Ouvir
Música Contemporânea
Em Direto
Música Contemporânea Pedro Coelho

Ópera

Wagner | Tristão e Isolda | 8 Julho 18h00

Mezza-Voce

|

Wagner | Tristão e Isolda | 8 Julho 18h00 Wagner | Tristão e Isolda | 8 Julho 18h00

8 Julho 18h00

Programa Mezza-Voce    
Apresentação e Realização: André Cunha Leal 
Produção: Susana Valente     


Gravação Rádio Catalunha,
a 7 de Dezembro de 2017


Richard Wagner | Tristão e Isolda 


Tristão: Stefan Vinke (T)
Rei Marke: Albert Dohmen (BT)
Isolda: Iréne Theorin (S)
Kurwenal: Greer Grimsley (BT)
Melot: Francisco Vas (T)
Brangania: Sara Connolly (MS)

Direção de Josep Pons




Para saber mais sobre esta récita, clicar aqui.











Tristão e Isolda

Ópera em 3 atos

Música e Libreto de Richard Wagner (1813-1883), baseada na lenda medieval contada por Gottfried von Strassburg, que por sua vez se inspirou no poema escrito em francês por Tomás da Inglaterra.

Composta entre 1857 e 1859, esta ópera foi estreada em Munique a 10 de junho de 1865, no Teatro da Baviera, sob regência do maestro Hans von Bülow.

Reconhecida por diversos críticos como o auge do repertório operístico de Richard Wagner, a partitura de Tristan und Isolde é um marco importante da música erudita moderna por apontar para a dissolução da tonalidade, cuja consequência é o atonalismo do século XX.
 
Wagner compôs esta ópera durante o período que passou na Suíça, quando se viu obrigado a deixar o seu cargo na Ópera de Dresden em 1849, uma vez que tinham ordenado sua detenção por ter participado da Revolução de Maio. Em Zurique conheceu, em 1852, o rico comerciante de seda, Otto Wesendonck que o ajudou economicamente. A mulher deste, Mathilde Wesendonck enamorou-se do compositor à época. Enquanto Wagner trabalhava em O Anel do Nibelungo, baseado no poema épico medieval, sentiu-se intrigado pela lenda, também medieval, de Tristão e Isolda. 
A redescoberta da poesia germânica medieval teve um grande impacto nos movimentos românticos na Alemanha em meados do século XIX, e a também a nível musical, os compositores encontraram nos romances medievais uma fonte de inspiração para argumentos das suas óperas. 
Tristão e Isolda de Wagner produziu um impacto significativo nos compositores ocidentais, servindo de inspiração a músicos como Gustav Mahler, Richard Strauss, Karol Szymanowski, Alban Berg e Arnold Schoenberg.




Para saber mais sobre os antecedentes e argumento desta ópera, clicar aqui.




Fotos © A. Bofill / Liceu de Barcelona