Ouvir
Caleidoscópio
Em Direto
Caleidoscópio GRANDES COMPOSITORES NEGROS

Ópera

Mendelssohn | Elias | 5 Abril | 18h00

Mezza-Voce

|

Mendelssohn | Elias | 5 Abril | 18h00 Mendelssohn | Elias | 5 Abril | 18h00

5 Abril | 18h00

Programa Mezza-Voce    
Apresentação e Realização: André Cunha Leal 
Produção: Susana Valente     

Gravação da BBC
no Barbican Hall, Londres
a 7 de Fevereiro de 2020


Felix Mendelssohn | Elias 


Claudia Huckle (MS)
Allan Clayton (T)
Johan Reuter (BT)

Coro e Orquestra Sinfónica da BBC
Direção de Sakari Oramo


Um excelente elenco de solistas junta-se ao Coro e Orquestra Sinfónica da BBC para a obra-prima coral de Mendelssohn, a esplendorosa e comovente narração musical da história do profeta Elias.
Felix Mendelssohn e Sakari Oramo têm fortes laços com a cidade de Birmingham, que em 1846 teve a estreia da espetacular narrativa musical sobre acontecimentos da vida, morte e ascensão do profeta do Antigo Testamento, Elias.
Oramo reúne um quarteto de solistas - incluindo um barítono no auge da sua força no papel principal, Johan Reuter - para esta colaboração entre a Orquestra Sinfónica da BBC e o seu Coro.
A obra de Mendelssohn é conhecida pela pompa e circunstância, desgraça e ira, mas esta récita reafirma Elias também como uma obra de coração, espírito, e de grande ternura, uma expressão final que o compositor considerou a sua maior conquista.


Para ler mais sobre esta récita, clicar aqui.




Elias
 op. 70, MWV A 25

Oratória de duas partes

Música de Felix Mendelssohn (1809-1847)

Relata eventos na vida do Profeta Elias, segundo os livros 1 Reis e 2 Reis do Antigo Testamento.
A obra é pontuada para oito solistas vocais (dois de baixo, tenor, alto, soprano), orquestra sinfônica completa, incluindo trombones , oficinas , órgãos e um grande coro que geralmente canta em quatro, mas ocasionalmente em oito partes. O papel-título foi cantado na estréia pelo baixo austríaco Joseph Staudigl

Esta oratória foi apresentada pela primeira vez em 26 de agosto de 1846, no Festival de Birmingham, na sua versão em inglês, conduzida pelo compositor, e foi imediatamente aclamada. Como escreveu o crítico do Times: "Nunca houve um triunfo maior - nunca houve um reconhecimento tão unânime e rápido de uma grande obra de arte". 
Não obstante o triunfo da obra, Mendelssohn fez uma revisão da sua oratória antes da outra série de apresentações em Londres em abril de 1847. A versão alemã foi apresentada pela primeira vez no aniversário do compositor, a 3 de fevereiro de 1848, em Leipzig, alguns meses após a morte de Mendelssohn, sob a batuta do compositor Niels Wilhelm Gade.


Para saber mais sobre os antecedentes e o resumo desta obra, clicar aqui.