Ouvir
A Ronda da Noite
Em Direto
A Ronda da Noite Luís Caetano

Festivais

Festival Internacional de Música da Póvoa de Varzim | 6 a 28 Julho

40ª edição

|

Festival Internacional de Música da Póvoa de Varzim | 6 a 28 Julho Festival Internacional de Música da Póvoa de Varzim | 6 a 28 Julho

Festival Internacional de Música da Póvoa de Varzim 

6 a 28 Julho
Póvoa de Varzim
Cine-Teatro Garrett • Auditório Municipal • Igreja Matriz • Igreja Românica | S. Pedro de Rates 


Desde que foi criado em 1979, sob proposta do pianista Sequeira Costa, o Festival Internacional de Música da Póvoa de Varzim tem orientado a sua programação obedecendo a quatro objetivos fundamentais: apresentação de intérpretes de nível internacional e dos músicos portugueses mais relevantes, lançamento de jovens intérpretes portugueses, ainda desconhecidos do grande público, valorização dos monumentos arquitectónicos da região como espaços de concerto, e promoção da região em Portugal e no estrangeiro. 
Subjacente a estes objectivos tem estado a preocupação constante de divulgação das obras-primas da grande música europeia de todas as épocas e o apoio à criação contemporânea. Assim, o FIMPV tem procurado estar a par e, por vezes, antecipar as tendências estéticas da arte musical contemporânea, proporcionando a apresentação dos mais respeitados mentores da música antiga “historicamente informada” e dos expoentes internacionais do repertório clássico-romântico e da contemporaneidade. 
De igual modo, o FIMPV tem pretendido imprimir um forte apoio aos novos valores da criação e interpretação portuguesas, sem descurar o esforço de captação e formação de novos públicos através de diversas actividades complementares e manifestações paralelas, muitas delas ao longo do ano.


Programação 


06 Julho | 21h45 | Cine-Teatro Garrett 

Rui Vieira Nery, Musicólogo 
Conferência: “Viana da Mota e a construção de uma identidade musical portuguesa

A conferência é dedicada a José Viana da Mota, no ano em que são comemorados os 150 anos do nascimento do grande pianista, compositor e pedagogo (1868-1948) – “[…] um dos mais destacados protagonistas do esforço de desenvolvimento da vida musical portuguesa que visa reinserir Portugal no circuito mais avançado da criação musical europeia da sua época” (Rui Vieira Nery). 
Rui Vieira Nery é presentemente Professor Associado da Universidade Nova de Lisboa e Investigador do Instituto de Etnomusicologia-Centro de Estudos de Música e Dança e do Centro de Estudos de Teatro, bem como Director do Programa Gulbenkian de Língua e Cultura Portuguesas.



07 Julho | 21h45 | Igreja Matriz 

Folias Antiguas & Criollas – Da Antiga Hespéria Ao Novo Mundo” 

Jordi Savall, Viola da Gamba e direcção Musical (Espanha) 
Hespèrion XXI, Agrupamento Instrumental (Espanha) 
Tembembe Ensamble Contínuo, Agrupamento Vocal e Instrumental (México) 

Obras de Santiago de Murcia, Diego Ortiz, Pedro Guerrero, Antonio Martin y Coll, Juan Garcia de Zéspedes, Juan Perez De Bocanegra, Francisco Correa de Arrauxo, Antonio Valente, Anónimos

Jordi Savall é uma das maiores personalidades musicais mais polivalentes da sua geração. Desde há mais de cinquenta anos, tem dado a conhecer ao mundo maravilhas musicais deixadas na obscuridade, indiferença e esquecimento. Fundou, com Montserrat Figueras, os agrupamentos Hespèrion XXI (1974), La Capella Reial de Catalunya (1987) e Le Concert des Nations (1989) com os quais explorou e criou um universo de emoção e de beleza que difunde no mundo inteiro para felicidade de milhares de apaixonados pela música. 
Os membros do Ensemble Tembembe estudaram na Escuela Nacional de Musica de la UNAM no México e noutras instituições musicais mexicanas, da Colômbia, Estados Unidos e França. Actualmente são professores na Universidade UNAM de Mexico, no Centro Morelense de les Artes e no Centro Ollin Yoliztli.



08 Julho | 21h45 | Igreja Matriz

"Bach, Arnstadt"

Ensemble Vox Luminis, Agrupamento Vocal e Instrumental (Bélgica) 
Lionel Meunier, Direção Musical (Bélgica)

Johann Michael Bach (1648-1694) - Herr, Der König Freuet Sich
Dietrich Buxtehude (1637-1707) - Gott Hilf Mir, E Herzlich Lieb Hab Ich Dich, O Herr
Johann Christoph Bach (1642-1703) - Herre, Wende Dich Und Sei Mir Gnädig
Johann Sebastian Bach (1685-1750) - Christ Lag In Todesbanden BWV 4

Vox Luminis é um agrupamento de música antiga criado na Bélgica em 2004, por iniciativa de Lionel Meunier, fundador e director artístico. Define-se como um grupo de geometria variável composto por solistas – a maior parte formados pelo Real Conservatório da Haia – de um contínuo e de instrumentistas adicionais (de uma orquestra), de acordo com as necessidades. O repertório é essencialmente italiano, inglês e alemão e estende-se dos séculos XVI ao XVIII. Mais do que um repertório definido, é a paixão pela música antiga e pelo público que os seus membros transmitem com rigor e fidelidade.



10 Julho | 21h45 | Cine-Teatro Garrett 

Pedro Burmester, Piano (Portugal) 

Franz Schubert (1797-1828) - Improvisos nº 1 D935, nº 2 D899, nº 3 D899 e nº 4 D899 
Fryderyck Chopin (1810-1849) -  Balada Nº 1 op. 23 e Scherzo nº 3 op. 39 
Fernando Lopes-Graça (1906-1994) - Sonata nº 3

Pedro Burmester nasceu no Porto. Foi durante dez anos aluno de Helena Costa, tendo terminado o Curso Superior de Piano do Conservatório do Porto com 20 valores em 1981. Posteriormente, deslocou-se aos Estados Unidos onde trabalhou entre 1983 e 1987 com Sequeira Costa, Leon Fleisher e Dmitry Paperno. Paralelamente, frequentou diversas masterclasses com pianistas como Karl Engel, Vladimir Ashkenazi, T. Nicolaieva e E. Leonskaja. Ainda muito novo, foi premiado em diversos concursos, destacando-se o prémio Moreira de Sá, o 2º prémio Vianna da Motta e o prémio especial do júri no Concurso Van Cliburn nos Estados Unidos. Foi Director Artístico e de Educação na Casa da Música, projecto que ajudou a criar e a implementar. Atualmente, para além da sua actividade artística, é professor na Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo (ESMAE) no Porto.



12 Julho | 21h45 | Igreja Românica | S. Pedro de Rates

“Enigma Fortuna” – Música Sacra e Secular Tardo-Medieval

La Fonte Musica, Agrupamento Música Antiga (Itália) 

Obras de Antonio Zacara da Teramo (1360-dep. 1413)

O agrupamento La Fonte Musica foi fundado para interpretar o admirável período musical que vai do fim da Idade Média ao começo do humanismo (ca. 1320-1440), com uma focalização especial no Trecento Italiano. Uma constante e séria pesquisa filológica está na origem de cada projecto. No centro da ideia interpretativa do agrupamento coloca-se o imperativo humanístico “tornare alle fonti” (daí a sua designação), às raizes da polifonia medieval, ao profundo sentido dos poemas e opções caligráficas, para uma criteriosa decifração das retóricas e da gramática musical por forma a compreender, traduzir e transpor para a actualidade uma música extraordinariamente criativa, experimental e refinada, quase que ainda inexplorada. Os concertos de La Fonte Musica são caracterizados pela virtuosidade vocal e instrumental, essenciais para corresponder à experimentação audaciosa típica da Ars Nova e Ars Subtilior.




13 Julho | 21h45 | Auditório Municipal 

Trio Adamastor (Prémio Jovens Músicos / Antena 2 2017 - 1º Prémio Música de Câmara, Nível Superior) 
Filipa Portela, Soprano (1º Prémio do Concurso de Interpretação do Estoril 2017) 
João Araújo, Piano 

Ernest Chausson (1855-1899) - Trio para Piano, Violino e Violoncelo em sol menor op. 3
Arnold Schönberg (1874-1951) - Ciclo ‘Brettl Lieder’
Armando José Fernandes (1906-1983) - Canção das Tecedeiras 
António Thomaz de Lima (1887-1950) - Trovas Portuguesas
Richard Strauss (1864-1849) - Três Lieder

Concerto dedicado a jovens músicos portugueses recentemente galardoados. 
Constituído por Francisco Henriques (violino), Pedro Massarrão (violoncelo) e José Pedro Ribeiro (piano), o Trio Adamastor surgiu em 2016 como um dos grupos da classe de Música de Câmara de Paulo Pacheco na Escola Superior de Música de Lisboa. 
Filipa Portela (soprano) é natural de Avis. Finalizou o curso na Universidade de Aveiro (2016) e no Royal Conservatoire of Scotland (2017), com First Class Honors Degree. 
João Pontes Araújo concluiu recentemente com Distinção o Mestrado em Performance, em Londres, no Royal College of Music (RCM) onde estudou Piano Acompanhamento com Simon Lepper, Nigel Clayton e Roger Vignoles. Iniciou os seus estudos na Escola de Música da Póvoa de Varzim.



14 Julho | 21h45 | Igreja Matriz 

Isabellle Faust, Violino (Alemanha) 
Anne-Katharina Schreiber, Violino (Alemanha) 
Danusha Waskiewicz, Viola (Alemanha) 
Kristin von der Goltz, violoncelo (Alemanha) 
James Munro, Contrabaixo (Austrália) 
Lorenzo Coppola, Clarinete (Itália) 
Javier Zafra, Fagote (Espanha) 
Teunis van der Zwart, Trompa (Holanda)

Anton Webern (1883-1945) - Sechs Bagatellen Für Streichquartett Op. 9
Franz Schubert (1797-1828) - Streichquartett nº 12 em dó menor D. 703, ‘Quartettsatz’ 
  - Octeto em fá maior D 803 

O Octeto D. 803 de Franz Schubert proposto por instrumentistas excepcionais: Isabelle Faust (“O som que ela produz é apaixonado, nervoso, electrisante, mas possui também um calor e doçura desarmantes, que desvendam as secretas forças líricas da música...”, New York Times); Anne-Katharina Schreiber (colabora com a Freiburg Baroque Orchestra); Danusha Waskiewicz (membro das Orquestras Filarmónica de Berlim e do Festival de Lucerna); Kristin von der Goltz (solista da Orquestra de Câmara de Munique); James Munro (contrabaixista de La Petite Bande); Lorenzo Coppola (clarinetista da Freiburger Barockorchester, Les Arts Florissants ou La Petite Bande); Teunis van der Zwart (colaborou com a Akademie für Alte Musik Berlin, Bach Collegium Japan ou o Collegium Vocale Gent); Javier Zafra (membro da Freiburg Baroque Orchestra).



15 Julho | 21h45 | Igreja Matriz 

Ensemble Zefiro, Agrupamento Instrumental (Itália) 
Alfredo Bernardini, Oboé e Direcção Musical (Itália)

Johann Sebastian Bach (1685-1750)
- Concerto Brandeburguês nº 1 em Fá Maior, BWV 1046, 
- Concerto Brandeburguês nº 5 em Ré Maior, BWV 1050
- Suite nº 3 em Ré Maior (BWV 1068)
- Suite nº 4 em Ré Maior (BWV 1069)


Natural de Roma, Alfredo Bernardini estudou com Bruce Haynes e Ku Ebbinge na Holanda. Tem colaborado com o Hespèrion XX, Le Concert des Nations, La Petite Bande, Freiburger Barockorchester, The English Concert, Bach Collegium Japan, Balthasar Neumann Ensemble e outros agrupamentos de prestígio. Participou em mais de 100 gravações. Em 1989 fundou o Ensemble ZEFIRO juntamente com os irmãos Paolo e Alberto Grazzi. As gravações com o Ensemble Zefiro obtiveram importantes prémios, como o Cannes Classical Award e o Diapason d’Or de l’Année 2009. Em Janeiro de 2013 foi consultor e director do projecto para a primeira orquestra barroca de “El Sistema de Musica” (Venezuela). A sua pesquisa sobre a história dos instrumentos musicais de sopros resultou em vários artigos publicados por importantes revistas internacionais. Desde 1992 ensina oboé barroco no Conservatório de Amsterdam e, desde 2014, é professor na Universidade Mozarteum de Salzburgo.




17 Julho | 21h45 | Igreja Românica | S. Pedro de Rates

Celebrando os 350 Anos do nascimento de François Couperin

Ana Mafalda Castro, Cravo (Portugal) 
  
Jean-Henry D’Anglebert - Prélude Non Mésuré 
Jean-Philippe Rameau - Allemande 
Antoine Forqueray - La Cottin
François Couperin - Sonatas em Ré Menor, Sol Menor e Sol Maior; 
  - XXème Ordre – Les Juméles, Líntime, La Galante, La Coribante, La Vauvré, La Fileuse, La Boulonoise, L’Atalante
Armand-Louis Couperin - Allemande
Jacques Dyphly - Courante 
Pancrace Royer -  L’aimable
Claude Balbastre - La Lugeac 

Com mais de 30 anos de carreira e de uma intensa actividade artística e pedagógica, Ana Mafalda Castro afirma-se como solista, acompanhadora e na direcção e criação de vários grupos que se dedicam à Música Antiga. Tocou nos Festivais mais importantes do País, tanto a solo como em música de câmara tendo, entre outros, tocado com Anner Bylsma, Ketil Haugsand e Andrew Manze. É professora e fundadora do Curso de Música Antiga na ESMAE, professora na Escola Superior de Música de Lisboa e na Academia de Música Antiga de Lisboa onde também faz parte da Direcção. Nasceu no Porto onde completou os seus estudos de piano com Fernanda Wandschneider e, entre 1983 e 1990, estudou cravo na Holanda com Glen Wilson, Jacques Ogg, Bob van Asperen e Annelie de Man.



19 Julho | 21h45 | Cine-Teatro Garrett 

Quarteto Verazin, Quarteto de Cordas residente do FIMPV (Portugal) 
Sérgio de A., Piano (Portugal)

Estreia das obras finalistas do 11º Concurso Internacional de Composição da Póvoa de Varzim: 
Carlos Filipe de Sousa Lopes (1995) - “Tragoidia”, 2018 
Rodrigo Gonçalves Bacelar (1995) - “Recorda” for String Quartet 

António Pinho Vargas (1951) -“Montagem: Orson Welles” – Quarteto De Cordas Nº 4  [Estreia da obra encomendada pelo FIMPV]
Dmitry Shostakovich (1906-1975) - Quinteto com Piano, em Sol Menor, Op. 57

O concerto integra a final do 11º Concurso Internacional de Composição da Póvoa de Varzim, com a estreia mundial das duas peças seleccionadas e ainda a encomenda do FIMPV ao compositor António Pinho Vargas, Presidente do Júri do Concurso.
O Quarteto Verazin foi criado em 2007 pela Associação Pró-Música sendo desde então agrupamento residente do FIMPV, integrando-se regularmente na sua programação.
Sérgio de A. é natural do Porto. Estudou sob direcção de Miguel Borges Coelho, em cuja classe viria a concluir a Licenciatura, na ESMAE, com a classificação máxima. Durante o seu percurso de formação participou em inúmeras masterclasses de aperfeiçoamento, destacando-se o contacto com Vitalij Margulis e Dmitri Bashkirov. Nesse contexto conheceu o pianista Vladimir Viardo, que lhe atribuiu uma bolsa de estudo para trabalhar consigo na University of North Texas, onde é Artist in Residence, elogiando-o como “um talento de classe mundial”.



20 Julho | 21h45 | Cine-Teatro Garrett

Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música (Portugal) 
Raúl da Costa, Piano (Portugal) 
Sérgio Pacheco, Trompete (Portugal) 
Martin André, Direcção Musical (Reino Unido)

Joseph Haydn (1732-1809) - Sinfonia nº 42 'O Urso'
Dmitry Shostakovich (1906-1975) - Concerto para Piano e Orquestra nº 1, em Dó Menor, Op. 35
Sergei Prokofiev (1891-1953) - Sinfonia nº 1 'Clássica'

A origem da Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música remonta a 1947, ano em que foi constituída a Orquestra Sinfónica do Conservatório de Música do Porto, que desde então passou por diversas designações. É parte integrante da Fundação Casa da Música desde Julho de 2006. 
Martin André estudou violino e piano na Yehudi Menuhin School e estreou-se profissionalmente a dirigir na Ópera Nacional de Gales, em 1982. Recentemente comemorou 30 anos de uma carreira desenvolvida em teatros de ópera e salas de concerto de todo o mundo. 
Sérgio Pacheco é Chefe de Naipe de Trompete da Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música. 
Raúl da Costa nasceu na Póvoa de Varzim (iniciou os seus estudos musicais na Escola de Música local). Foi premiado no 1º Concurso da União Europeia, em Praga. Obteve em 2016 o 1º prémio e todos os prémios especiais do concurso internacional ZF-Musikpreis. É bolseiro da Fundação Gulbenkian e integra a classe de Bernd Goetzke, na Hochschule für Musik und Medien (Hannover).




21 Julho | 21h45 | Igreja Matriz 

‘‘Variations On Variations”

Concerto Italiano, Agrupamento de Música Antiga (Itália) 
Rinaldo Alessandrini, Cravo e Direcção Musical 
Boris Begelman, Violino 
Antonio de Secondi, Violino
Ettore Belli, Viola 
Ludovico Takeshi Minasi, Violoncelo 
Matteo Coticoni, Violone

Johann Sebastian Bach (1685-1750)
– Passacaglia em Ré Menor do Original BWV 582 em Dó Menor, 
- Aria Variata Alla Maniera Italiana em Sol Menor para Violino e Continuodo Original BWV 989 em Lá Menor, 
- Canzona em Ré Menor do Original BWV 588
- Goldberg-Variationen do Original para Cravo - Aria mit verschiedenen veränderungen für Cembalo mit 2 Manualen, BWV 988

Para além das suas actividades como fundador e director do Concerto Italiano, Rinaldo Alessandrini é reconhecido como um recitalista em cravo, fortepiano e órgão, e considerado como um dos mais fidedignos intérpretes de Monteverdi em todo o mundo.
Sobre a sua adaptação das ‘Variações Goldberg’ e da ‘Aria variata alla maniera italiana’ de Bach (inicialmente escritas para instrumento de teclas) a um pequeno agrupamento, Alessandrini esclarece que [...] «se trata de um divertimento, de um prazer intelectual subtil, cultivado ao longo de um ano de gestação e de realização do projecto. […] O resultado oferece a possibilidade de reescutar a polifonia das Variações Goldberg (bem como do resto do programa) com a magnificência sonora de um grupo de cordas, que isola as linhas singulares ao recriar a unidade contrapontística, realçando ainda mais a sua extraordinária riqueza e criatividade.»




22 Julho | 21h45 | Igreja Românica de S. Pedro de Rates 

Vision String Quartet, Agrupamento de Música de Câmara (Alemanha) 

György Ligeti (1923-2006) - Quarteto nº 1 'Metamorphoses Nocturnes'
Franz Schubert (1797-1828) - Quartettsatz em Dó Menor D. 703
Felix Mendelssohn (1809-1847) - Quarteto nº 6

Fundado em 2012 e sediado em Berlin, o Vision String Quartet é considerado como um dos mais interessantes jovens quartetos da sua geração. Com rara versatilidade focada no repertório clássico do quarteto de cordas, lado a lado com as suas próprias composições e arranjos de outros géneros
diferentes, os quatro jovens músicos estão empenhados em redireccionar com integridade a forma como a música clássica é apresentada e entendida tanto pelos novos públicos como pelos mais tradicionais. A sua distinta característica de interpretar todos os seus programas de pé e de cor confere aos
seus concertos uma acrescida intimidadee intensidade imensamente apreciadas. 2016 foi um ano de notáveis feitos para o Quarteto, pois alcançou o primeiro Prémio e todos os prémios especiais e do público em dois importantes concursos: Felix Mendelssohn Bartholdy em Berlim, Internacional de Genebra, Würth Prize e ainda o Prémio do público no Mecklenburg-Vorpommern Festival.



25 Julho | 21h45 | Cine-Teatro Garrett 

Arcadi Volodos, Piano (Federação Russa)

Robert Schumann (1810-1856) - Cenas Infantis, Op. 15
Federico Mompou (1893-1987) - Música Calada, 12 Excertos
Franz Schubert (1797-1828) - Sonata em Sib Maior D. 960

Nascido em S. Petersburgo em 1972, Arcadi Volodos iniciou os seus estudos musicais com lições de canto e direcção. Como pianista, só começou a estudar seriamente em 1987 no Conservatório de S. Petersburgo, antes de prosseguir estudos superiores no Conservatório de Moscovo com Galina
Egiazarova, e em Paris e Madrid. Desde a sua estreia em Nova Iorque em 1996, apresentou-se no mundo inteiro em recital e com as maiores orquestras e chefes de orquestra. O seu recital de piano de estreia (no Carnegie Hall) foi premiado com um ‘Award-winning’ da Gramophone. Os seguintes também
foram aclamados pela crítica. ‘Volodos Plays Brahms’ é a última gravação, imediatamente considerada como um marco na cena musical: foi premiada
em Novembro de 2017 com o Edison Classical Award e o Diapason d’Or.



27 Julho | 21h45 | Cine-Teatro Garrett

“L’Heure Espagnole”

Raquel Camarinha, Produção e Soprano (Portugal) 
Yoan Héreau, Produção e Direcção Musical (França)
Raquel Silva, Encenação (Portugal)
Ensemble Messiaen (França) 
 
Música de Maurice Ravel (1875-1937) e libreto de Franc-Nohain - L’Heure Espagnole
- versão de Jean-Frédéric Neuburger [Estreia em Portugal]
Comédia lírica cuja acção se passa em Toledo no século XVIII, agora proposta em versão de câmara para um pequeno conjunto instrumental e em estreia mundial da encenação de Raquel Silva. Produção de Raquel Camarinha (Conception) e direcção musical de Yoan Héreau. Colaboração de Bruno Taddia (Ramiro), Fernando Guimarães (Gonzalve), Rui Silva (D. Iñigo Gomez), Alberto Sousa (Torquemada) e do Ensemble Messiaën (Raphaël Sévère, David Petrlik, Volodia Van Keulen e Théo Fouchenneret), e ainda de Ben-San Lau (pianista correpetidor).



28 Julho | 21h45 | Igreja Matriz 
Pulcinella Orchestra (França) 
Ophélie Gaillard, Violoncelo e Direcção Musical (França / Suiça) 
Mihály Zeke, Direcção Musical (Hungria/Grécia)

Johann Sebastian Bach (1685-1750) - ‘Singet Dem Herrn Ein Neues Lied’, BWV 225
Carl Philipp Emanuel Bach (1714-1788) - Concerto para Violoncelo e Orquestra em Lá Menor Wq. 172 / H. 439
  - ‘Heilig Ist Gott’ Wq. 217 / H. 778 para Alto Solo, Coro Duplo e Orquestra
  - Oratória ‘Ressurreição e Ascensão de Jesus’ , Wq. 240 / H. 777 





Manifestações Paralelas

1 a 31 Julho

1.  Instalações da Escola de Música / Auditório Municipal
À Descoberta do Património Musical - Exposição dos trabalhos premiados pelo concurso (Escolas do Ensino Vocacional e Ensino Genérico Básico e Secundário)


2. Auditório Municipal | Diana-BAR
Concertos informais por docentes, alunos e ex-alunos solistas, Orquestras de Cordas e Sopros da EMPV 


3. Museu Municipal | Auditório Municipal 
Masterclasses com alguns dos intérpretes dos concertos


4. Exposições 
02 a 29 Julho | Biblioteca Diana Bar
“Novos Horizontes” | Exposição de pintura de Mário Pires de Lima

08 Julho a 31 de Agosto | Biblioteca Municipal
Exposição colectiva “P de Pintura” – Leonel Cunha



Para mais informações, visite o site do Festival.