Ouvir
Musica Aeterna
Em Direto
Musica Aeterna João Chambers

Ópera

Met | Verdi | Aida | 4 Maio 18h00

The Metropolitan Opera

|

Met | Verdi | Aida | 4 Maio 18h00 Met | Verdi | Aida | 4 Maio 18h00

Temporada Metropolitan Opera
de Nova Iorque

4 Maio| 18h00


Giuseppe Verdi  | Aida 


Aida: Anna Netrebko (S)
Faraó: Ryan Speedo Green (B)
Amneris: Anita Rachvelishvili (MS)
Radamès: Aleksandrs Antonenko (T)
Amonasro: Quinn Kelsey (BT)
Ramfis: Dmitry Belosselskiy (B)

Coro e Orquestra do Metropolitan
Direção de Nicola Luisotti




Para ler mais sobre esta récita, clicar aqui.






Transmissão da gravação

realizada a 6 de Outubro de 2018
em The Metropolitan Opera de Nova Iorque
Realização e Apresentação: André Cunha Leal
Produção: Susana Valente




Ópera em quatro atos

Música de Giuseppe Verdi (1813-1901)
Libreto de Antonio Ghislanzoni (1824-1893)    

A estreia mundial desta ópera foi na Casa da Ópera, no Cairo, a 24 de dezembro de 1871; a estreia num palco europeu teve lugar meses depois, a 8 de Fevereiro de 1872, no Teatro Scala, em Milão.
É uma ópera de carácter épico, com um grande aparato cénico, com coros, ballets, grandes cenários e atos muito longos. Tem um caráter exótico, cenicamente grandiosa, de grandes efeitos, plena de dramatismo e intensidade narrativa, e de uma grande modernidade em termos de mensagem. É considerada uma das maiores criações operáticas de todos os tempos.
Esta é uma das mais populares óperas de Verdi. Está dividida em quatro atos e oito cenas, e é cantada em italiano.  A sua estreia no Egito, a par da intensidade dramática, deu-lhe ainda uma maior espetacularidade. 
Em termos narrativos, é um drama do amor entre uma escrava etíope chamada Aida, mas de origem nobre (e escravizada no reino faraónico) e um general egípcio chamado Radamés, comandante das forças de ocupação do país da escrava (Etiópia). No meio desta paixão, surge ainda a sua condenação pelo pai de Aida, Amonasro, rei da Etiópia, que exige também vingança pela prisão e escravatura da filha.