Ouvir
Jazz a 2
Em Direto
Jazz a 2 João Moreira dos Santos / Maria Alexandra Corvela / Luís Caetano / Produção: Cristina do Carmo

Metropolitan

Met | Philip Glass | Aquenáton | 7 Dezembro 18h00

Transmissão direta

|

Met | Philip Glass | Aquenáton | 7 Dezembro 18h00 Met | Philip Glass | Aquenáton | 7 Dezembro 18h00

Temporada Metropolitan Opera
de Nova Iorque

7 Dezembro | 18h00


Philip Glass | Aquenáton 


Rainha Tí: Dísella Lárusdóttir (S)
Nefertiti: J'nai Bridges (CA)
Aquenáton: Anthony Roth Costanzo (CT)
Sumo Sacerdote de Amon: Aaron Blake (T)
Horemebe: Will Liverman (BT)
Aí: Richard Bernstein (B)
Amenófis III: Zachary James (papel falado)

Coro e Orquestra do Metropolitan
Direção de Karen Kamensek





Para ler mais sobre esta récita, clicar aqui.





Transmissão em direto
a partir de The Metropolitan Opera de Nova Iorque
Realização e Apresentação: André Cunha Leal
Produção: Susana Valente




Aquenáton 

Ópera em três atos 

Música de Philip Glass (1937)
Libreto de Philip Glass, Shalom Goldman, Robert Israel, Richard Riddell e Jerome Robbins

 Akhnaten é uma das três grandes óperas de Philip Glass, com Einstein on the Beach e Satyagraha (1980)
O argumento de Akhenaton passa-se durante o reinado de 17 anos de Akhnaten, por volta de 1350 AEC, entre a antiga capital egípcia de Tebas e a nova capital de Akhenaton em Akhetaten, assim como nas ruínas do subsequente Akhetaten destruído, e é sobre a vida e morte de um dos maiores faraós do antigo Egito,

Baseia-se numa "grande idéia", neste caso o monoteísmo, à semelhança de Einstein on the Beach, sobre as novas noções de tempo e espaço, e de Satyagraha, onde explora a revelação espiritual e política de não-violência. 

Akhnaten foi uma encomenda do Württembergische Staatstheater, em Estugarda, e teve a sua estreia mundial em 24 de março de 1984, na Ópera Estatal de Stuttgart, sob o título alemão Echnaton.