Ouvir
Ecos da Ribalta
Em Direto
Ecos da Ribalta João Pereira Bastos

Letras de Canções


Sea fever / Febre do mar

Letra Original:


Sea fever (John Masefield)

I must go down to the seas again, to the lonely sea and the sky,
And all I ask is a tall ship and a star to steer her by,
And the wheel's kick and the wind's song and the white sail's shaking,
And a grey mist on the sea's face and a grey dawn breaking.

I must go down to the seas again, for the call of the running tide
Is a wild call and a clear call that may not be denied;
And all I ask is a windy day with the white clouds flying,
And the flung spray and the blown spume and the seagulls crying.

I must go down to the seas again, to the vagrant gypsy life,
To the gull's way and the whale's way where the wind's like a whetted knife;
And all I ask is a merry yarn from a laughing fellow-rover,
And quiet sleep and a sweet dream when the long trick's over.

Tradução para Português:


Febre do mar (John Masefield)

Eu devo ir para os mares de novo, para o solitário mar e céu,
E tudo o que peço é um alto barco e uma estrela para o dirigir,
E a excitação do leme e a canção do vento e a agitação da vela branca,
E uma neblina cinzenta na face do mar e um cinzento romper de aurora.

Eu devo ir para os mares de novo porque o apelo da maré que sobe
É um apelo descontrolado e um apelo claro que não pode ser negado;
E tudo o que peço é um dia de vento com as nuvens brancas voando,
E o borrifo espargido e a espuma soprada e as gaivotas gritando.

Eu devo ir para os mares de novo, para a vida cigana errante,
Para o caminho da gaivota e o caminho da baleia onde o vento é como uma afiada faca;
E tudo o que peço é uma alegre história de um companheiro com o sentido de humor
E sono tranquilo e um doce sonho quando o longo turno acabar.