Ouvir
Jazz a 2
Em Direto
Jazz a 2 João Moreira dos Santos / Maria Alexandra Corvela / Luís Caetano / Produção: Cristina do Carmo

Cultura

Transmissão - Teatro do Imaginário

Teatro radiofónico por Um Coletivo & As Crianças Loucas & Txon Poesia

|

Transmissão - Teatro do Imaginário Transmissão - Teatro do Imaginário


Transmissão - Teatro do Imaginário
Até 20 de maio


Transmissão - Teatro do Imaginário
é uma forma de resistência em jeito de celebração do teatro radiofónico. É, também, uma resposta à bidimensionalidade do capitalismo e à supremacia visual, preferindo a escuta, o corpo, o diálogo - acreditando que 'ouvir' amplia o corpo e descobre poros por toda a pele. Sobretudo, é uma pergunta. Sabemos escutar de olhos abertos?

É o repto que lançamos para desligar o computador e ouvir o mundo falar-nos de dentro da nossa imaginação - essa grande paisagem que nenhum recolhimento impede.

Fizemos, então, teatro a partir das nossas casas. Brincámos por dentro das nossas solidões até nos apaixonarmos, novamente, pelo mundo lá fora. Quisemos ser um, outro, ninguém e cem mil, brisa, vento, trovão, relâmpago, gritos de náufragos, ondas do mar, passos lá fora.

Fizemos, sim, uma transmissão especial dividida em oito capítulos.

Direção Artística: Cátia Terrinca e Vicente Wallenstein
Direção de produção: Tânia Baldé
Produção: Helena Baronet e José Pinto
Imagem: João P. Nunes
Direção Técnica: Diogo Rodrigues
Música: Diogo Rodrigues, Fernando Biu e João Sala
Co-produção: Um ColetivoAs Crianças Loucas Txon Poesia



No dia 20 de abril transmitimos:

Onde Vive Blimundo

Exploração dramatúrgica de um conto infantil da tradição oral de Cabo Verde que contempla a altura e o comprimento de uma pergunta, a largueza de um lugar onde viva Blimundo, desaparecido há muito muito tempo, e a pintura de um crepúsculo onde caibam borboletas.

Dramaturgia e texto: José Pinto, a partir de uma história tradicional de Cabo Verde
Interpretação: Cátia Terrinca e Vicente Wallenstein
Sonoplastia, música e mistura: Diogo Rodrigues

e

Cassilda e o Reino dos Sonhos, de Carlos Wallenstein

Dizia Pascal que se um mendigo sonhasse durante 12 horas por dia que é um rei e se um rei sonhasse durante 12 horas por dia que é um mendigo, cada um deles acabaria por ignorar qual é o mendigo e qual é o rei. Por isso, não sabemos se Cassilda existe verdadeiramente. O Reino dos Sonhos, esse, está à distância de ouvir este exercício radiofónico de Carlos Wallenstein.

Texto: Carlos Wallenstein
Direção: Cátia Terrinca
Interpretação: Cátia Terrinca, Ana Isabel Sousa, Susana Teixeira, Salvador Nery, Andreia Brilha, Raquel Real, Cassandra Candeias, Filipe Belchior, João Vinagre, Patrícia Cairrão, Ricardo Santos
Sonoplastia e música: João P. Nunes
Mistura: Diogo Rodrigues



No dia 21 de abril transmitimos:

O Senhor da Dança
, de Véronique Tadjo

O Senhor da Dança canta uma homenagem às máscaras do povo Senufo da Costa do Marfim e do sul do Mali. Neste conto, Véronique Tadjo diz-nos que ao abandonar a máscara, a humanidade está agora só e triste. Ela que pedia apenas que dançássemos e dançássemos e dançássemos na floresta, na aldeia, para chamar a chuva, para honrar deuses. Mas se as crianças recuperarem a máscara não estarão mais sozinhas na cidade. A versão de Maria Simões, Descalças Cooperativa Cultural, para o projeto “Transmissão - Teatro do imaginário” é uma homenagem ao teatro e aos abraços que a música portuguesa e africana feita por mulheres sabem dar.

Dramaturgia e direção: Maria Simões
Interpretação: Maria Simões
Música: Jori Collignon, Maria Simões e Tânia Baldé
Sonoplastia e mistura: Jori Collignon

e

Miau Miau Béu Béu Pum Pum, de Carlos Wallenstein

Miau Miau Béu Béu Pum Pum tem aquilo que o título promete. Gatos gatos, cães cães e uma guerra que, afinal, não é assim. É uma guerra de alegria no campo de batalha. Oh, que maravilha!

Dramaturgia: Carlos Wallenstein
Interpretação: Cátia TerrincaAna Isabel Sousa, Susana Teixeira, Salvador Nery, Ricardo Santos, João Vinagre



No dia 22 de abril transmitimos:

Barco Louco
, de Carlos Wallenstein

Um barco devorado pela ânsia de se movimentar, de existir, de viver possesso; um barco por excelência escravo dos anjos, dos homens e de si próprio. "Barco Louco" foi escrito em 1964 por Carlos Wallenstein e vem atormentar os seus ouvintes.

Interpretação: Bruno Ambrósio, Vicente Wallenstein, Rodrigo Tomás, Sílvio Vieira, Raquel Oliveira, Catarina Rabaça
Música: Fernão Biu
Sonoplastia e mistura: Diogo Rodrigues

e

Combate de Amor, de Vanda R. Rodrigues

Três personagens sobem a um ringue, ou a um palco. Dois amantes lutam, resistem, numa história ou combate que parecia ao início já definido. É mais que uma luta pelo amor, é uma luta de amor. Uma carta de amor à resistência política e afetiva que atravessa o mapeamento das feridas que vinham já impressas no corpo, e que continuam a imprimir violência no corpo.

Texto: Vanda R. Rodrigues
Interpretação: Bernardo Gavina, Isaac Graça e Vanda R. Rodrigues
Sonoplastia, música e mistura: Diogo Rodrigues



No dia 23 de abril transmitimos:

Sofia
, de Mayana Neiva

Adaptação para teatro radiofónico do conto “Sofia” (2011) de Mayana Neiva (Campina Grande/Brasil -1983). “Sofia” conta-nos a estória de uma menina que dentro do seu sonho viaja pelo mundo fantástico da imaginação. Jamais Sofia imaginava que, ao engolir o sol, uma série de peripécias lhe iriam acontecer. Nesta adaptação para teatro radiofónico, pretendemos levar as crianças a partir dos 5 anos a sonhar junto com Sofia, numa altura em que nós também estamos confinados momentaneamente a viagens que apenas podemos realizar em sonhos, em pensamentos ou no teatro… radiofónico. Deixamos o convite com as palavras da autora Mayana Neiva: "embarque nesta viagem e venha sentir o vento e a vida de mãos dadas com Sofia".

Criação: TeatroPlage
Versão radiofónica e direção: Paulo Lage
Interpretação: Cheila Lima e Carolina Branco
Sonoplastia: Cheila Lima, Carolina Branco, Paulo Lage e Diogo Rodrigues
Mistura: Diogo Rodrigues

e

A Um Metro, de Lígia Soares

Ivo e Filipa são duas crianças. Para conseguirmos chegar a elas foi preciso apanhar o metro, correr, trabalhar, ir ao supermercado e dar-lhes muitos gelados e bolachas. Agora é tempo de parar para as ouvir.

Texto: Lígia Soares
Direção: Coletiva
Interpretação: Bruno Ambrósio, Catarina Rabaça, Cátia Terrinca, João Cachola, João Vinagre, Helena Baronet, Raquel Oliveira, Rodrigo Tomás, Sílvio Vieira, Vicente Wallenstein
Sonoplastia: Diogo Rodrigues
Música: João Sala