A Forma da Água vence a noite dos Óscares

 

"A Forma da Água" vence a noite dos Óscares

O filme de Guillermo del Toro ganhou quatro estatuetas, incluindo as reservadas a melhor filme e melhor realizador.

"A Forma da Água" foi o vencedor da 90ª edição dos Óscares que teve lugar este domingo, no Dolby Theater, em Los Angeles. Além do prémio para melhor filme, triunfou noutras três categorias, melhor realizador (Guillermo del Toro), melhor banda sonora original e melhor design de produção. Incialmente, estava nomeado em 13 categorias.

Numa noite em que as vitórias foram distribuídas por vários filmes, "Dunkirk" somou três Óscares (nas categorias relacionadas com o som e ainda melhor montagem). Seguiram-se "Três Cartazes à Beira da Estrada", "Blade Runner 2049" e "A Hora Mais Negra", todos com dois Óscares cada.

Nos atores, Allison Janney (Eu, Tonya) e Sam Rockwell, (Três Cartazes à Beira da Estrada) ganharam entre os secundários; Gary Oldman (A Hora Mais Negra)" e Frances McDormand, (Três Cartazes à Beira da Estrada) saíram vitoriosos entre os protagonistas.

O filme da cerimónia

Esperava-se uma noite marcada pelos temas da atualidade em Hollywood, mas o tom geral acabou por ser contido. Na passadeira vermelha viram-se alguns pins alusivos aos movimentos Times' Up e #MeToo nos fatos e vestidos das estrelas, mas não houve um esforço concertado para, por exemplo, todos usarem roupa preta como sucedeu nos Globos de Ouro.

Já no interior do Dolby Theatre, o espectáculo começou com uma montagem de imagens a preto e branco combinadas com a voz de Jimmy Kimmel a imitar um narrador dos antigos filmes de atualidades.

A partir daí, o guião tocou em todos os pontos. Houve piadas sobre o engano do ano passado, quando Warren Beaty e Faye Dunaway anunciaram o vencedor errado na categoria de melhor filme.

O anfitrião lembrou que se celebrava a 90ª edição dos Oscars e que a estatueta é tudo o que um homem respeitável deve ser, com o pénis escondido e os braços sempre bem visíveis, algo que serviu de ponte para falar diretamente da expulsão de Harvey Weinstein e comparar a sua punição com a de outro membro da academia que se limitou a partilhar uma cassette VHS.

Depois, lembrou os movimentos Never Again, MeToo e Times' Up, que tentam pôr termo ao assédio sexual e à desigualdade salarial entre homens e mulheres na indústria do entretenimento.

Realçou a necessidade de positividade e de mudança em Hollywood e teve ainda espaço para abordar o controlo na venda de armas ao mencionar a próxima marcha dos estudantes de Parkland, vítimas do mais recente tiroteio numa escola norte-americana.

Referindo-se a "Black Panther" e "Wonder Woman", relembrou com ironia a altura muito recente em que não se acreditava que uma mulher ou membro de uma minoria étnica conseguisse protagonizar um sucesso de bilheteira.

Falou de desigualdade salarial e deu o exemplo concreto do pagamento de Michelle Williams e Mark Wahlberg nas cenas que foram alteradas no filme "Todo o Dinheiro do Mundo".

Por fim, Helen Mirren surgiu num cenário a lembrar o concurso "O Preço Certo" com Kimmel a prometer um jetski ao discurso de aceitação de Oscars mais curto da noite.

O humor das veteranas


Eva Marie Saint, atriz de de 93 anos, vencedora de um Oscar de melhor secundária em 1955 por "Há Lodo No Cais", ao lado de Marlon Brando, fez a plateia sorrir ao lembrar que é mais velha do que os Oscars.

Outra atriz veterana, Rita Moreno, surgiu bem disposta e com a mesma saia que usou em 1962 quando recebeu o Oscar pelo seu papel em "West Side Story".

Jimmy Kimmel tentou animar e dar ritmo à rotina da noite com um novo sketch envolvendo espectadores anónimos. Depois dos excursionistas conduzidos ao Dolby Theater a meio da cerimónia, no ano passado, agora foi a vez das estrelas irem ter com o público. Kimmel conduziu um grupo liderado por Gal Gadot, Guillermo del Toro e Mark Hammil a uma sala de cinema vizinha onde um grupo de pessoas que assistia a uma sessão de "A Wrinkle in Time" apanhou a surpresa de uma vida.

De regresso a um tom mais sério, Salma Hayek, Ashley Judd e Annabella Sciorra (atriz que declarou ter sido violada por Harvey Weinstein) subiram ao palco para falar do movimento Time's Up com depoimentos de nomes como Mira Sorvino, Greta Gerwig, Lee Daniels, Geena Davis, Kumail Nanjiani, ou Ava DuVernay, acerca das dinâmicas de mudança em Hollywood.

Destaque ainda para Roger Deakins que com "Blade Runner: 2049" ganhou finalmente o Oscar de melhor fotografia após 15 nomeações.

Tom Petty interpretou o seu tema "Room at the Top" que serviu de tema de fundo para a habitual homenagem "In Memoriam", aos membros da academia que morreram.

O último grande momento de ativismo da noite veio da parte de Frances McDormand que aproveitou a estatueta recém ganha de melhor atriz para "dizer umas coisas" e reforçar o tema da inclusão e da igualdade de géneros em Hollywood, lembrando que todas as mulheres nomeadas têm projetos que necessitam de financiamento.

A já longa noite de entrega dos Óscares terminou com o regresso de Warren Beaty e Faye Dunaway para, desta feita sem problemas, ou enganos, anunciarem "A Forma da Água" como vencedor da categoria de melhor filme.


Lista completa de vencedores da 90ª edição dos Óscares

Melhor ator secundário - Sam Rockwell, "Três Cartazes à Beira da Estrada"

Melhor maquilhagem e cabelo - "A Hora Mais Negra", Kazuhiro Tsuji, David Malinowski e Lucy Sibbick

Melhor guarda-roupa - "Linha Fantasma", Mark Bridges

Melhor documentário - "Icarus", Bryan Fogel e Dan Cogan

Melhor montagem sonora - "Dunkirk", Richard King e Alex Gibson

Melhor mistura de som - "Dunkirk", Mark Weingarten, Gregg Landaker e Gary A. Rizzo

Melhor design de produção - "A Forma da Água", Paul Denham Austerberry e Shane Vieau e Jeff Melvin

Melhor filme em língua estrangeira - "Uma Mulher Fantástica", Chile

Melhor atriz secundária - Allison Janney, "Eu, Tonya"

Melhor curta-metragem de animação - "Dear Basketball", Glen Keane e Kobe Bryant

Melhor filme de animação - "Coco", Lee Unkrich e Darla K. Anderson

Melhores efeitos visuais - "Blade Runner 2049" John Nelson, Gerd Nefzer, Paul Lambert e Richard R. Hoover

Melhor montagem - "Dunkirk," Lee Smith

Melhor curta-metragem documental - "Heaven Is a Traffic Jam on the 405", Frank Stiefel

Melhor curta-metragem - "The Silent Child" ,Chris Overton e Rachel Shenton

Melhor argumento adaptado - "Chama-me Pelo Teu Nome", James Ivory

Melhor argumento original - "Foge", Jordan Peele

Melhor fotografia - "Blade Runner 2049", Roger A. Deakins

Melhor banda sonora original - "A Forma da Água", Alexandre Desplat

Melhor canção - "Remember Me", de "Coco"

Melhor realizador - "A Forma da Água", Guillermo del Toro

Melhor ator - Gary Oldman, "A Hora Mais Negra"

Melhor atriz - Frances McDormand, "Três Cartazes à Beira da Estrada"

Melhor filme - "A Forma da Água"

por
publicado 05:45 - 05 março '18

Recomendamos: Veja mais Artigos de