Ouvir
Jazz a 2
Em Direto
Jazz a 2 João Moreira dos Santos / Maria Alexandra Corvela / Luís Caetano / Produção: Cristina do Carmo

Videos

DSCH – Schostakovich Ensemble | Trios com Piano, de F. Schubert

Antena 2 | Teatro Thalia

|

DSCH – Schostakovich Ensemble | Trios com Piano, de F. Schubert DSCH – Schostakovich Ensemble | Trios com Piano, de F. Schubert

© Jorge Carmona / Antena 2

A Antena 2 apresenta, em dois vídeos, o concerto dedicado aos Trios para piano e cordas, de Schubert, interpretados pelo DSCH – Schostakovich Ensemble. Esta gravação RTP/Antena 2, teve lugar a 29 de abril deste ano, no Teatro Thalia, em Lisboa.


DSCH - Shostakovich Ensemble


Liza Ferschtman, violino

Kyril Zlotnikov, violoncelo


Programa

Franz Schubert (1797-1828) - Trio nº 1 em Si bemol Maior, Op. 99, D. 898

   - Trio nº 2 em Mi Bemol Maior, Op. 100, D. 929





Parte I 

Franz Schubert (1797-1828) - Trio nº 1 em Si bemol Maior, Op. 99, D. 898
I. Allegro moderato
II. Andante un poco mosso
III. Scherzo. Allegro
IV. Rondo. Allegro vivace






Parte II 

Franz Schubert (1797-1828) - Trio nº 2 em Mi Bemol Maior, Op. 100, D. 929
I. Allegro
II. Andante con moto
III. Scherzo: Allegro moderato
IV. Allegro moderato





DSCH - Schostakovich Ensemble é um projeto português de âmbito internacional, sediado em Lisboa desde a sua fundação em 2006, sob a direção artística do pianista Filipe Pinto-Ribeiro.
Agrupamento musical de geometria variável, o Schostakovich Ensemble constitui uma plataforma de encontro e interação de músicos de excelência no panorama internacional, mestres nos seus instrumentos, animados pelo prazer de fazer música de câmara e por uma profunda cumplicidade artística.
Foi criado por Filipe Pinto-Ribeiro em 2006, ano do centenário do nascimento do compositor Dmitri Schostakovich, a quem deve o nome. Esta homenagem a um compositor está na senda da história e experiência de alguns dos principais ensembles fundados no século XX, nomeadamente o Quarteto Beethoven (Rússia), o Quarteto Alban Berg (Aústria), o Trio Borodin (EUA), o Quarteto Ysaÿe (França) ou o Schönberg Ensemble (Holanda). No caso do Schostakovich Ensemble, quere-se também exaltar o ideal artístico de autenticidade e humanismo, de rigor e paixão, expresso no enigma musical de cariz autobiográfico encerrado na assinatura musical oculta de Dmitri Schostakovich, o criptograma DSCH, criado pelo compositor com base nas primeiras letras do seu nome e apelido, ou seja, o motivo musical temático “Ré - Mi bemol - Dó - Si”, utilizado em algumas das suas obras mais significativas.
O vasto repertório do Schostakovich Ensemble integra obras de compositores de diversas épocas e estilos musicais, de Bach a Schumann, de Mozart a Messiaen, de Haydn a Webern, de Brahms a Ravel, de Beethoven a Dvořák, incluindo contemporâneos, como Sofia Gubaidulina, com a qual o Ensemble estabeleceu uma estreita colaboração.
Desde a sua estreia em 2006, o Schostakovich Ensemble apresentou concertos de norte a sul de Portugal, nomeadamente nas cidades de Bragança, Matosinhos, Porto, Vila Nova de Gaia, Viseu, Coimbra, Lisboa, Portimão e Faro, entre outras, e tornou-se em 2008 o Ensemble em Residência no Centro Cultural de Belém. Nos outros países em que se apresentou, caso de Espanha, França, Bélgica, Alemanha, Estónia, Suécia ou Rússia, o Schostakovich Ensemble obteve sempre uma grande receptividade do público e excelentes recensões da crítica musical. Nesse contexto, tem também divulgado o património musical português, estreando em alguns daqueles países obras de compositores portugueses de diversas épocas.
Em 2019, o Ensemble atribuiu ao compositor Luís Tinoco o Prémio de Composição DSCH - Schostakovich Ensemble, na sua primeira edição. O Prémio, de periodicidade bienal, tem como objetivo reconhecer, incentivar e divulgar a criação musical erudita contemporânea portuguesa e destina-se a galardoar a obra e o trajeto de mérito de um compositor português de referência.



Ao longo dos seus 15 anos de existência, o Schostakovich Ensemble tem contado com a participação, entre outros, dos violinistas Corey Cerovsek, Tedi Papavrami, Renaud Capuçon, Jack Liebeck e Benjamin Schmid, dos violetistas Isabel Charisius, Gérard Caussé e Lars Anders Tomter, dos violoncelistas Adrian Brendel, Christian Poltéra, Gary Hoffman, Kyril Zlotnikov e Edgar Moreau, dos contrabaixistas Tiago Pinto-Ribeiro e Matthew McDonald, das flautistas Emily Beynon, Silvia Careddu e Adriana Ferreira, dos oboístas Ramón Ortega e Jonathan Kelly, dos clarinetistas Pascal Moraguès e Michel Portal, dos cantores José van Dam e Anna Samuil e dos pianistas Eldar Nebolsin, Rosa Maria Barrantes e Filipe Pinto-Ribeiro.
Desde 2006, alguns dos concertos do Schostakovich Ensemble foram gravados e transmitidos pela RTP Antena 2 e pelo canal de televisão francês Mezzo.



2018 marcou o início da discografia do Schostakovich Ensemble, com a primeira gravação mundial da Integral da Música de Câmara para Piano e cordas de Dmitri Schostakovich, gravada por Filipe Pinto-Ribeiro, Corey Cerovsek, Cerys Jones, Isabel Charisius e Adrian Brendel. O duplo álbum, com a chancela da editora francesa Paraty e a distribuição mundial da Harmonia Mundi PIAS, recebeu as mais elevadas distinções da crítica especializada - 5 Diapasons, Opus D’Or, máximas classificações da revista alemã Das Orchester, da revista holandesa Luister, da revista belga Crescendo e da Kulturradio Radio Berlin-Brandenburg, Melhor do ano 2018 Jornal Público, Álbum do ano 2018 Classique News - e excelentes críticas de orgãos de comunicação de referência, como as revistas Gramophone e Scherzo, o jornal Guardian, entre outros.
No outono de 2020, é lançado o segundo álbum do DSCH – Schostakovich Ensemble, dedicado à música de Ludwig van Beethoven, no ano em que se comemoram os 250 anos do seu nascimento.




Fotos Jorge Carmona / Antena 2