pé-Curto, onde trabalhou textos de Fernando Pessoa, Karl Valentin e Farid Udi-Din Attar e criações colectivas. Dirigido por Francis Seleck, estreou, em Março 2011, A 20 de Novembro, de Lars Nóren. Participou em Amadeus de Peter Shaffer, encenação de Tim Carroll no TNDM II e em Do Alto da Ponte de Arthur Miller, encenação de Gonçalo Amorim (TEP) no Teatro da Trindade. Criou com Pedro Sousa Loureiro o espectáculo Playground Session (2012), e fundou Os Possessos com os quais estreou Hansel & Gretel dedicam-se ao futuro em 3 passos (2013). Recentemente nos Artistas Unidos: Sala Vip de Jorge Silva Melo, Punk Rock de Simon Stephens e O Regresso a Casa de Harold Pinter (ambos 2014), Os Acontecimentos de David Greig (2015) e Jardim Zoológico de Vidro de Tennessee Williams (2016).

Vânia Rodrigues é diplomada pela ESTC (Teatro, 2008). Trabalhou com André Uerba, Miguel Moreira, Mónica Calle, João Mota, João Abel, Há Que dizê-lo, Latoaria, Tiago Vieira. No cinema, trabalhou com Pedro Palma, Raul Ruiz. Recentemente, nos Artistas Unidos participou em Gata em Telhado de Zinco Quente de Tennessee Williams (2014), A Batalha de Não Sei Quê de Ricardo Neves-Neves e Doce Pássaro da Juventude de Tennessee Williams (2015), Jardim Zoológico de Vidro de Tennessee Williams e O Rio (ambos em 2016).

Nuno Gonçalo Rodrigues é diplomado pela ESTC. Em 2013, em conjunto com João Pedro Mamede e Catarina Rôlo Salgueiro, funda Os Possessos. Nos Artistas Unidos participou em O Regresso a Casa de Harold Pinter, Rapsódia Batman, e II – A Mentira.

João Meireles tem o curso do IFICT (1992). Trabalhou com Luís Varela, Manuel Borralho, Ávila Costa, Adolfo Gutkin, Aldona Skiba-Lickel, José António Pires, o Pogo Teatro e o Teatro Bruto. Integra os Artistas Unidos desde 1995, onde participou, mais recentemente, em Por Tudo e Por Nada de Nathalie Sarraute (2013), O Campeão do Mundo Ocidental de J. M. Synge (2013), A Modéstia de Rafael Spregelburd (2014), Gata em Telhado de Zinco Quente de Tennessee Williams (2014), As Histórias do Senhor Keuner (2015) e Jogadores de Pau Miró (2015).