Ouvir
Império dos Sentidos
Em Direto
Império dos Sentidos Paulo Alves Guerra / Produção: Ana Paula Ferreira

Videos

Joana Gama | 7 Janeiro 19h00

Sala Luís de Freitas Branco, CCB

|

Joana Gama | 7 Janeiro 19h00 Joana Gama | 7 Janeiro 19h00

Joana Gama © Eduardo Brito

 

SATIE.150

Uma celebração em forma de guarda-chuva


 

Sala Luís de Freitas Branco, CCB

7 Janeiro 19h00

Joana Gama, piano

 

Com SATIE.150, a pianista Joana Gama assinala os 150 anos do nascimento de Erik Satie. Neste recital, a obra do compositor francês é intercalada com a de compositores que com ele partilham o gosto pela desformalização da música, ainda que com resultados distintos: John Cage, grande admirador e divulgador da música de Satie (e que promoveu a primeira audição da enigmática peça “Vexations"), junta-se a nomes como Carlos Marecos, Arvo Pärt, John Adams e Alexander Scriabin, este último contemporâneo de Erik Satie e também amante do esoterismo. Durante o ano de 2016, com o apoio da Antena 2, e através de uma série de eventos e concertos, Joana Gama levará SATIE.150 a doze localidades portuguesas: Lisboa, Guimarães, Vila Real, Viseu, Ponta Delgada, Espinho, Sardoal, Cacela Velha, Serpa, Faro, Castelo Branco e Braga. Dotado de um humor desconcertante e de uma elegância irrepreensível, Erik Satie fazia-se acompanhar sempre por um guarda-chuva.


PROGRAMA

Erik Satie Sonneries de la Rose + Croix (Air du Grand Prieur)
John Adams China Gates
Erik Satie Gnossienne Nº 1
Carlos Marecos Três Prelúdios sobre o Mar
Erik Satie Gymnopédie Nº 1
Arvo Pärt Für Alina
Erik Satie Embryons Desséchés
John Cage Dream
Erik Satie Sonatine bureaucratique
Alexander Scriabin Vers la flamme
Erik Satie Cinéma



A atividade concertística de Joana Gama (Braga, 1983) desdobra-se em recitais a solo, colaborações com diferentes agrupamentos portugueses e concertos com orquestra. Em 2010, na classe de António Rosado, concluiu o Mestrado em Interpretação na Universidade de Évora, onde prossegue estudos de Doutoramento sobre Música Contemporânea Portuguesa para Piano, como bolseira da FCT. Presença regular nas principais salas portuguesas, em 2008 foi vencedora, na categoria de piano, do Prémio Jovens Músicos na sequência do qual foi solista com a Orquestra Gulbenkian e a Orquestra do Algarve. Tem igualmente colaborado com o Sond’Ar-te Electric Ensemble, Orchestrutopica, Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras e Orquestra Sinfónica Juvenil. Como pianista e performer, nos últimos anos Joana tem estado envolvida em projetos que associam a música às áreas da dança - "Danza Ricercata” e "27 Ossos" de Tânia Carvalho; "Trovoada" de Luís Guerra, "Pele" da companhia Útero -, do teatro - "Benny Hall" de Esticalimógama -, da fotografia e do vídeo - “Antropia”, “Linha” e "terras interiores" de Eduardo Brito -, e do cinema - "La Valse" de João Botelho, ”Incêndio" de Miguel Seabra Lopes e Karen Akerman e "A Glória de fazer Cinema em Portugal" de Manuel Mozos. QUEST, duo de piano e eletrónica partilhado com Luís Fernandes, estreado no Theatro Circo, em Braga, passou por festivais como Novas Frequências (Rio de Janeiro) e MADEIRADIG. Editado pela Shhpuma, foi considerado um dos melhores álbuns de 2014 por diversos críticos portugueses. Em 2016, com o apoio da Antena 2, Joana Gama dedicará boa parte do seu tempo a SATIE.150, uma serie de concertos e eventos espalhados por Portugal que assinalam os 150 anos do nascimento do excêntrico compositor francês. Talvez por se ter iniciado na música e no ballet em simultâneo, Joana Gama convoca para o ato de tocar piano uma particular expressividade, como se a postura e os graciosos movimentos que aprendeu na dança lhe tivessem ficado marcados no corpo.