Ouvir
Mezza-Voce
Em Direto
Mezza-Voce André Cunha Leal / Produção: Susana Valente

Letras de Canções


Sonnet 18: Shall I compare thee to a summer`s day? / Soneto 18: Devo eu comparar-te a um dia de verão?

Letra Original:


Sonnet 18: Shall I compare thee to a summer's day?

Shall I compare thee to a summer's day?
Thou art more lovely and more temperate:
Rough winds do shake the darling buds of May,
And summer's lease hath all too short a date:
Sometime too hot the eye of heaven shines,
And often is his gold complexion dimm'd;
And every fair from fair sometimes declines,
By chance or nature's changing course untrimm'd;
But thy eternal summer shall not fade
Nor lose possession of that fair thou owest;
Nor shall Death brag thou wander'st in his shade,
When in eternal lines to time thou growest:
So long as men can breathe or eyes can see,
So long lives this and this gives life to thee.

Tradução para Português:


Soneto 18: Devo eu comparar-te a um dia de verão?

Devo eu comparar-te a um dia de verão?
Tu és mais doce e mais fresca:
Agrestes ventos derrubam os tenros botões de Maio,
E o esplendor do verão é de curta duração:
Algumas vezes demasiado quente o olho do céu brilha,
E muitas vezes é a sua doirada compleição obscurecida,
E a plenitude da sua beleza algumas vezes declina
No mutável curso da natureza não ajustado;
Mas o teu eterno verão não murchará
Nem perderá a posse dessa beleza que tu possuis;
Nem deve o invejoso olhar da morte te encontrar,
Pois tu vives na minha canção imortal:
Enquanto os homens possam respirar ou os olhos ver,
Assim vives tu, como o meu canto, sem perecer.