Ouvir
Música Contemporânea
Em Direto
Música Contemporânea Pedro Coelho

Destaques

Da Costela de Adão | 3ª feira | 10h30 | 16h30

por Paula Castelar

|

Da Costela de Adão | 3ª feira | 10h30 | 16h30 Da Costela de Adão | 3ª feira | 10h30 | 16h30

A Antena 2 estreia a 4 de Fevereiro um novo programa intitulado Da Costela de Adão, da autoria de Paula Castelar. Um programa sobre o mundo feminino e mulheres que fazem história.

  
3ªs feira | 10h30 | 16h30

Da Costela de Adão
por Paula Castelar


Paula Castelar revela em, Da Costela de Adão, histórias no feminino. Não é um programa de biografias, como o anterior No Tempo das Dálias, mas um espaço mais abrangente onde a autora deseja surpreender os ouvintes.

Numa semana pode apresentar uma ativista dos direitos humanos e, na seguinte, uma compositora, ou falar sobre a evolução da lei (quanto ao género), ou da contribuição feminina na construção da sociedade.

Serão referidas algumas mulheres desconhecidas, cujas histórias justifiquem saírem do anonimato, ou homens que se tenham dedicado a causas ou temáticas femininas.

No seu primeiro mês, Da Costela de Adão apresenta um jardim, uma ilustradora e escritora iraniana, um grupo de teatro criado por mulheres e um coro feminino.


Para ouvir os programas, clicar aqui.


Programas

Prog. 1 |  4 Fevereiro
Jardim das Marias



Prog. 2 | 11 Fevereiro
Marjane Satrapi



Prog. 3 | 18 Fevereiro
Escola de Mulheres 



Prog. 4 | 25 Fevereiro
Cramol 



Prog. 5 | 3 Março
Maria Helena Freitas Branco, a mãe do Ioga


Prog. 6 | 10 Março
Francesca Caccini, uma viagem no tempo


Prog. 7 | 17 Março
Maria Isabel de Bragança e o Prado


Prog. 8 | 24 Março
A Orquestra Zohra

@ Jorge Carmona / Antena 2

Prog. 9 | 31 Março
Helena Vilalva, história de uma campeã




Foto de José Maria Pimentel

Paula Castelar 
Sente-se uma alfacinha de alma lusófona. Nasceu em Lisboa, passou a infância em Angola onde aprendeu a falar crioulo de Cabo Verde com a ama e, já adulta, viveu no Rio de Janeiro.
Tem-se apercebido de um grande desconhecimento existente nos países lusófonos de uns em relação aos outros.
Quer ajudar a corrigir isso, divulgando mulheres excepcionais destes países.


Começou por ser jornalista de Imprensa, em Lisboa, escrevendo para os jornais O Século e Diário Popular.
Trocou os jornais pela Rádio, tendo trabalhado nas rádios Comercial e Nostalgia e foi ainda colaboradora da Antena 1. Paralelamente, trabalhou nos canais televisivos RTP 1, RTP 2 e TVI, como jornalista, locutora e apresentadora. Atuou no teatro e telenovelas portuguesas, escreveu um livro de crónicas, intitulado Aí Talvez, e o conto infantil Tanuqui Bombom na cidade dos Cangurus, editado em áudiolivro, com o selo do Plano Nacional de Leitura.
Fez a locução de centenas de documentários emitidos em canais da TV Cabo (Odisseia, Bio, História, National Geographic...) e assinou, como jornalista, um documentário sobre Aristides de Sousa Mendes (canal História) e o documentário de Laurent Filipe, Vida e Obra de José Luís Tinoco (RTP 2).
Recentemente tem colaborado com a Antena 2 com dois programas, No Tempo das Dálias, uma rubrica diária de biografias de mulheres, e na série Caleidoscópio com As Notáveis, um programa semanal acerca dos percursos de algumas mulheres notáveis da música.

Fundou o MIMA Museu Internacional da Mulher - Associação, em 8 de Março de 2016, com dois propósitos: 
* chamar a atenção para as violações de direitos humanos relacionados com as mulheres, e 
* dar uma visibilidade positiva a mulheres da lusofonia, as notáveis, do passado e do presente, e as injustamente esquecidas pela História.