Ouvir
Mezza-Voce
Em Direto
Mezza-Voce André Cunha Leal / Produção: Susana Valente

Destaques

Véu Diáfano | Domingo 15h00 | 3ª feira 13h00

Um programa de Pedro Amaral

|

Véu Diáfano | Domingo 15h00 | 3ª feira 13h00 Véu Diáfano | Domingo 15h00 | 3ª feira 13h00

Com o novo ano, estreia o novo ciclo do programa do maestro Pedro Amaral, 


Véu Diáfano 
de Pedro Amaral

Domingo 15h00 | 3ª feira 13h00 (repetição)


Com Véu Diáfano, o ouvinte é convidado a seguir uma História Temática da Música Ocidental. Por outras palavras: a História é percorrida a partir de temas específicos que, quais fios de Ariadne, nos conduzem através dos séculos, pelos dédalos da criação musical. 
Após os três grandes ciclos que marcaram o Véu Diáfano - o ciclo Liturgias (em 2008), o ciclo Música e Drama (2009-2012) e o ciclo Música Descritiva (2012-2013) - inicia-se agora (2018) o ciclo: Sinfonias, que irá percorrer toda a história da Sinfonia, como género musical, desde as origens, no barroco tardio, até à contemporaneidade.
Pedro Amaral


Programas

Para ouvir os programas anteriores, clicar aqui.


07 Jan. - Prólogo I
14 Jan. - Prólogo II
21 jan. - Prólogo III
28 Jan. - Prólogo IV


04 Mar. - Os filhos de Bach
11 Mar. - Joseph Haydn, 1760 
18 Mar. - W. A. Mozart: sinfonias de infância
25 Mar. - W. A. Mozart: sinfonias de juventude

01 Abr. - Haydn e Mozart: o Estilo Clássico
08 Abr. - Joseph Haydn e o Concert Spirituel
15 Abr. - W. A. Mozart e o Concert Spirituel
22 Abr. - Joseph Haydn: "Sinfonias de Paris I"
29 Abr. - Joseph Haydn: "Sinfonias de Paris II"

06 Mai. - W. A. Mozart: Haffner, Linz e Praga 
13 Mai. - Joseph Haydn: "Sinfonias de Londres I"
20 Mai. - Joseph Haydn: "Sinfonias de Londres II"
27 Mai. - W. A. Mozart: trilogia final, Sinfonias Nº 39 e 40

03 Jun. - W. A. Mozart: trilogia final, Sinfonia Nº 41, Júpiter
10 Jun. - L. van Beethoven: Primeira e Segunda Sinfonias
17 Jun. - L. van Beethoven: Terceira Sinfonia, Heróica
24 Jun. - L. van Beethoven: Quarta Sinfonia - a elegante donzela grega


02 Set. - História da Sinfonia: do Barroco ao Classicismo
09 Set. - História da Sinfonia: Classicismo Vienense
16 Set. - História da Sinfonia: Beethoven
23 Set. - Berlioz, “Sinfonia Fantástica” (1830)
30 Set. - Berlioz, “Harold em Itália” (1834)

07 Out. - Berlioz, “Romeu e Julieta” (1839)
14 Out. - Berlioz, “Grande Sinfonia Fúnebre e Triunfal” (1840)
21 Out. - Mendelssohn, Sinfonias para Cordas (1821/23)
28 Out. -: Mendelssohn, Sinfonia N.1, Op. 11 (1824)

04 Nov. - Mendelssohn, Sinfonia N.2, Op. 52, “Lobgesang” (1840)
11 Nov. - Mendelssohn, Sinfonia N.3, Op. 56, “Escocesa” (1842)
18 Nov. - Mendelssohn, Sinfonia N.4, Op. 90, “Italiana” (1833)
25 Nov. - Mendelssohn, Sinfonia N.5, Op. 107, “Reforma” (1830)

02 Dez. - Schumann, Sinfonia N.1, Op. 38, “Primavera” (1841)
09 Dez. - Schumann, Sinfonia N.2, Op. 61 (1846)
16 Dez. - Schumann, Sinfonia N.3, Op. 97, “Renana” (1850)
23 Dez. - Schumann, Sinfonia N.4, Op. 120 (1841)
30 Dez. - Música de Circunstância




Nascido em Lisboa (1972), Pedro Amaral, compositor e maestro, é um dos músicos europeus mais ativos da nova geração. Inicia os estudos em composição como aluno privado de Lopes-Graça, a partir de 1986, ao mesmo tempo que prossegue a sua formação musical geral, no Instituto Gregoriano (1989/91). Ingressa depois na Escola Superior de Música de Lisboa onde conclui o curso de composição na classe de Christopher Bochmann, em 1994. Instala-se em Paris, onde estuda com Emmanuel Nunes no Conservatório Nacional Superior (CNSM), graduando-se com o Primeiro Prémio em Composição por unanimidade do júri. Estuda ainda direção de orquestra com Peter Eötvös (Eötvös Institute, 2000) e Emilio Pomàrico (Scuola Civica de Milão, 2001).
Paralelamente à sua formação musical prática, prossegue os estudos universitários na École des Hautes Études en Sciences Sociales, em Paris, obtendo em 1998 o Mestrado em Musicologia Contemporânea com uma tese sobre Gruppen de K. Stockhausen – com quem trabalha como assistente em diferentes projetos – e, em 2003, o Doutoramento com uma tese sobre Momente e a problemática da forma na música serial.
Em maio de 2010, estreou em Londres a ópera O sonho, a partir de um drama inacabado de Fernando Pessoa. Unanimemente aplaudida pela crítica, a obra foi interpretada por um prestigioso elenco de cantores portugueses acompanhados pela London Sinfonietta sob a direção do compositor, tendo sido apresentada em Londres e Lisboa. Em 2017 completou a sua segunda ópera, intitulada Beaumarchais e estreada no Teatro Nacional D. Maria II numa coprodução com a Orquestra Gulbenkian.
Como compositor e/ou maestro, Pedro Amaral trabalha regularmente com diferentes ensembles e orquestras, nacionais e estrangeiros. Foi maestro titular da Orquestra do Conservatório Nacional (2008/09) e do Sond’Ar-Te Electric Ensemble (2007/10). É Professor Auxiliar da Universidade de Évora desde o ano letivo de 2007/2008, e Membro da Academia de Belas Artes desde 2017.
Desde julho de 2013, Pedro Amaral é diretor artístico da AMEC / Metropolitana.