Ouvir
Grande Auditório
Em Direto
Grande Auditório Reinaldo Francisco / Produção: Susana Valente

Destaques

Coreto | Domingo 13h00 | Terça 05h00 | Sexta 17h00

Jorge Costa Pinto

|

Coreto | Domingo 13h00 | Terça 05h00 | Sexta 17h00 Coreto | Domingo 13h00 | Terça 05h00 | Sexta 17h00

Banda da Armada


Domingos 13h00 | Terça 5h00 | Sextas 17h00


Coreto  
Um programa de Jorge Costa Pinto


Para ouvir, clicar aqui.


Bandas Filarmónicas são um acervo cultural, em Portugal, desde há cerca de 200 anos. Tem sido escola de música para milhares de pessoas que, em recônditos lugares, aldeias, vilas, tiveram a oportunidade de aprender a teoria de ler e escrever música, de tocar um instrumento musical e acima de tudo de conviverem, de sentirem o prazer em tocar música em conjunto.
Presentemente existem, de Norte a Sul, 800 Bandas Filarmónicas, incluindo as profissionais militares, no total de músicos integrantes serão cerca de 40.000.
A evolução técnica das Bandas Filarmónicas tem sido progressiva, sobretudo desde o aparecimento de escolas profissionais por todo o país, grande número de músicos jovens formados nessas escolas, ingressam nas Bandas de suas terras, proporcionam melhoria qualitativa na execução, os regentes têm melhor preparação, obtida nos vários cursos que existem à disposição.
Contudo a matéria-prima de origem nacional, é escassa, poucos incentivos de vária ordem e também o pouco contacto que compositores têm com o que se faz no exterior, o que tocam, o que escrevem compositores estrangeiros.

Um dos principais objetivos do programa Coreto é dar a conhecer o que tocam as nossas Bandas e o que tocam as Bandas Internacionais, para conhecimento dos ouvintes do programa, não só melómanos mas também o universo de músicos bandísticos, os executantes que terão referências comparativas e os compositores oportunidades de conhecer o que fazem os seus pares, afinal a audição da música é essencial para que aconteça evolução.
Alguma pedagogia poderá acontecer, através de simples sugestões às obras escutadas, se possível, faremos curtas entrevistas com pessoas que, com o seu saber e experiência, possam acrescentar mais-valia ao programa.

Jorge Costa Pinto




Jorge Costa Pinto | Cursa piano e composição na Academia Amadores de Música tendo como professores, entre outros, Fernando Lopes Graça, Francine Benoit; música contemporânea: Jorge Peixinho e Louis Sager.
Em Boston, USA , no Berklee College of Music estudou Jazz, Arranging , com Herb Pomeroy; com James Prógris, direção de orquestra.
Na rádio - Emissora Nacional - apresenta o seu primeiro grupo a tocar música de jazz, sob o patrocinio de Luís Vilas Boas, com quem foi co-fundador do Hot Clube de Portugal.
Na RTP, tem a oportunidade de se apresentar com várias formações - sexteto, octeto e big band - em programas de divulgação desta linguagem musical: Jazz no Estúdio ‘A' . Neste programa, a big band, é a primeira orquestra organizada em Portugal, para interpretar JAZZ - 1963 -.
Aos 29 anos dedica-se à direcção de orquestra. Dirige em Portugal, Espanha, França, Luxemburgo, Yoguslávia, Grécia, Irlanda, Brasil, Venezuela, Argentina, África do Sul; neste país grava música portuguesa e internacional, a convite da South African Broadcast Corporation - SABC -. Dirige as Orquestra de Câmara e Orquestra Sinfónica em concertos no City Hall e Auditório da SABC, na cidade de Johannesburg e Cap Town.
No teatro musicado estreia-se, em 1964, como compositor e maestro na peça Boa Noite Lisboa, levada à cena no Teatro Monumental, em Lisboa. No ano seguinte compõe música para a comédia O Impostor Geral, com o protagonista Raúl Solnado na inauguração do seu Teatro Villaret. Em 1988 a comédia musical Enfim Sós tem música de sua autoria e estreia no Teatro Maria Matos.
No cinema compõe a banda sonora e canções para o filme Sarilho de Fraldas, 1966. Para o filme Campista em Apúros, 1967,compõe banda sonora e canções. Em 1969, compõe a banda sonora do filme Portugal Desconhecido. Escreve o tema musical do filme luso-espanhol Os 5 Avisos de Satanás, em 1969.
Colabora como director musical em várias produções televisivas: Convívio MusicalRiso & RítmoQuinta do DoisUm, Dois TrêsFestivais da Eurovisão, etc..
De 1960 a 1990 , é produtor e director musical de inúmeras gravações discográficas para as etiquetas internacionais EMI, Philips, RCA, e nacionais: Tecla, Radio Triunfo, Movieplay.
Para o Ministério da Cultura, produz gravações com obras de Compositores eruditos para edições da Discoteca Básica Nacional. Na RTP (1980-1981) exerce a função de sub-director de programas, dirigindo o Departamento de Programas Recreativos e Musicais.
Professor no Conservatório Nacional de Lisboa - Escola de Música - 1987-1989, iniciou a lecionação de Jazz, como cadeira de pós-graduação.
As suas obras - jazz, câmara e sinfónicas - estão gravadas em disco e editadas em partituras, em Portugal, França, Espanha, Brasil, Japão, USA, Inglaterra, Venezuela, Yoguslávia, Grécia.
Organiza e apresenta a sua Big Band, em Julho de 2003, no XXII Festival Internacional de Jazz do Estoril; Hot Club de Portugal; Teatro Aberto, Lisboa; Quinto Funchal Jazz 04; Festival de Big Bands da Nazaré, Lagos Jazz 2004, Gala do Jazz, Estoril-2005, Centro das Artes e Espetáculos, Figueira da Foz-2007; Teatro Municipal de Almada 2008, Póvoa de Varzim 2008.
Dirige, em 2005 , a Orquestra Clássica do Centro-Coimbra, em concerto preenchido com obras de compositores portugueses, estreando a obra Danças Portuguesas nº 1, de Carlos Paredes, em versão concertante.
Na qualidade de maestro e compositor, é convidado a participar nos Cursos de Verão 2006, em Tatuí - Brasil.
O seu duplo-concerto Dialogus Tranquilis, é interpretado por Dale Underwood e Banda Sinfónica.
Colaborou em várias iniciativas editoriais: Let's jazz in Público, 31 volumes; artigos publicados em jornais , revistas - PúblicoDiário de LisboaDiário de NotíciasPrimeiro de JaneiroJornal da Costa do SolAutoresSete - Efectua conferências sobre música.
Professor de ‘História da Música' na Academia Sénior da C.V.P., Parede. Dirige o Coral de S. Francisco Xavier, Lisboa.
Produz e realiza, desde 2006, o programa Coreto, na Antena 2, divulgando a música bandística de todo o mundo.
Recebeu as seguintes distinções: "Medalha de Honra da SPA", em 2005; "Medalha de Mérito" da Freguesia da Parede (Cascais), em 2007; "Medalha Municipal de Mérito Cultural", da Câmara Municipal de Cascais, em 2008. É membro das organizações nacionais e internacionais: WASBE (World Association for Symphonic Bands and Ensembles ), APRS (Association of Professional Recording Services), IMMS (International Military Music Society), SPA (Sociedade Portuguesa de Autores), AES (Audio Engineering Society), GDA (Direitos dos Artistas), IAJE (International Association for Jazz Education).