Ouvir
Vibrato
Em Direto
Vibrato Pedro Rafael Costa

Destaques

Em Todos os Sentidos | 3ª feira | 12h30 | 18h30

Um programa de Lídia Jorge

|

Em Todos os Sentidos | 3ª feira | 12h30 | 18h30 Em Todos os Sentidos | 3ª feira | 12h30 | 18h30

© imagem de fundo: NASA; edição: LDS


No início de Janeiro, estreia um novo programa da escritora Lídia Jorge, com transmissão na Antena 2 às 3ªs feiras. São crónicas sobre um mundo que continuará redondo.   


Em Todos os Sentidos
por Lídia Jorge

3ª feira | 12h30 | 18h30


"Vai para treze anos que Thomas Friedman publicou um livro com o título de O Mundo é plano, considerado por muitos uma obra popular irrelevante, e no entanto o equívoco de que parte deveria merecer o melhor da nossa atenção. Nessas páginas, o desenho que o colunista do New Yook Times faz do mundo contemporâneo, em função da actual redução das distâncias, da simultaneidade dos actos em sequência, e da homogeneização das culturas, tomando por base a revolução tecnológica em curso, corresponde a uma fantasia vivida como utopia mobilizadora um pouco por toda a parte. Mesmo quando não nos apercebemos, ela caminha a nosso lado e conduz-nos para um lugar que, de tanta abrangência e simplificação, é incapaz de desenhar um horizonte que se compagine com o humano.
Felizmente que para combater semelhante utopia e torná-la insignificante, milhares de vozes, dia após dia, se encarregam de falar do outro mundo, o paralelo, aquele que permanece fiel ao reconhecimento de que a Natureza é coisa extensa, que o tempo do espírito não tem cronómetro, que a realidade sempre será múltipla e sempre será relatada com o pressuposto de que é inapreensível e inenarrável, e por isso devemos tentar descrevê-la a partir de infinitos pontos de vista. Na altura, eu imaginei juntar-me aos demais, escrevendo crónicas que tivessem por base a metáfora dos planetas esféricos, para dizer que a realidade é infinitamente complexa em todos os sentidos. Fui alimentando essa ideia, mas só agora quis o acaso que tivesse encontrado forma de passar da intenção à prática. Por isso mesmo este programa acabará por ter um sub-título escondido – E no entanto o Mundo continuará redondo."  
Lídia Jorge
(escrito segundo o anterior AO)



Programas (/Crónicas)


1º | 1 Janeiro
O Bosque
Diálogo com as árvores de um bosque
Para ouvir, clicar aqui.

@ Luís da Cruz


2º | 8 Janeiro
O Tubarão
Discussão sobre cinema em Guadalajara
Para ouvir, clicar aqui.

@ Luís da Cruz


3º | 15 Janeiro
Os teus aparelhos
Considerações sobre a sobrevivência do pensamento mágico
Para ouvir, clicar aqui.

Autoria não identificada


4º | 22 Janeiro
O soldado Gestrudes
Para ouvir, clicar aqui.

Prisioneiros de guerra portugueses em 1918 (Deutsches Bundesarchiv)


5º | 29 Janeiro
Estação do Oriente
Para ouvir, clicar aqui.



6º | 5 Fevereiro
O Céu Estrelado
Para ouvir, clicar aqui.



7º | 12 Fevereiro
A Seita
Para ouvir, clicar aqui.



8º | 19 Fevereiro
A Europa e o Lobo de Tróia
Para ouvir, clicar aqui.

O rapto da Europa, Asteas, c. 340 AC, Paestum 
@ Museu Nacional de Arqueologia, Pesto, Itália (Antiga Grécia)


9º | 26 Fevereiro
Agustina como Ninguém
Para ouvir, clicar aqui.



10º | 5 Março
Diante da Chuva
Para ouvir, clicar aqui.



11º | 12 Março
Black Friday
Para ouvir, clicar aqui.



12º | 19 Março
O Mistério
Para ouvir, clicar aqui.



13º | 26 Março
A Reportagem
Para ouvir, clicar aqui.




@ Alfredo Cunha

Lídia Jorge nasceu no Algarve, região onde localizou a ação do seu primeiro livro, O Dia dos Prodígios, publicado em 1980. Desde então tem publicado romances, contos, cónicas, ensaios, textos para teatro e livros para a infância. Os seus livros estão publicados em mais de vinte línguas. 
Tem recebido os mais importantes prémios para fição do seu país, e vários de âmbito internacional, como seja o Prémio Jean Monet, escritor europeu do ano 2000, o Prémio Albatros da Fundação Günter Grass, na Alemanha, ou o Prémio Luso-Espanhol de Cultura, promovido pelos Governos de Portugal e Espanha. 
Os seus últimos romances são Os Memoráveis e Estuário, um livro sobre a vulnerabilidade do mundo contemporâneo, publicado no passado mês de Maio de 2018.