Ouvir
Geografia dos Sons
Em Direto
Geografia dos Sons Luís Tinoco

Letras de Canções


Serenade / Serenata

Letra Original:


Serenade (Christian Ludwig Reissig)

Komm ans Fenster, holde Schöne
Wo kein Horcher uns belauscht,
Wo in meiner Laute Töne
Nur das Abendlüftchen rauscht.
Horch dem goldnen Saitenspiele,
Das melodisch die Gefühle
Meiner Seele wiederklingt!

Du, die unter Millionen
Ich der Liebe würdig fand,
Höhnen würd' ich alle Kronen,
Bötest du mir Herz und Hand.
Und du kannst den Jüngling hassen,
Ihn so herzlos dulden lassen,
Der dich wie sein Leben liebt?

Ach wie träum' ich stets vergebens
Meiner Zukunft Glück so schön,
Traulich mit dir durch des Lebens
Holden Rosenhain zu gehn!
Komm, o komm und still mein Sehnen
Trockne freundlich meine Tränen,
Eh' mich noch das Grab umhüllt!

Chega à janela, terna beleza
Onde nenhum espião nos escuta,
Onde só a brisa da tarde murmura
As notas do meu alaúde.
Escuta o vibrar das maravilhosas cordas
Que melodicamente reflecte
Os sentimentos da minha alma!

Tu, que entre milhões,
Eu achei digna do amor,
Eu desprezaria todas as coroas
Se tu me oferecesses o teu coração e a tua mão.
E como podes tu odiar o jovem,
E deixá-lo sofrer com tanta frieza,
Ele que te ama como a sua própria vida?

Ah! Como sonhei constantemente em vão.
Com a felicidade sorridente do meu futuro,
Caminhando de mão dada contigo
Através do gracioso roseiral da vida!
Vem, ó vem e tranquiliza a minha ansiedade
E as minhas lágrimas seca com ternura
Antes que seja envolvido pela sepultura!

 

Tradução para Português:


Serenata (Christian Ludwig Reissig)

Chega à janela, terna beleza
Onde nenhum espião nos escuta,
Onde só a brisa da tarde murmura
As notas do meu alaúde.
Escuta o vibrar das maravilhosas cordas
Que melodicamente reflecte
Os sentimentos da minha alma!

Tu, que entre milhões,
Eu achei digna do amor,
Eu desprezaria todas as coroas
Se tu me oferecesses o teu coração e a tua mão.
E como podes tu odiar o jovem,
E deixá-lo sofrer com tanta frieza,
Ele que te ama como a sua própria vida?

Ah! Como sonhei constantemente em vão.
Com a felicidade sorridente do meu futuro,
Caminhando de mão dada contigo
Através do gracioso roseiral da vida!
Vem, ó vem e tranquiliza a minha ansiedade
E as minhas lágrimas seca com ternura
Antes que seja envolvido pela sepultura!