Ouvir
Notas Finais
Em Direto
Notas Finais João Pedro

Videos

Orquestra Sinfónica Juvenil | Festival Antena 2 | 17 Fevereiro 19h00

5º Dia | Concerto

|

Orquestra Sinfónica Juvenil | Festival Antena 2 | 17 Fevereiro 19h00 Orquestra Sinfónica Juvenil | Festival Antena 2 | 17 Fevereiro 19h00


Sala Eça de Queiroz,

17 Fevereiro | 19h00

Concerto | Música sinfónica
Orquestra Sinfónica Juvenil



Orquestra Sinfónica Juvenil
Direção de Christopher Bochmann


Programa

Wolfgang Amadeus Mozart (1756–1791) - Abertura "A Flauta Mágica"

Serguei Prokofiev (1891–1953) - Sinfonia nº 1 "Clássica"

Antonin Dvorak (1841–1904) - A Bruxa do Meio-Dia, op. 108

Modesto Mussorgsky (1839–1881) - Uma Noite no Monte Calvo

Engelbert Humperdink (1854–1921) - Abertura "Hänsel und Grettel"




Christopher Bochmann, filho de pais violoncelistas, viveu nove anos na Turquia, em criança. Cantou no coro de St. George´s Chapel, Castelo de Windsor, continuando os estudos no Radley College. Estudou particularmente com Nadia Boulanger, em Paris, antes de entrar para o New College, Universidade de Oxford, onde trabalhou com David Lumsden, Kenneth Leighton e Robert Sherlaw Johnson.
Foi em Oxford que adquiriu os graus de B.A.Hons., B.Mus., M.A. e D.Mus. Estudou, também, particularmente com Richard Rodney Bennett, em Londres.
Lecionou na Inglaterra e no Brasil, onde esteve ligado durante dois anos à Escola de Música de Brasília. Tem lecionado várias vezes no Curso Internacional de Verão de Brasília.
Desde 1980, vive e trabalha em Lisboa. Foi professor do Instituto Gregoriano de Lisboa e do Conservatório Nacional. De 1985 a 2006, foi professor da Escola Superior de Música de Lisboa, da qual foi Director durante seis anos e onde, por quase vinte, coordenou o Curso de Composição. Atualmente, é Professor Catedrático da Universidade de Évora.
Em 2003, publicou o livro “Linguagem Harmónica do Tonalismo” (JMP). Desde 1984 é Maestro-Titular da Orquestra Sinfónica Juvenil com a qual já dirigiu centenas de concertos. Com esta orquestra, gravou três CD com obras suas, para além de ter estreado várias outras. 
Ganhou vários prémios de composição: entre outros, o Prémio Lili Boulanger (duas vezes) e o Clements Memorial Prize. Tem uma ampla lista de obras para quase todos os géneros, para além de numerosos arranjos e orquestrações.
Em 2004 foi-lhe atribuída a Medalha de Mérito Cultural do Ministério da Cultura (Portugal). Em Junho de 2005 foi agraciado com a “Order of the British Empire” pela Rainha Isabel II (Reino Unido). 



Fundada em 1973, a Orquestra Sinfónica Juvenil é, hoje, reconhecida como uma instituição fundamental no panorama músico-pedagógico português. Sendo a única orquestra de jovens com actividade permanente no país, desempenha um papel fulcral na formação de jovens músicos, numa perspectiva de aperfeiçoamento de alto nível e profissionalização.
Nestes 44 anos de existência, a OSJ recebeu e formou muitos dos actuais instrumentistas das nossas orquestras, incentivou e deu a conhecer ao público muitos jovens solistas, levou a sua ação em favor da cultura musical a todo o país, contribuindo para a criação de novos públicos.
Contando nos seus quadros com 80 elementos das diversas escolas de música da área de Lisboa, o seu repertório, em permanente renovação, é ambicioso e vasto: foram já tocadas mais de 800 obras abrangendo os séculos XVIII, XIX e XX.
A OSJ e os seus agrupamentos são convidados para actuar em importantes acontecimentos artísticos. Em 1990, a convite da UNESCO, participou num estágio de aperfeiçoamento orquestral em Hortos (Grécia). Em 2002, a “Camerata” da Orquestra Sinfónica Juvenil representou Portugal no Festival Internacional de Jovens de Tianjin, China. Em Agosto de 2005, efectuou um Estágio em Vigo (Galiza) em colaboração com a orquestra de jovens local. Em 2007 uma formação da Orquestra Sinfónica Juvenil efectuou uma digressão na Índia com concertos em Goa e Bangalor. Agrupamentos de câmara da OSJ apresentam-se regularmente em Espanha desde 2013. Em 2016 o Quarteto de Cordas da OSJ efectuou uma digressão na Índia, com concertos em Nova Deli, Bombaim e Goa.
A OSJ encomenda regularmente obras a jovens compositores portugueses, apresentando-as em estreias mundiais.
Mantém acordos de colaboração com orquestras semelhantes de vários países, com as quais estabelece intercâmbio de jovens músicos.
Nos períodos de férias de Verão, realiza estágios de aperfeiçoamento orquestral que têm conhecido um grande sucesso, permitindo uma proximidade com as populações.
A OSJ colabora regularmente com diversos coros na apresentação de repertório coral-sinfónico.
Para além dos Maestros-Titulares (Alberto Nunes de 1973–83) e Christopher Bochmann (desde 1984) foi dirigida por Francisco d'Orey, Jorge Matta, António Saiote, Roberto Perez, Georges Adjinikos, José Palau, Andrew Swinerton, Vasco Azevedo, Julius Michalsky, Pedro Amaral e Filipe Carvalheiro.
A OSJ desenvolve as suas actividades com o apoio do Ministério da Cultura, Instituto Português do Desporto e Juventude, RTP, Câmara Municipal de Lisboa e Fundação EDP.


Transmissão direta (antena e online)
Entrada livre
Para maiores de 6 anos