10   de 2008 por José Paulo Alcobia
"Aquele Querido Mês de Agosto": um filme português entre os mais relevantes do ano

Mais Cinema  

10 + de 2008 por José Paulo Alcobia

O ano foi positivo para o cinema europeu.


Em 2008, pode dizer-se, o cinema europeu retomou uma posição destacada. “Gomorra” de Matteo Garrone, “A Turma” de Laurent Cantet e “O Segredo de um Cuscuz” de Abdelatif Kechiche, só para citar três, revelaram-se assinaláveis êxitos de bilheteira, não descurando o lado criativo e artístico.

No cinema português a surpresa veio de Miguel Gomes com “Aquele Querido Mês de Agosto”, provando que é possível fazer cinema em jeito”Folk” à portuguesa, inteligente e cruzando narrativa com documentário.

Do lado norte-americano, a assumpção do cinema de animação como entretenimento de família (exemplos de "Wall-E", "O Panda do Kung Fu" e "Madagáscar 2") capaz de produzir vários sucessos durante o ano. E claro, uma derradeira menção ao cinema dos super heróis que veio para ficar e bater recordes de bilheteira: casos de “O Cavaleiro das Trevas” e “Homem de Ferro”.


- "Quatro Noites com Anna", de Jerzy Skolimowski

- "Wall-E", De Andrew Stanton

- "O Segredo de um Cuscuz", de Abdel Kechiche

- "Este País Não é Para Velhos", de Joel e Ethan Coen

- "I'm Not There - Não Estou Aí", De Todd Haynes

- "A Fronteira do Amanhecer", de Philipe Garrel

- "Corações", de Alain Resnais

- "Haverá Sangue", de Paul Thomas Anderson

- "Aquele Querido Mês de Agosto", de Miguel Gomes

- "Destruir Depois de Ler", de Joel e Ethan Coen


por

Recomendamos: Veja mais Artigos de Mais Cinema