A guerra contra o terror em Juárez
Benicio Del Toro, o sicário: um colombiano ao serviço do FBI no combate aos cartéis de droga.

Cannes 2015  

A guerra contra o terror em Juárez

Denis Villeneuve dirige um thriller brutal sobre o combate ao narcotráfico e aos cartéis mais violentos do mundo.

Trailer/Cartaz/Sinopse:
 A guerra contra o terror em Juárez
Sicario - Infiltrado Uma jovem agente do FBI vê os seus valores éticos e morais levados ao limite quando participa numa operação secreta da CIA para eliminar o líder de um cartel de narcotraficantes mexicanos.
Média Cinemax:
3.25

Juárez, na cidade do México, junto à fronteira com os Estados Unidos, é um local estratégico no tráfico de droga e uma cidade onde atuam os mais violentos cartéis sul americanos. As disputas entre grupos rivais tornaram-se famosas em todo o mundo devido à violência que é utilizada na execução das vitimas, com frequente mutilação de cadáveres que são expostos em lugares públicos da cidade.

O canadiano Denis Villenueve dirige este filme de fronteira onde aborda o problema a partir dos Estados Unidos, seguindo a atuação do FBI, a polícia federal norte-americana. Emily Blunt interpreta Katy, uma agente que revela nervos de ação ao desmascarar um grupo de narcotaficantes que cometem crimes horriveis em território norte-americano e é destacada para integrar um grupo de operações especiais onde faz equipa com Matt (John Brolin) e Alejandro (Benicio Del Toro).

Estes dois operacionais atuam de forma estranha e não seguem as regras de conduta que Emily está habituada a respeitar. Eles desenvolvem uma série de ações irregulares, como entrar em território mexicano para prender um traficante que é raptado e interrogado nos Estados Unidos.

A ação de Alejandro é particularmente determinante porque ele pertenceu ao cartel de Medellín e tem um conhecimento muito importante do submundo mexicano. Ele é  sicário, o renegado que atua com uma agenda própria, procurando concretizar uma vingança pessoal que serve os interesses do FBI.

"Sicario" é um thriller extremamente realista e brutal, com ótimas sequências de ação, e muito atual ao demonstrar de forma muito pormenorizada que os Estados Unidos utilizam técnicas sujas da guerra contra o terrorismo para combater os narcotraficantes no México.

Denis Villeneuve confirma ser um realizador que aprecia temátocas diferentes. Depois de ter adaptado o romance "O Homem Duplicado", de José Saramago, dirige um filme surpreendente sobre um problema atual mas que ainda não foi muito abordado no cinema recente.

por
publicado 00:38 - 22 maio '15

Recomendamos: Veja mais Artigos de Cannes 2015