Ouvir
Grande Auditório
Em Direto
Grande Auditório Reinaldo Francisco / Produção: Alexandra Louro de Almeida / Cristina do Carmo / Zulmira Holstein

Festivais

LUME - Lisbon Underground Music Ensemble | Festival Antena 2 | 8 Fevereiro | 19h00

Concerto | Jazz

|

LUME - Lisbon Underground Music Ensemble | Festival Antena 2 | 8 Fevereiro | 19h00 LUME - Lisbon Underground Music Ensemble | Festival Antena 2 | 8 Fevereiro | 19h00

© Rita Carmo



Concerto | Jazz
Sala Garrett
Teatro Nacional D. Maria II

8 Fevereiro | 19h00
Transmissão direta (antena)
Para comprar bilhete, clicar aqui.
Para maiores de 6 anos


LUME - Lisbon Underground Music Ensemble

Marco Barroso, direção e composição, piano
Manuel Luís Cochofel, flauta
Paulo Gaspar, clarinete
João Pedro Silva, saxofone soprano
Ricardo Toscano, saxofone alto
José Menezes, saxofone tenor
Elmano Coelho, saxofone barítono
Rui Chaínho, trompete
Pedro Monteiro, trompete
Jéssica Pina, trompete
Ruben da Luz, trombone
Eduardo Lála, trombone
Mário Vicente, trombone
Yuri Daniel, baixo elétrico
Vicky Marques, bateria






Programa

Jazz Blast

- Lux

- New trance

- Freestyle Boogie

- Astromassa

- Miniaturas

- Sandesblast



(...)


LUME - Lisbon Underground Music Ensemble é um projeto originado e liderado pelo compositor Marco Barroso, com o objetivo de criar um espaço de expressão da sua música e ideias num contexto orquestral particular, com afinidades no modelo clássico da Big Band.
Constituída por alguns dos músicos mais experientes da cena jazz e erudita nacional, L.U.M.E é uma proposta verdadeiramente original no atual panorama musical português. O grupo procura aliar de forma sinérgica a composição escrita com elementos de improvisação, num contexto eclético e autoral, assumindo referências tão diversas que vão do funk à música textural, do boogie woogie a ambientes impressionistas.
Nascido em 2006, o L.U.M.E. lançou, em Outubro de 2010, o seu primeiro disco – uma seleção do repertório composto por Marco Barroso para esta formação, onde se articulam o talento e a cumplicidade sui generis de um conjunto muito diversificado de intérpretes e improvisadores. Seja por uma dramatização (muitas vezes irónica) das práticas e vocabulários que passam pelo jazz, rock ou música erudita, seja pela incursão no experimentalismo, que assalta as franjas destas linguagens, a música de Marco Barroso e do L.U.M.E. reconstrói, de forma original e pertinente, a carga patrimonial do Bigbandismo, fugindo assim aos seus padrões mais convencionais e abrindo novas e refrescantes perspetivas estéticas.



Para mais informações, sobre horários de abertura das salas, acessibilidades e bilheteira, contatar o Teatro Nacional D. Maria II.