Ouvir
Sol Maior
Em Direto
Sol Maior Pedro Rafael Costa

Festivais

Festival Robalo Jazz Antena 2 | 18 a 22 Julho | 18h00 | 19h30

Liceu Camões

|

Festival Robalo Jazz Antena 2 | 18 a 22 Julho | 18h00 | 19h30 Festival Robalo Jazz Antena 2 | 18 a 22 Julho | 18h00 | 19h30

A Antena 2 transmite em direto a 5ª edição do Festival Robalo Jazz Antena 2. Um festival que revela a diversidade e vitalidade do jazz atual, onde atuam e se juntam músicos de várias gerações e proveniências, incluindo a estreia de projetos originais.


18 a 22 Julho | às 18h00 e às 19h30
Festival Robalo Jazz Antena 2  

Transmissões diretas
a partir do Auditório do 
Liceu Camões, em Lisboa    
Entrada Livre


Para este 5º festival, a Robalo mantém a mesma linha dos festivais anteriores. Música atual, com muitos músicos de diversas gerações, de diferentes zonas do país, maioritariamente músicos portugueses mas também músicos de outras nacionalidades. Trata-se de um conjunto de propostas que alberga alguma variedade estética, com alguns destes músicos a gravitarem de algum modo em torno da editora (e associação) Robalo, há inclusive três lançamentos de novos discos.
O festival começa com o novo grupo da Sara Serpa que apresenta uma música inspirada nas palavras do escritor nigeriano Emmanuel Iduma, muito bem acompanhado por músicos da cena nova-iorquina. Segue-se o grupo Oh Yes Pigs Can Fly liderado pelo guitarrista de Viseu Leonardo Outeiro que, acompanhado de músicos da nova geração, propõe uma música audaz e energética. No dia seguinte apresenta-se o quinteto do guitarrista João Carreiro, um grupo de músicos ligados à associação Robalo que vão tocar a música do disco de estreia deste guitarrista. Segue-se o sexteto de Albert Cirera que traz aqui também a música muito criativa do seu último disco.
Uma parceria muito importante para a Robalo é aquela que tem mantido com a associação Porta-Jazz, fruto disso mesmo é o concerto que abre o terceiro dia e que envolve músicos das duas associações e que exploram de forma meticulosa as suas próprias composições. Segue-se o novo trio do guitarrista André Matos que vai aqui apresentar o seu novo álbum.
Este ano, ao contrário do que tem sido hábito, não temos um concerto de piano a solo, temos sim o duo ĩ pru vi ˈzar do pianista João Grilo e do baterista Marcos Cavaleiro, músicos associados à Porta-Jazz que irão mostrar música nova. Nesse mesmo dia novo lançamento de disco: desta vez o jovem e intrépido saxofonista João Gato junta-se a outros músicos da sua geração para apresentar as suas composições.
No último dia, para fechar o festival, temos a música dos The Peace Of Wild Things que navega entre canções e a música improvisada. Segue-se o grupo “all stars” VAGA liderado por Yedo Gibson que vai trazer ainda mais música improvisada para fechar o festival.
Gonçalo Marques
Diretor artístico do Festival



Programa [Sumário]

18 julho | 18h00 
Sara Serpa Intimate Strangers

18 julho | 19h30 
Oh Yes, Pigs Can Fly!

19 julho | 18h00 
João Carreiro Quinteto

19 julho | 19h30 
Albert Cirera y Kamarilla

20 julho | 18h00 
Ensemble Robalo/Porta-Jazz

20 julho | 19h30 
Trio de André Matos

21 julho | 18h00 
ĩ pru vi ˈzar

21 julho | 19h30 
APOPHENIA

22 julho | 18h00 
The Peace Of Wild Things

22 julho | 19h30
VAGA



Programação

18 julho | 18h00
Sara Serpa Intimate Strangers

Sara Serpa - voz/composição
Sofía Rei - voz
Aubrey Johnson - voz
Fabian Almazan - piano
Qasim Naqvi - sintetisadores
Erin Pettigrew - narração

Trata-se de uma colaboração entre a cantora e compositora Sara Serpa e escritor nigeriano Emmanuel Iduma, inspira-se precisamente no seu último livro A Stranger's Pose, uma mistura única de diário de viagens, divagações e poesia, com um prefácio de Teju Cole. Numa combinação de música, texto, imagem e field recordings, o espetáculo Intimate Strangers explora temas como movimento, casa, dor, ausência e desejo, naquilo que Iduma chama de "atlas de um mundo sem fronteiras".



18 julho |19h30
Oh Yes, Pigs Can Fly! (If You Kick Them Hard Enough)

Leonardo Outeiro - guitarra/composição
Bernardo Tinoco - saxofone
João Almeida - trompete
José Diogo - piano
João Fragoso - contrabaixo
Miguel Rodrigues - bateria

Robert Caligari vai morrer hoje! Vai morrer no final de uma sinfonia contemporânea inspirada na obra-prima do grotesco O Rapaz Que Chutava Porcos. É uma história verdadeiramente triste e horrível sobre um rapaz que passava das marcas. Robert sofria de um impulso atípico que fazia com que não resistisse a colocar o seu pé no traseiro de porcos inscientes de forma a fazê-los voar! Estes recém-batizados voadores, que podiam tomar a forma de costeletas, porquinho-mealheiro ou sandes de presunto, lançam-se para uma confusão dissonante de um universo policordal influenciado pelas técnicas da música erudita do século XX. Estas conjugam-se com a improvisação e formam uma sincronia fatal que navega rumo ao sítio do seu último repouso. Robert Caligari vai morrer hoje! Mas antes vai despertar a tormenta caótica que dá a sonoridade a esta Ode aos porcos de traseiro quente.



19 julho | 18h00
João Carreiro Quinteto [lançamento de disco]

João Carreiro - guitarra
Gonçalo Marques - trompete
Albert Cirera - saxofones tenor e soprano
Demian Cabaud - contrabaixo
João Lopes Pereira - bateria

Concerto de apresentação do disco Pequenos desastres editado pela Robalo music. Influenciado pela música de Paul Bley, Olive Lake e Julius Hemphill, as composições são pequenas ideias que servem de ponto de partida para a improvisação conjunta.




19 julho | 19h30
Albert Cirera y Kamarilla
 
Albert Cirera - saxofones tenor e soprano
Marcel.lí Bayer - saxofone alto e clarinetes
Iván González - trompete
Vicent Pérez - trombone
Javi Garrabella - baixo eléctrico
Ramon Prats - bateria

Albert Cirera junta aqui alguma da sua música original e dá-lhe nova vida com este septeto. A cumplicidade que partilha com estes músicos permite-lhes construir um linguagem própria de melodias, grooves e improvisação ao mesmo tempo que experimentam novos timbres, texturas e formas.




20 julho | 18h00
Ensemble Robalo/Porta-Jazz

João Almeida - trompete
Eurico Costa - guitarra
Nuno Trocado - guitarra
João Fragoso - contrabaixo
Gonçalo Ribeiro - bateria

Este concerto é o resultado da segunda parceria entre a associação Robalo e a muito dinâmica associação Porta-Jazz, a sua associação “irmã” do Porto. A ideia é juntar músicos das duas cidades de diferentes idades e orientações estéticas. Este grupo vai apresentar um conjunto de temas originais de todos os seus elementos, com muita improvisação à mistura, do qual resulta uma proposta variada mas muito coerente.




20 julho | 19h30
Trio de André Matos [lançamento de disco]

André Matos - guitarra
João Hasselberg - baixo eléctrico
João Pereira - bateria

O trio composto por André Matos, João Hasselberg e João Pereira lançará o primeiro álbum Directo ao mar (Robalo) com um concerto no dia 20 de Julho, no auditório Camões a propósito do Festival Robalo/ Antena 2. Este álbum, resultado de dois encontros em 2020 e 2021, foca-se sobretudo na construção e desenvolvimento de improvisações do grupo, que conjugando materiais rítmicos e tecidos harmónicos familiares, adquirem um carácter de composição instantânea. A estes momentos juntam-se duas composições de Matos e outra do baterista Paul Motian.



21 julho | 18h00
ĩ pru vi ˈzar

João Grilo - piano
Marcos Cavaleiro - bateria

mentir
fazer improvisos
dizer ou fazer de repente, sem premeditação ou sem os elementos precisos
arranjar à pressa
fingir
arvorar-se
constituir-se




21 julho | 19h30
APOPHENIA [lançamento de disco]

João Gato - saxofone alto
Bernardo Tinoco - saxofone alto e soprano
Zé Almeida - contrabaixo
Samuel Dias - bateria

Quarteto nascido em Fevereiro de 2022 com o objetivo de procurar um lugar comum entre a improvisação totalmente livre e as composições sem instrumento harmónico, com influências da estética do Jazz avant-garde de Dolphy e da abordagem rítmica de Peter Evans. Apophenia é o nome da tendência psicológica de reconhecer/ procurar padrões entre dados aparentemente aleatórios, fazendo-se aqui a comparação às nossas 4 linhas de raciocínio díspares que se encontram e afastam, sem uma linha Alfa à priori.


@ Sergei Gavrylov


22 julho | 18h00
The Peace Of Wild Things

Clara Lacerda - piano
Romeu Tristão - contrabaixo
Ricardo Coelho - percussões

Tendo como ponto de partida os espirituais negros e hinos protestantes, este trio começou a escrever repertório original que mantivesse presente o espírito dessa música. Entre composições e improvisações, esperam unir o seu público à volta dos sons que têm explorado.




22 julho | 19h30
VAGA
 
Yedo Gibson - saxofone
Felipe Zenicola - baixo elétrico
Susana Santos Silva - trompete
Paal Nilssen-Love - bateria

Vaga reúne pela primeira vez quatro importantes artistas da música improvisada com distintos percursos musicais e conhecidos pela singularidade de seus vocabulários sonoros. Vaga é um encontro com elevações de grande porte que se formam em mares, a intensa afluência em grande quantidade de algo que se alastra para um ou diversos pontos.