Ouvir
A Ronda da Noite
Em Direto
A Ronda da Noite Luís Caetano

Outros Concertos

Intersections #9 #10 | 30 Julho

CI Community Project | Antena 2

|

Intersections #9 #10 | 30 Julho Intersections #9 #10 | 30 Julho

A Antena 2 online apresenta mensalmente, a partir de 25 de Março, a série de performances, Intersections, um projeto comunitário de Compositores e Improvisadores, da iniciativa de Javier Subatin.


Composers and Improvisers Community Project

                 | Intersections |

Performances de Julho

#9 Nabou Claerhout & Diogo Alexandre | #10 Andres Marino & Matthew Golombisky 


Intersections #9 | Nabou Claerhout & Diogo Alexandre





Nabou Claerhout | Nasceu em 1993, em Antuérpia. Começou a aprender a tocar trombone aos 9 anos. Atualmente, é dos trombonistas de jazz mais promissores e inovadores do Benelux.
Inspirada por Fred Wesley e Mark Guiliana, a jovem Nabou passou da escola Kunsthumaniora Brussel para a Codarts Rotterdam, tendo como seus professores, entre outros, Bart Van Lier e Ilja Reingoud. Desde cedo, Nabou tocou com artistas de renome internacional como Bert Joris, John Ruocco, Dave Holland, Dave Douglas, Evan Parker, Martin Fondsen, Jules Buckley, Jeroen Van Herzele, Andy Hunter, Bert Boeren, Akua Naru, etc. Depois de uma passagem pela Royal Academy of Music de Londres (2017), Nabou formou-se na Codarts em 2018. Desde então, tem ensinado no Conservatório Kortrijk e nas academias de música Wilrijk, e tem trabalhado como investigadora nas Artes & Research Institute em Antuérpia desde setembro de 2021.
O seu quarteto N∆BOU com o álbum 'Hubert' (2019) fizeram dela, sem dúvida, um dos pilares da nova geração do jazz na Bélgica, tanto como solista, líder de banda e compositora. Nabou também esteve envolvida numa série de outros projetos: a Orquestra de Jazz Juvenil de Ghent, a Orquestra Nacional de Jazz Juvenil (vencedora do prêmio "Zilveren Notenkraker" 2016), Orquestra Jovem Metropole, Jokke Schreurs Septet, Azbeul, Pompelomina, Tadpole Evolution, Muze Jazz Orchestra feat. Teatro Lennert Baert e Het Gezin Van Paemel.
A carreira de palco de Nabou tem sido também impressionante, com espetáculos em festivais como o North Sea Jazz Festival, London Jazz Festival, Gent Jazz Festival, Jazz Middlheim, Brussels Jazz Weekend, Dranouter Festival, Gateshead International Jazz Festival, Gentse Feesten, em locais de renome como Bimhuis, De Roma, LantarenVenster, De Handelsbeurs, Flagey, e com digressões na Bélgica, Holanda, Reino Unido e Japão.


Diogo Alexandre | Baterista português nascido em 1998, em Leiria. É caraterizado pela sua forma ousada de tocar o instrumento, cuja sua voz raramente passa despercebida independentemente do contexto musical em que se insere, talvez um reflexo da sua vontade de se extrapolar a ele próprio e de elevar os parâmetros da música e da improvisação.
O seu interesse pela música cresce desde cedo, tendo sido motivado pela sua mãe, também ela músico. Dá os seus primeiros passos na percussão clássica e aos 13 anos a sua mãe oferece-lhe a sua primeira bateria. Com apenas 14 desiste do ensino clássico e muda-se para Coimbra para estudar no Curso Profissional de Jazz do Conservatório de Música de Coimbra.
Depois de se mudar para Lisboa (2016) para estudar na Escola Superior de Música, começou a atuar de forma regular tendo a oportunidade de viver experiências imprescindíveis. Com apenas 21 anos, tocou e gravou com artistas de relevância do panorama nacional e internacional, tais como João Barradas, Ohad Talmor, Amir El Safar, Fabrizio Cassol (diretor), Ben Van Gelder, Frederico Heliodoro, João Mortágua, José Soares, Tomás Marques, Pedro Moreira, José Pedro Coelho, Luís Figueiredo, Óscar Graça, João Paulo Esteves da Silva, João Pedro Coelho, Demian Cabaud, Carlos Barretto, Nelson Cascais, André Rosinha, André Fernandes, André Santos, Mané Fernandes, Javier Subatin, Eduardo Cardinho, Jeffery Davis, Fred Selva, David Fonseca, Cláudia Pascoal.
Foi galardoado com vários prémios nacionais incluindo "Músico Revelação" RTP/Festa do Jazz (2020), "Prémio Jovens Músicos" da RTP e Antena 2 (2019), "Melhor Instrumentista" (2015 e 2017) e "Melhor Combo" (2015) na Festa do Jazz dos Sons da Lusofonia.
Foi convidado e selecionado a participar em residências artísticas internacionais tais como "Intercultural Ensamble Medinea" (duas vezes, 2018 e 2019) dirigido por Fabrizio Cassol num dos maiores festivais de Ópera da Europa, Festival d'Aix en Provence; e Cortona Jazz (2019) dirigido por Shane Endsley, Ohad Talmor e André Fernandes.
Gravou como sideman discos como Javier Subatin "Autotelic" (2018) and "Variaciones" (2019), Desidério Lázaro "Homegrown" (2019), Gonçalo Sousa "Nova Construção" (2019), Zé Cruz "USSEGUNDU" (2019), "Cláudia Pascoal" e Samuel Gapp "Trio with Strings quartet" (2019, vencedor do prémio de composição Bernardo Sassetti) e LAB (2020) Em soma, atuou em Festivais de renome internacional como Copenhagen Jazz Fest, Cortona Jazz Fest (Italy), Sudtirol Jazz Fest (Italy) and Festival d'Aix en Provence (South France).
Neste momento reside em Lisboa após terminar a licenciatura em bateria com nota máxima (20 valores), investe nas suas composições para septeto e no seu duo improvisado com João Mortágua; e continua a trabalhar numa base regular com vários artistas do panorama jazz nacional. Alexandre conta apenas 22 anos e a sua carreira promete um futuro promissor.



Intersections #10 | Andres Marino & Matthew Golombisky





Andres Marino | Nascido em Mendoza, Argentina, formou-se com distinção em Produção Musical pela Universidade Nacional de San Luis em 2008. Posteriormente, formou-se como Técnico em Jazz com especialização em Piano no Conservatório Manuel de Falla de Buenos Aires.
Recebeu uma formação integral que inclui trabalho com diferentes géneros musicais, formação instrumental, composição, arranjos, tecnologia da computação, engenharia de gravação e produção musical. Esta formação extensa permite-lhe trabalhar com solidez em diversos campos que vão desde experiências com grupos de free jazz, a compor e tocar com cantores de renome. 
Dos seus projetos faz parte o Dueto com Lucia Boffo, com composições originais em formato de canção, e com quem editou o seu primeiro álbum em 2017, reeditado no Japão. Como pianista do Sales de Baño, grupo de jazz experimental, editou 3 discos e fez digressões na Colômbia, Uruguai, Chile e Peru. FluxxuS é um projeto experimental que combina artes visuais, dança e música. Também tem o projeto a solo, Deconstruir un piano, com álbum lançado em 2020.


Matthew Golombisky |  Nasceu nos Estados Unidos e vive em Buenos Aires, baixista acústico e elétrico, compositor, improvisador, maestro, produtor, educador e idealizador que também desempenha muitas funções como diretor / fundador da editora independente ears&eyes Records e agência de publicidade, Thirsty Robot Media, promotorr de currículos, artista, professor e membro do conselho do 501(C)3, Institute for Creative Music,  e, no passado, maestro e diretor artístico da orquestra juvenil, Orquesta Creer Es Crear, em Avellaneda, Argentina, palco-gerenciador pelo Pitchfork Music Festival, Hideout Block Party, The Swell Season, Peter, Bjørn & John, DJ-ed / produziu rádio para WNUR 89.3FM, foi curador de um festival anual de ears&eyes, idealizado para Clorox, e escreveu, compôs e dirigiu teatro musical para Bizzo!
Matthew viveu e participou ativamente da música e de festivais na área da baía de São Francisco, Chicago, Nova Orleans, Buenos Aires, no interior do estado de Nova York e Asheville NC, além de fazer digressões pelos EUA e na Europa com bandas como Pedway, Tomorrow Music Orchestra, IFCM, NOMO, Zing!, Jhelisa, Golombisky-Kirchner duo, WATIV, QMRplus & more. Ensinou performance, improvisação, composição, teoria, técnicas de gravação e marketing musical para crianças e adultos durante 20 anos em escolas e faculdades em todo o país.
AllAboutJazz e o escritor Jakob Baekgaard designaram-no como “homem renascentista” moderno. É um artista que se move para a frente, age rápido e está ocupado: com as suas atuações com baixo acústico / elétrico, composições encomendadas (incluindo o seu trabalho no último álbum do cantor / compositor australiano Via Tania, apresentando  a sua Orquestra de Música Amanhã, as suas contribuições para o filme do diretor argentino Alejo Domínguez, La Soñada , ou criando suplementos didáticos de improvisação para oInstitute for Creative Music), direção, filmagem e edição de videoclipes e / ou trailers de lançamento (por exemplo, Cuentos, Chad Taylor, Nate Lepine, TMO, Quintopus, Matija Dedic, blink.), com a criação de trabalho de design de layout e / ou fotografia para websites e álbuns (e & e.com, Matija Dedic, Hood Smoke, Pedway, Quintopus, 85bears), regendo, dirigindo e compondo para orquestra de jovens em risco, Orquesta Creer Es Crear na Argentina onde se apresentaram no famoso Teatro Roma, fundador / diretor da gravadora independente de Chicago, ears&eyes Records (2020 marca 13 anos) e, mais recentemente, lançando o seu Volume 3 para Cuentos.
Os estudos de graduação de Matthew na University of North Carolina em Asheville levaram-no a um BA em Jazz Studies / Bass Performance com ênfase em teoria e música clássica do século XX, enquanto ganhava o prémio Distinction in Music Award, e a um mestrado em Composição pela University of New Orleans após uma breve passagem pela Northwestern University após o furacão Katrina varrer Nova Orleans em agosto de 2005.
A discografia de Matthew inclui mais de 50 gravações apresentando performances, composições, regência, trilha sonora, arte / design, fotografia, gravação / mixagem e / ou produção.
O seu estilo de composição é amplo, repleto de géneros clássicos modernos, experimentais, experienciais, pensativos, jazz, rock e pop, mas nunca se limita a nada e absorve toda a música ouvida. Cria humores e imagens auditivas que cativam, intrigam, revigoram, confundem e / ou entusiasmam o seu público.



Intersections 

#1 Killick Hinds & Mané Fernandes | #2 Federico Calcagno & Zé Almeida


#3 Ramiro Flores & Luís Figueiredo | #4 Francesca Remigi & Teis Semey


#5 Samuel Gapp & Max Diller | #6 Camila Nebbia & Mirco Ballabene e Axel Filip Duo


#7 Tal Arditi & Óscar Graça | #8 Justin Raym & Javier Subatin



Composers and Improvisers Community Project é uma comunidade global de músicos independentes que trabalham juntos para produzir um fluxo regular de conteúdos exclusivos online compartilhados com os fãs que apoiam seu trabalho.
Considerando os problemas crescentes que os músicos enfrentam para encontrar formas de gerar rendimentos regulares devido à pandemia COVID-19, este é o momento certo para entrar em ação e concretizar esta ideia: criar uma comunidade onde músicos de diferentes partes do globo trabalham juntos com o objetivo de oferecer um fluxo constante de conteúdo de alta qualidade e exclusivo numa plataforma única e dividir os recursos arrecadados em partes iguais - que só são possíveis de reunir com o apoio dos amantes da música .
Com esta iniciativa, os músicos envolvidos obtêm:
uma base de fãs sólida e global, composta por amantes do jazz e da música improvisada de todas as partes do mundo.
uma receita regular gerada pela contribuição mensal dos fãs em troca de uma quantidade considerável de conteúdos exclusivos, como trabalhos diários inéditos e improvisações, vídeos com áudio de alta qualidade, gravações colaborativas, downloads de áudio exclusivos e muito mais!
visibilidade, considerando que os músicos com mais visibilidade vão ainda aumentá-la com os outros músicos e, ao mesmo tempo, vão ajudar outros a alcançarem maior exposição pública.
Por outro lado, os assinantes são parte ativa da comunidade de apoio ao trabalho dos artistas e têm acesso a conteúdos exclusivos:
● Vídeos diários com áudio de alta qualidade.
● Gravações produzidas especificamente para a comunidade e com a colaboração dos músicos que dela fazem parte. Isso estimulará interações entre músicos o que poderia não acontecer noutras circunstâncias.
● Downloads exclusivos de faixas e álbuns.
● E muito mais que surgirá com o crescimento da comunidade! (estamos planeando apresentações e masterclasses online ao vivo, lançamentos de CD e muito mais).
Finalmente, espero que músicos e fãs se juntem a esta comunidade e participem do projeto.
Javier Subatin
fundador e diretor artístico