A China, aqui e agora
Quatro histórias chinesas: Jia Zhang-ke atento às convulsões do seu país

Cannes dia 3: A TOUCH OF SIN  

A China, aqui e agora

Observador metódico e exigente da evolução da China, Jia Zhang-ke está de novo na competição de Cannes com um retrato multifacetado do seu país: "A Touch of Sin" é uma ficção elaborado com espírito de documento.

Trailer/Cartaz/Sinopse:
 A China, aqui e agora
A Touch Of Sin Dahai, menor exasperado com a corrupção dos dirigentes da sua aldeia decide agir. San'er, um trabalhador migrante, descobre as infinitas possibilidades oferecidas pela sua arma. Xiaoyu, recepcionista num casa de sauna, fica exasperada com o assédio de um cliente rico. Xiaohui passa de um trabalho para outro com condições cada vez mais degradantes. Quatro personagens, quatro províncias, uma única ...

O novo filme de Jia Zhang-ke ("Tian Zhu Ding") apresenta-se com o título inglês "A Touch of Sin". Ou seja, à letra, "Um toque de pecado". Que virtudes as personagens corrompem? Pois bem, no limite, a sua própria existência...

Este é, de facto, um filme que faz uma espécie de retrato do aqui e agora chinês, escolhendo como protagonistas quatro personagens que vivem existências desesperadas, por vezes contaminadas por uma gélida pulsão suicida.

Se nos recordarmos dos títulos de Jia Zhang-ke estreados nas salas portuguesas, nomeadamente "O Mundo" (2004) e "24 City" (2010), encontramos aqui um prolongamento lógico, e muito depurado, da sua trajectória criativa. "A Touch of Sin" é um painel multifacetado em que sentimos, não apenas as diferenças de crescimento entre os pequenos burgos e as grandes metrópoles, mas também uma estranha e inquietante degradação das relações humanas.

Há nesta visão uma sensibilidade aos mais discretos sinais do quotidiano que, por certo, não é estranho ao trabalho de Jia Zhang-ke na área documental. De facto, "A Touch of Sin" afirma-se como a elaborada expressão de um cinema moderno em que a atenção ao social vai a par de um exigente labor ficcional. Se é verdade que a produção asiática quase sempre consegue sair de Cannes com alguma distinção, este é um filme a ter, desde já, em conta para o palmarés.

por
publicado 23:00 - 17 maio '13

Recomendamos: Veja mais Artigos de Cannes 2013