Ouvir
Notas Finais
Em Direto
Notas Finais António Pires Veloso

Festivais

Festival Internacional de Música de Espinho | 17 Junho a 30 Julho

48ª edição

|

Festival Internacional de Música de Espinho | 17 Junho a 30 Julho Festival Internacional de Música de Espinho | 17 Junho a 30 Julho

17 Junho a 30 Julho

Festival Internacional de Música de Espinho 


Festival Internacional de Música de Espinho (FIME) é um dos mais antigos festivais de música clássica/erudita em Portugal, cujo início remonta a 1964. 
Considerado um dos Festivais de referência em Portugal, o FIME tem apresentado  ao longo de décadas, uma programação consolidada em diversidade e qualidade, e em que a música erudita e o jazz se combinam.
Seja apresentando concertos a solo, em música de câmara, ensembles diversos e orquestras, a sua programação é abrangente, da música barroca à contemporânea, com uma forte aposta em repertórios de exceção e projetos artísticos e intérpretes de projeção internacional.

Nesta 48ª edição, a proposta, da responsabilidade de Alexandre Santos, engloba 14 concertos, em novos e diferentes espaços da cidade de Espinho e numa igreja do Porto, onde sobrem ao palco artistas internacionalmente consagrados como William Christie, Dave Holland e Estrella Morente.


Programação

17 Junho | 22h00
Praça do progresso, Espinho
Entrada livre

Belmondo Quintet & Orquestra Clássica de Espinho
Diogo Costa direção musical

Ravel et le Jazz
O concerto de abertura do FIME faz-se ao ritmo frenético do jazz. Após a Primeira Guerra Mundial, os sons das Américas espalharam-se pela Europa, marcando o compasso da vida quotidiana. Este concerto mostra a influência mútua do jazz e da música erudita, apresentando Maurice Ravel e os modernistas franceses como exemplo. Ritmos e timbres norte-americanos foram misturados com o Modernismo francês de forma muito especial. Apresentando o Belmondo Quintet em paralelo a uma orquestra, é uma exploração empolgante dos cruzamentos entre universos musicais.

@ Geraldine Aresteanu


25 Junho | 21h30
Auditório de Espinho | Academia

Real Filharmonía de Galicia
Alena Baeva, violino
Joana Carneiro, direção musical

Real Virtuosismo

Programa

Sergei Prokofiev - Concerto para violino e orquestra Nº 2, op. 63

Ludwig van Beethoven - Sinfonia Nº 7, em lá maior, op. 92

Este concerto apresenta a Real Filharmonía de Galicia com duas obras essenciais do repertório orquestral. O Concerto para Violino Nº 2 foi escrito por Sergei Prokofiev, nascido na Ucrânia durante o período Imperial Russo, quando este se encontrava em movimento. Escrito entre França, Rússia e Azerbaijão, estreou em Madrid. Nele, a expressividade clássica e o virtuosismo romântico são reconstruídos através do prisma do Modernismo. A violinista russa Alena Baeva regressa ao FIME para momentos de grande emoção. A Sinfonia Nº 7 de Beethoven completa o programa, numa obra de conceção magistral que, rapidamente, se tornou património sonoro para várias gerações de ouvintes.

@ Vladimir Shirokov


26 Junho | 11h30
Auditório de Espinho | Academia

Percussões EPME
Festival Júnior

Joaquim Alves, Nuno Simões e André Dias, direção musical
Alexandre Andrade | Gonçalo Brandão | Manuel Dias | Diogo Azevedo | Hugo Santos | Pedro Simões | João Rosa | Pedro Gouveia | João Leitão | João Oliveira | Diogo Maia | Guilherme Guedes, percussões EPME

Contos Percu(r)tidos

Programa

Emmanuel Séjourné - Venin
Nebojša Jovan Živković - Trio Per Uno
Mauricio Kagel - Railroad Drama and Ruff
Emmanuel Séjourné - Martians Tribe
Mauricio Kagel - Rutscher
Ivan Trevino - Shared Space
Vinko Globokar - Corporel
Victor LaBozzetta - The Feeling of Coming Home

As histórias fazem parte da nossa infância. Neste concerto para famílias, partimos de contos muito populares para uma viagem pelas terras da imaginação. Contadores pegam nas histórias e dão-lhes vida de uma forma imprevisível, lançando novos caminhos. Dessa forma, a tradição oral compõe e recompõe as narrativas, ajustando-as a cada momento. A música interpretada por jovens percussionistas esboça cenários baseados em contos infantis. Com esses sons, o público é convidado a delinear os contornos mais vivos das histórias, numa atmosfera livre e lúdica de bricolage criativa.


30 Junho | 21h30
Auditório de Espinho | Academia

Dhafer Youssef “Digital Africa” feat. Ballaké Sissoko & Eivind Aarset

Digital Africa
O mundo globalizado promove encontros inusitados. O projeto Digital Africa, do alaudista tunisino Dhafer Youssef é uma ponte entre imaginários africanos. Contando com a kora de Ballaké Sissoko, é uma exploração descomprometida de sonoridades do norte de África. Ideias de ancestralidade e tradição são contrapostas e materializadas no espaço digital. Viagens por uma África do século XXI, enriquecidas pelos timbres particulares do guitarrista norueguês Eivind Aarset. Cumplicidade, tensão e musicalidade num imaginário sonoro dominado por instrumentos de cordas de tradições e geografias muito próprias.

@ Geraldine Aresteanu


2 Julho | 21h30
Auditório de Espinho | Academia

Gurdjieff Ensemble
Levon Eskenian, direção artística

Sons da Arménia
A música da Arménia é o foco do Gurdjieff Ensemble. A Arménia é um país com uma história rica e complexa, na qual se forjou uma tradição musical que liga continentes. Evocando o místico e músico George Gurdjieff, o coletivo apresenta música desse país, interpretada por instrumentos tradicionais. Premiado em várias ocasiões, o agrupamento tem apresentado arranjos inovadores de peças de compositores arménios, grandemente influenciadas pela tradição oral. As melodias ondulantes e os timbres característicos de um complexo geográfico que liga a Europa e a Ásia dominam um concerto surpreendente em que pontifica uma atmosfera de liberdade.

@ Andranik Sahakyan


7 Julho | 21h30
Auditório de Espinho | Academia

Vijay Iyer & Orquestra de Jazz de Espinho

Open City
Vijay Iyer tem uma sólida carreira como pianista, compositor e educador. O seu interesse na música feita por asiáticos nos Estados Unidos da América enforma a sua abordagem criativa. Cruzando estilos e domínios musicais, a obra de Iyer marca o panorama jazzístico dos últimos anos. Improvisador criativo, Vijay concilia modernidade e tradição numa música sem passaporte nem fronteiras. Neste concerto incomum, partilha o palco com jovens valores da Orquestra de Jazz de Espinho, interpretando um reportório eclético e apaixonante.



8 Julho | 21h30
Auditório de Espinho | Academia

Alice Sara Ott piano

Programa
Echoes Of Life

In The Beginning Was
Francesco Tristano - In The Beginning Was
Frederic Chopin - Prelúdio Nº 1, em dó maior
- Prelúdio Nº 2, em lá menor
- Prelúdio Nº 3, em sol maior
- Prelúdio Nº 4, em mi menor

Infant Rebellion
György Ligeti - Musica Ricercata
Frédéric Chopin - Prelúdio Nº 5, em ré maior
- Prelúdio Nº 6, em si menor
- Prelúdio Nº 7, em lá maior
- Prelúdio Nº 8, em fá sustenido menor

When The Grass Was Greener
Nino Rota - Valse
Frédéric Chopin - Prelúdio Nº 9, em mi maior
- Prelúdio Nº 10, em dó sustenido menor
- Prelúdio Nº 11, em si maior
- Prelúdio Nº 12, em sol sustenido menor

No Roadmap To Adulthood
Chilly Gonzales - Prelúdio em dó sustenido maior
Frédéric Chopin - Prelúdio Nº 13, em fá sustenido maior
- Prelúdio Nº 14, em mi bemol menor
- Prelúdio Nº 15, em ré bemol maior
- Prelúdio Nº 16, em si bemol menor

Identity
Toru Takemitsu - Litany
Frédéric Chopin - Prelúdio Nº 17, em lá bemol maior
- Prelúdio Nº 18, em fá menor
- Prelúdio Nº 19, em mi bemol maior
- Prelúdio Nº 20, em dó menor

A Path To Where
Arvo Pärt - Für Alina
Frédéric Chopin - Prelúdio Nº 21, em si bemol maior
- Prelúdio Nº 22, em sol menor
- Prelúdio Nº 23, em fá maior
- Prelúdio Nº 24, em ré menor

Lullaby To Eternity
Alice Sara Ott - Lullaby To Eternity (sobre fragmentos da "Lacrimosa," do Requiem de Wolfgang Amadeus Mozart)

A pianista Alice Sara Ott lançou o álbum Echoes of Life pela prestigiada Deutsche Grammophon em 2021. Nele, explora uma obra essencial da literatura pianística do século XIX, os Prelúdios, de Chopin. Em paralelo, apresenta peças contemporâneas de compositores inovadores. Neste espetáculo, a música tem uma parceira importante. Uma instalação do arquiteto turco Hakan Demirel acompanha o recital de uma forma criativa e criadora. Desenvolvido durante confinamentos, nos quais que as noções humanas de espaço e tempo foram profundamente transformadas, o projeto cria uma experiência multissensorial em que som, imagem e movimento alimentam lugares habitados onde artistas e públicos se encontram.


@ Pascal Albandopulos


11 Julho | 21h30
Auditório de Espinho | Academia

Crosscurrents Trio

Dave Holland, contrabaixo
Chris Potter, saxofone
Zakir Hussain, tabla

Good Hope
Dave Holland é um nome histórico do jazz que dispensa apresentações, tal como os seus parceiros para uma noite promissora de improvisação. Chris Potter, um dos mais destacados saxofonistas da atualidade junta-se a Zakir Hussain, um mestre das tablas, e a Holland no projeto Crosscurrents. O seu álbum Good Hope, lançado em 2019, é emblemático de uma mistura de estilos, tradições e culturas. Um super trio para uma noite sem limites à criatividade virtuosística de um agrupamento que faz música sempre excitante.

@ P. Joseph


14 Julho | 21h30
Auditório de Espinho | Academia

Orquestra da Academia Barroca de Ambronay
Ophélie Gaillard, violoncelo e direção musical

Programa

Os Exploradores: Mozart, Haydn, Boccherini

Wolfgang Amadeus Mozart - Sinfonia Nº 17, em sol maior, KV 129

Luigi Boccherini - Concerto para violoncelo e orquestra em ré maior, G. 483 [Solista: Ophélie Gaillard]

Joseph Haydn - Sinfonia Nº 49, em fá menor “La Passione,” Hob I :49

Luigi Boccherini - Sinfonia Nº 6, em ré menor, “La Casa del Diavolo,” G. 506

A grande violoncelista francesa Ophélie Gaillard visita Espinho com a Orquestra da Academia Barroca de Ambronay. Com um programa centrado no final do Classicismo, em que o sinfonismo e o equilíbrio orquestral se misturavam com a invenção e fantasia dos músicos, promete um concerto fascinante em que jovens músicos partilham o palco com uma referência internacional. Das sinfonias de Mozart e Haydn, passando pelo virtuosismo violoncelístico de Boccherini, um concerto que mostra a elegância e plasticidade do estilo clássico em todo o esplendor.



15 Julho | 21h30
Igreja dos Carmelitas Descalços, Porto
Entrada livre

Jean Rondeau, cravo

Programa

As Variações Golberg

Johann Sebastian Bach - Variações Goldberg, BWV 988

Publicada em 1741, a Ária com trinta variações, de Johann Sebastian Bach, é uma obra central do repertório barroco para instrumentos de tecla. Possivelmente escritas para o músico Johann Gottlieb Goldberg acompanhar a insónia do Conde Keyserling, condensam as técnicas expressivas no final do Barroco, apontando o caminho para o Classicismo. Contraste, expressividade e grande solidez formal numa obra interpretada por um valor seguro da música, Jean Rondeau, que revisita o Festival Internacional de Música de Espinho com uma obra emblemática do seu repertório.



17 Julho | 18h00
Auditório de Espinho | Academia

William Christie, cravo
Théotime Langlois de Swarte, violino

Programa
A Mestria do Barroco

George Frideric Handel - Sonata em ré maior, HWV 371
Jean Baptiste Senaillé - Extratos da Sonata Nº 6, em sol menor, do Primeiro livro de sonatas para violino solo e baixo contínuo
Jean-Marie Leclair - Sonata Nº 5, em lá maior, do Primeiro livro de sonatas para violino e baixo contínuo
Jean Baptiste Senaillé - Extratos da Sonata Nº 5, em dó menor, do Primeiro livro de sonatas para violino solo e baixo contínuo
Jean-Marie Leclair - Transcrição de extratos da Sonata Nº 5 para dois violinos, em mi menor, op. 3
Jean Baptiste Senaillé - Sonata Nº 5, em mi menor, do Quarto livro de sonatas para violino solo e baixo contínuo
Jean-Marie Leclair - Extratos da Sonata Nº 2, em fá maior, do Segundo livro de sonatas para violino e flauta transversal com baixo contínuo
Arcangelo Corelli - Sonata em ré menor, op. 5 Nº 12 “La Follia”

A fantasia e a expressividade do Barroco encarnaram na sonata, uma composição para pequenos grupos instrumentais. Neste recital, destaca-se o estilo violinístico da França do século XVIII, cuja influência se estendeu ao alemão Handel, compositor viajante. Handel conheceu Corelli, violinista proeminente no estilo italiano. O contraste de atmosferas e texturas que marca o final do Barroco antecipa o advento da música de câmara do período seguinte. A juventude do violinista Théotime Langlois de Swarte reúne-se à experiência de William Christie, uma referência na música barroca de França, que, neste dia, nos deliciará com a sua sabedoria.



22 Julho | 21h30
Capela de Nossa Senhora da Ajuda, Espinho
Entrada livre

Andreas Scholl, contratenor
Edin Karamazov, alaúde

Programa
Canciones Amatorias

John Dowland - Behold a wonder here

Thomas Campion - My sweetest Lesbia

John Dowland - Come again, sweet love doth now invite

John Dowland - I saw my lady weep

John Dowland - In darkness let me dwell

John Dowland - Time stands still

Robert Johnson - Have you seen the bright lily grow

Leo Brouwer - Das English Folksongs, para voz e alaúde:
Wayfaring stranger
Down by the Salley Gardens
The water is wide

Leo Brouwer - Canciones amatorias:
Yo he de ensenarte el camino
El Cantar de los Cantares
Balada de un dia de Julio

O Festival Internacional de Música de Espinho é palco de encontros inusitados. Este recital reúne o contratenor alemão Andreas Scholl e o alaudista Edin Karamazov, referências da criatividade na interpretação historicamente informada da música barroca. Em Espinho, apresentarão um programa diferente. A primeira parte mostra obras essenciais do repertório isabelino para alaúde e voz. A segunda parte centra-se no compositor cubano Leo Brouwer, de arranjos de canções tradicionais a obras de matriz contemporânea, sem nunca perder o popular de vista. Música de vários períodos por intérpretes que asseguram a liberdade e a transgressão.

@ Rolf Walther; Valters Pelns


24 Julho | 11h30
Auditório de Espinho | Academia

Duo Jost Costa, piano
Festival Júnior

Programa
La Mer

Claude Debussy - La mer

O mar inspira muitos compositores. Dois pianos mergulham no mar e levam-nos numa viagem pela música de Debussy. Escrito para orquestra e arranjado pelo compositor para piano a quatro mãos, La mer estabeleceu-se como uma referência do Modernismo em França. Sons, timbres e flutuações pontificam numa música em estado líquido. O Duo Jost Costa leva miúdos e graúdos numa viagem subaquática pela música de Debussy e pela videoarte de Katharina Wibmer, num espetáculo descontraído para toda a família.



30 Julho | 22h00
Praça do progresso, Espinho
Entrada livre

Estrella Morente & Orquestra Clássica de Espinho
Sergio Alapont, direção musical

El Amor Brujo!

O cruzamento de estilos e géneros musicais e o protagonismo da Orquestra Clássica de Espinho são marcas identitárias do concerto de encerramento do Festival Internacional de Música de Espinho. Neste momento feliz, contará com a participação de Estrella Morente, cantora com a música espanhola a correr nas veias. Grande intérprete de flamenco, apresentará obras emblemáticas do Modernismo espanhol, que oscilam entre o exótico e o autêntico. Das coloridas orquestrações de Manuel de Falla, passando pelas recolhas do seu amigo, o poeta Federico García Lorca, o espírito andaluz visitará Estrella Morente e encarnará na sua voz. Duende, o encantamento místico e intransmissível dos grandes intérpretes do flamenco, é acompanhado pela orquestra numa noite imperdível.

@ Gregori Civera



Mais informações sobre o FIME, aqui.