56 filmes na seleção oficial do Festival de Cannes que não vai acontecer
Thierry Frémaux, delegado-geral do Festival de Cannes [imagem do site do certame]

 

56 filmes na seleção oficial do Festival de Cannes que não vai acontecer

Os organizadores do Festival de Cannes revelaram hoje os títulos da seleção oficial apesar do cancelamento das sessões deste ano.

Artigo recomendado:
56 filmes na seleção oficial do Festival de Cannes que não vai acontecer
Cannes 2020
Cannes, o festival, os seus filmes e as salas deles O Festival de Cannes de 2020 não vai acontecer, o que não quer dizer que o certame não tenha escolhido os "seus" filmes: o anúncio da ...

Num ano estranho para Cannes, com os cinemas fechados desde março e as sessões canceladas devido à pandemia, os organizadores persistiram, mesmo assim, na ideia de construir uma seleção oficial e de a revelarem ao mundo. Mesmo sabendo que nenhum dos escolhidos será exibido nas salas em redor da Croisette, o pulmão do mais conhecido dos festivais de cinema, e que não haverá distribuição de Palmas de Ouro a distinguir os vencedores.

Desta vez, as estreias mundiais dos filmes de Cannes vão ocorrer apenas daqui por uns meses - se tudo correr bem - nos festivais de outono que vão aceitar as obras desta lista num gesto de colaboração com os franceses que, desta vez, assume maior significado.

Também excepcional é o facto de os 56 filmes da seleção oficial desta edição não estarem separados pelas habituais secções - Competição, Un Certain regard, Fora de Competição, Sessões da Meia-noite e Sessões Especiais. Há apenas uma separação quase emocional entre "os fiéis", para obras de realizadores que "regressam" a Cannes; os "recém-chegados" para os que pela primeira vez integram a seleção oficial; as "primeiras obras" e uma separação por géneros; os "documentários", "filmes de animação", "comédias" e "um filme em sketches".

SELEÇÃO OFICIAL CANNES 2020

OS FIÉIS
  • THE FRENCH DISPATCH, de Wes Anderson (EUA)
  • ÉTÉ 85, de François Ozon (França)
  • ASA GA KURU (True Mothers), de Naomi Kawase (Japão)
  • LOVERS ROCK, de Steve McQueen (Inglaterra)
  • MANGROVE, de Steve McQueen (Inglaterra)
  • DRUK (Another Round), de Thomas Vinterberg (Dinamarca)
  • ADN, de Maïwenn (Argélia e França)
  • LAST WORDS, de Jonathan Nossiter (EUA)
  • HEAVEN: TO THE LAND OF HAPPINESS, de Im Sang-Soo (Coreia do Sul)
  • EL OLVIDO QUE SEREMOS, de Fernando Trueba (Espanha)
  • PENINSULA, de YEON Sang-Ho (Coreia do Sul)
  • IN THE DUSK (Au crépuscule), de Sharunas Bartas (Lituânia)
  • DES HOMMES,de Lucas Belvaux (Bélgica)
  • THE REAL THING, de Kôji Fukada (Japão)

OS RECÉM CHEGADOS

  • PASSION SIMPLE, de Danielle Arbid (Líbano)
  • A GOOD MAN, de Marie Castille Mention-Schaar (França)
  • LES CHOSES QU’ON DIT, LES CHOSES QU’ON FAIT, de Emmanuel Mouret (França)
  • SOUAD, de Ayten Amin (Egipto)
  • LIMBO, de Ben Sharrock (Inglaterra)
  • ROUGE, de Farid Bentoumi (França)
  • SWEAT, de Magnus Von Horn (Suécia)
  • TEDDY, de Ludovic e Zoran Boukherma (França)
  • FÉVRIER, de Kamen Kalev (Bulgária)
  • AMMONITE, de Francis Lee (Inglaterra)
  • UN MÉDECIN DE NUIT, de Elie Wajeman (França)
  • ENFANT TERRIBLE, de Oskar Roehler (Alemanha)
  • NADIA, BUTTERFLY, de Pascal Plante (Canadá)
  • HERE WE ARE, de Nir Bergman (Israel)

AS PRIMEIRAS OBRAS

  • FALLING, de Viggo Mortensen (EUA)
  • PLEASURE, de Ninja Thyberg (Suécia)
  • SLALOM, de Charlène Favier (França)
  • CASA DE ANTIGUIDADES, de João Paulo Miranda Maria (Brasil)
  • FAUSSE NOTE, de Jimmy Keyrouz (Líbano)
  • IBRAHIM, de Samir Guesmi (França)
  • BEGINNING, de Déa Kulumbegashvili (Georgia)
  • GAGARINE, de Fanny Liatard e Jérémy Trouilh (França)
  • 16 PRINTEMPS, de Suzanne Lindon (França)
  • VAURIEN, de Peter Dourountzis (França)
  • GARÇON CHIFFON, de Nicolas Maury (França)
  • SI LE VENT TOMBE, de Nora Martirosyan (Arménia)
  • JOHN AND THE HOLE, de Pascual Sisto (EUA)
  • STRIDING INTO THE WIND, de Wei Shujun (Chine)
  • THE DEATH OF CINEMA AND MY FATHER TOO, de Dani Rosenberg (Israel)

3 DOCUMENTÁRIOS

  • EN ROUTE POUR LE MILLIARD, de Dieudo Hamadi (Congo)
  • THE TRUFFLE HUNTERS, de Michael Dweck e Gregory Kershaw (EUA)
  • 9 JOURS À RAQQA, de Xavier de Lauzanne (França)

5 COMÉDIAS
  • ANTOINETTE DANS LES CÉVÈNNES, de Caroline Vignal (França)
  • LES DEUX ALFRED, de Bruno Podalydès (França)
  • UN TRIOMPHE, de Emmanuel Courcol (França)
  • L’ORIGINE DU MONDE, de Laurent Lafitte (França)
  • LE DISCOURS, de Laurent Tirard (França)

4 FILMES DE ANIMAÇÃO
  • AYA TO MAJO (Earwig and the Witch), de Gorô Miyazaki (Japão)
  • FLEE. de Jonas Poher Rasmussen (Dinamarca)
  • JOSEP, de Aurel (França)
  • SOUL, de Pete Docter (EUA)

UM FILME EM SKETCHES
  • SEPTET: THE STORY OF HONG KONG, de Ann Hui, Johnnie TO, Tsui Hark, Sammo Hung, Yuen Woo-Ping e Patrick Tam (Hong Kong)

por

Recomendamos: Veja mais Artigos de